Curso Online de Enfermagem e Envelhecimento:As repercussões da negação da dignidade humana
4 estrelas 1 aluno avaliou

Curso Online de Enfermagem e Envelhecimento:As repercussões da negação da dignidade humana

Este curso visa propiciar a reflexão acerca dos aspectos fisiológicos e sociais em que inserem-se os idosos no Brasil.Trata-se da abordag...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Este curso visa propiciar a reflexão acerca dos aspectos fisiológicos e sociais em que inserem-se os idosos no Brasil.Trata-se da abordagem da temática do cuidado na Terceira Idade.

"Acrescentou bastante em minha percepção como acadêmica, acredito que é um tema muito importante para minha formação."

- Magna Pereira De Souza

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Enfermagem e Envelhecimento:As repercussões da negação da dignidade humana

    Enfermagem e Envelhecimento:As repercussões da negação da dignidade humana

    KEITE HELEN DOS SANTOS
    LILIAN KÉLER BARBOSA DE SOUZA

  • Introdução

    Introdução

    Os estudos realizados sobre velhice trabalham com conteúdos que explicam a construção social do idoso, bem como a forma como ele se enxerga. Estes conteúdos podem interferir no bem- estar dos sujeitos, visto que a concepção de saúde/ doença, envelhecimento saudável, entre outras variáveis que influenciam no bem- estar são construções sociais.
    Na sociedade que envelhece observa-se uma antinomia: ao mesmo tempo em que se estimula o prolongamento da vida pouco se valoriza o ser que envelhece. A pessoa deve ser longeva, preservando o vigor e o frescor da juventude. Sabe-se que esta é uma luta fadada ao insucesso. Não há como evitar o desgaste e a decadência do corpo da pessoa que envelhece, assim como o de qualquer outro ser vivo.

  • A velhice na história

    A velhice na história

    A velhice foi vista de forma diversa conforme os diferentes momentos na história. Não se pode compreender a realidade e o significado da velhice sem que se examine o lugar, a posição destinada aos velhos e que representação se faz deles em diferentes tempos e em diferentes lugares.
    Humanidade primitiva:os povos viviam em cavernas e andavam em busca de alimento, o qual era obtido da terra. Aqueles que não agüentavam esse modo de vida acabavam por ficar pelo caminho.

  • A velhice na história

    A velhice na história

    Em um segundo momento encontram-se os povos que plantavam e criavam animais:o patriarca exercia papel primordial e tinha a admiração de todos.
    Em um terceiro momento ocorreu a formação de sociedades mantidas por um conjunto de normas e valores.A religião integra o meio social(PALMA; SCHONS, 2000 ).
    Revolução Industrial: a expansão do capitalismo desmembrou as sociedades. Constata-se uma inversão de valores, instalar-se o conceito negativo de velhice:o velho, improdutivo economicamente, passa a perder espaço.

  • Fundamentos epistemológicos

    Fundamentos epistemológicos

    A que tipo de ciência corresponde a gerontologia? Trata-se de ciência formal, fatual, ou ela seria considerada como “ciência técnica”, com um campo específico de aplicações incorporando subsídios técnicos e científicos de outros ramos da ciência, com as quais se relaciona e ao mesmo tempo elaborando seu “corpus teórico” independente e autônomo?
    Essa interdisciplinaridade constitutiva e emergente propicia um conhecimento mais completo, com novas descobertas, nova visão e novas possibilidades de ação.

  • Pensando a idade

    Pensando a idade

    O que são os velhos para a sociedade? E o que e a sociedade para os idosos? Que significa ter determinada idade? Ser parte de uma geração?
    Segundo Edith Motta, : “o problema dos velhos é a rejeição social. A gente sabe que muitas famílias rejeitam seus velhos, não a minha nem a sua, mas as outras.” (BARROS,2007)
    Segundo Marie-Louisse (72 anos): “eu acho que a velhice vem sempre acompanhada da solidão, mesmo que seja moral. Mesmo no meio dos filhos, penso que estamos sempre um pouco solitários. A gente não participa mais...Mais a gente envelhece, mais a gente esta só. A gente se sente só no meio da multidão. Terrivelmente. Onde a gente se sente menos só e na casa da gente”. (BARROS,2007)

