Curso Online de Pilates na Gravidez

Curso Online de Pilates na Gravidez

As mudanças que ocorrem na gestação não são apenas hormonais e emocionais, são também posturais. À medida que avança, as alterações em mú...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Mais de 100 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

As mudanças que ocorrem na gestação não são apenas hormonais e emocionais, são também posturais. À medida que avança, as alterações em músculos, articulações e coluna vertebral também progridem.

O método Pilates é um programa de exercícios que pode trazer conforto à gravidez e ao parto, com foco na estabilidade da musculatura postural e do assoalho pélvico e no fortalecimento e alongamento suave dos músculos. Melhora a concentração, a força postural, o equilíbrio, a coordenação e a qualidade dos movimentos, sem sobrecarregar as articulações. Consequentemente auxiliará a prevenir as dores lombares, ombros caídos e tensão no pescoço. Os trabalhos científicos sobre Pilates na gestação são, na sua maioria, realizados pela área da Fisioterapia; sendo raros os estudos pela Obstetrícia.

Além do estrogênio e da progesterona, outro hormônio, chamado relaxina também se eleva. A relaxina proporciona maior mobilidade aos ligamentos, permitindo a estabilidade das articulações. As articulações que conectam os ossos da pelve tornam-se mais frouxas e alongadas, preparando-se para o parto. Contudo, a estabilidade articular é reduzida. O método Pilates incentiva o controle muscular postural, que compensa os ligamentos enfraquecidos, ajudando a evitar os problemas comuns nas articulações e a tensão lombar. As técnicas de respiração trabalhadas no Pilates também ajudam a relaxar e respirar com mais eficiência, induzindo a calma e reduzindo de forma eficaz os níveis do cortisol, que é o hormônio do estresse.

A freqüência cardíaca da grávida não é elevada pelos exercícios específicos de Pilates, direcionados para gestantes. Os movimentos do método Pilates ajudam a melhorar a circulação, principalmente nos membros inferiores e reduzem a tensão na parte superior das "costas" e nos ombros, ocasionados pelo aumento das mamas. No método Pilates, o equilíbrio do tronco é fornecido pelos músculos abdominais, principalmente o transverso do abdômen, o qual emerge da pelve e se infiltra na caixa torácica e no diafragma, envolvendo o tórax como uma cinta larga. Um músculo transverso fortalecido evitará que a pelve se desloque muito para frente, causando desconforto na região lombar inferior durante os estágios finais da gravidez. Este também é o principal músculo usado durante o trabalho de parto normal.

Outro grupo de músculos importantes durante a gestação, que é trabalhado pelo método Pilates, são os do assoalho pélvico. Esses agem como uma espécie de rede, passando do osso púbico na frente da pelve para o cóccix nas costas e saindo em cada lado do ísquio (ossos de sentar). A uretra, a vagina e o ânus separam esta faixa de músculo semelhante a uma rede. Ao redor da uretra, da vagina e do ânus, existe um músculo em forma de "8" chamado pubococcígeo. Fortalecer este músculo é fundamental para prevenir possíveis problemas nos intestinos e bexiga.

Fisioterapeuta formado pela Escola Superior da Amazônia (ESAMAZ), Pós-Graduando em Fisioterapia Traumato-Ortopédica (CBES).



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • pilates na gravidez

  • algumas informações:

    nossos cursos não possuem avaliação;
    oferecemos tais cursos como forma de atualização e, também para ajudar os acadêmicos (carga horária) em suas atividades complementares que são exigidas pelo mec;
    esperamos contribuir no aumento de seus conhecimentos;
    este curso possui 26 slides.

  • Há  tempos atrás, a gravidez era considerada como sendo o período em que a mulher precisava ter certos cuidados hoje considerados fora de propósito. Mulheres em período gestacional recebiam orientações quanto a permanecer em repouso, evitar esforços físicos, e alimentar desejos extravagantes, além de liberdade para abusar de alimentos pouco saudáveis, gordurosos e doces. Agora, a palavra de ordem é gravidez saudável; o culto ao corpo de forma moderada é até benéfico. As recomendações, não somente para gestantes, mas para todas as pessoas em geral, são cultivar bons hábitos que incluem: alimentação balanceada e exercícios físicos moderados, mas constantes, que garantam uma melhor qualidade de vida durante e depois da gravidez.

    há  tempos atrás, a gravidez era considerada como sendo o período em que a mulher precisava ter certos cuidados hoje considerados fora de propósito. mulheres em período gestacional recebiam orientações quanto a permanecer em repouso, evitar esforços físicos, e alimentar desejos extravagantes, além de liberdade para abusar de alimentos pouco saudáveis, gordurosos e doces. agora, a palavra de ordem é gravidez saudável; o culto ao corpo de forma moderada é até benéfico. as recomendações, não somente para gestantes, mas para todas as pessoas em geral, são cultivar bons hábitos que incluem: alimentação balanceada e exercícios físicos moderados, mas constantes, que garantam uma melhor qualidade de vida durante e depois da gravidez.

    pilates na gravidez:

  • As grávidas devem ser preparadas com o objetivo de vivenciar a gravidez e a experiência do parto como um processo fisiológico natural. Isso envolve uma série de cuidados, medidas e atitudes que ultrapassam os procedimentos clínicos rotineiros, abrangendo, desde as informações mais simples até orientações específicas, o preparo físico e psíquico, a inclusão do companheiro durante a gravidez, parto e puerpério. Estas atividades servem para complementar os atendimentos realizados nas consultas médicas, diminuindo as ansiedades e os medos, deixando-as mais confiantes e saudáveis.

    as grávidas devem ser preparadas com o objetivo de vivenciar a gravidez e a experiência do parto como um processo fisiológico natural. isso envolve uma série de cuidados, medidas e atitudes que ultrapassam os procedimentos clínicos rotineiros, abrangendo, desde as informações mais simples até orientações específicas, o preparo físico e psíquico, a inclusão do companheiro durante a gravidez, parto e puerpério. estas atividades servem para complementar os atendimentos realizados nas consultas médicas, diminuindo as ansiedades e os medos, deixando-as mais confiantes e saudáveis.

    introdução:

  • A QUEM SE RECOMENDA A PRÁTICA DE PILATES? Todas as mulheres grávidas sem contra-indicação médica para a prática de exercício físico podem praticar Pilates Clínico a partir do 2º trimestre. “O Pilates não é recomendado nos casos de gestantes com descolamento prematuro da placenta, sangramento vaginal persistente, pré-eclâmpsia, doença cardíaca grave, hipertensão pela gravidez e atraso do crescimento intra-uterino”, indica Ana Domingos. Ainda, as futuras mães que apresentam doença pulmonar restritiva, cérvix incompetente, gestação múltipla de risco, hemorragias persistentes no 2º e 3º trimestre, placenta prévia depois das 26 semanas de gravidez, trabalho de parto prematuro durante a atual gravidez também não podem recorrer a esta prática.

    a quem se recomenda a prática de pilates? todas as mulheres grávidas sem contra-indicação médica para a prática de exercício físico podem praticar pilates clínico a partir do 2º trimestre. “o pilates não é recomendado nos casos de gestantes com descolamento prematuro da placenta, sangramento vaginal persistente, pré-eclâmpsia, doença cardíaca grave, hipertensão pela gravidez e atraso do crescimento intra-uterino”, indica ana domingos. ainda, as futuras mães que apresentam doença pulmonar restritiva, cérvix incompetente, gestação múltipla de risco, hemorragias persistentes no 2º e 3º trimestre, placenta prévia depois das 26 semanas de gravidez, trabalho de parto prematuro durante a atual gravidez também não podem recorrer a esta prática.

  • OS BENEFÍCIOS: A modalidade alonga e fortalece a musculatura, principalmente a de abdômen, glúteos e parte inferior das costas, considerada o centro de força do corpo e responsável pela sustentação da coluna vertebral.

    os benefícios: a modalidade alonga e fortalece a musculatura, principalmente a de abdômen, glúteos e parte inferior das costas, considerada o centro de força do corpo e responsável pela sustentação da coluna vertebral.

  • PILATES ALIVIA DESCONFORTOS DA GRAVIDEZ: A prática evita a dor nas costas, alivia inchaços nas pernas e ainda colabora para um parto mais tranqüilo. O corpo muda rapidamente durante a gestação, o que causa desconforto, dores e má postura. Mas tudo isso pode ser amenizado com o método de condicionamento físico Pilates. Desde que não haja contra indicação médica, as grávidas podem começar o exercício logo depois do terceiro mês de gestação e manter a prática até o final do sétimo.

    pilates alivia desconfortos da gravidez: a prática evita a dor nas costas, alivia inchaços nas pernas e ainda colabora para um parto mais tranqüilo. o corpo muda rapidamente durante a gestação, o que causa desconforto, dores e má postura. mas tudo isso pode ser amenizado com o método de condicionamento físico pilates. desde que não haja contra indicação médica, as grávidas podem começar o exercício logo depois do terceiro mês de gestação e manter a prática até o final do sétimo.

  • Os exercícios de alongamentos devem ser priorizados, pois na gravidez, em função do aumento abdominal, o peso da mulher se desloca todo para a frente, alterando o seu centro de gravidade, aumentando a curvatura fisiológica da coluna, e causando dores. O Pilates auxiliará a gestante no período pós-parto, facilitando o retorno mais rápido do abdômen, e diminuindo a flacidez. .

    os exercícios de alongamentos devem ser priorizados, pois na gravidez, em função do aumento abdominal, o peso da mulher