  • Panorama mundial da velhice

    Panorama mundial da velhice

    Em razão de vários fatores de ordem social, econômica, cultural e circunstancial, a população tem atingido faixas etárias mais elevadas, constatando-se uma sociedade de idosos, com uma mudança no perfil demográfico.
    O panorama demográfico mundial tem demonstrado mudanças nos últimos anos, influenciadas pelo declínio das taxas de fertilidade e mortalidade, apresentando uma maior longevidade da população. Segundo o IBGE (2000) e dados da Organização Mundial de Saúde até 2025 o Brasil será o sexto país do mundo com o maior número de pessoas idosas.

  • Panorama mundial da velhice

    Panorama mundial da velhice

    Diante da realidade atual, abre-se um novo campo de discussões sociais e socioculturais no país, Gandolpho e Ferrari (2006) citam que o processo de envelhecimento traz consigo algumas implicações que requerem além do cuidado por parte dos membros da família, também de políticas públicas que visem assegurar serviços de modo a atender a este novo perfil de população.
    Não trata-se apenas da redimensionar políticas públicas, esses idosos também dependem de ações morais, que podemos encontrar na bioética. Esta como norteadora de questões éticas traz princípios que enunciam as regras que norteiam o respeito pela dignidade humana.

  • Panorama mundial da velhice

    Panorama mundial da velhice

    Em determinadas sociedades, a tradição e a experiência do trabalhador mais velho são desvalorizados frente à flexibilização, a rapidez e o acúmulo de conhecimento do mais jovem, onde a necessidade constante de renovação coloca os indivíduos numa posição de valores inverso com a idade.
    No Brasil 27% dos idosos são responsáveis por mais de 90% do rendimento familiar em suas casas, divergindo assim da afirmativa que todo idoso é dependente (IBGE, 2000). Mas podemos perceber que boa parte dos idosos realmente depende da família com quem vive, sendo uma variável relacionada a fatores econômicos e culturais.

  • Velhice e dignidade

    Velhice e dignidade

    A diferença entre o "novo" e o "velho" está em uma regra aparentemente cruel do mercado: enquanto os jovens representam consumidores para a vida toda, merecendo todas as atenções, o idoso é visto como um consumidor terminal, em quem não compensa mais investir.
    Em países como o Brasil a grande maioria dos idosos interrompe sua vida de trabalho com uma aposentaria miserável ou sem aposentadoria alguma,acabando por ficar na dependência de outros familiares, cujas necessidades e preocupações são outras, ou, mais freqüentemente, ficam sozinhos sem condições físicas e financeiras de se proporcionar uma vida com um mínimo de dignidade.

  • A perda da dignidade X Abuso dos idosos

    A perda da dignidade X Abuso dos idosos

    A questão do abuso em velhos começou a ser discutida na área da saúde a partir da metade da década de 1970. Em 1975, foi publicada uma carta denunciando esta situação em uma revista científica de grande respeitabilidade.
    A caracterização de abuso foi utilizada inicialmente apenas para situações de dano físico intencional atingindo pessoas com mais de 65 anos, ou seja, maus tratos com lesões corporais. Posteriormente, a caracterização de abuso passou a incluir outras ações que podem gerar danos psicológicos, sociais e financeiros. A omissão também passou a ser considerada como abuso.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Enfermagem e Envelhecimento:As repercussões da negação da dignidade humana
  • Introdução
  • A velhice na história
  • Fundamentos epistemológicos
  • Pensando a idade
  • Panorama mundial da velhice
  • Velhice e dignidade
  • A perda da dignidade X Abuso dos idosos
  • Autonomia, Tomada de Decisão e Envelhecimento
  • A família, a sociedade e o envelhecimento
  • A pessoa idosa na dimensão relacional e moral
  • O processo de envelhecimento e seu estudo antropológico
  • A bioética e o envelhecimento
  • O papel da enfermagem e o envelhecimento
  • Reflexão acerca do filme: “Meu pai, uma lição de vida”
  • Conclusão
  • REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS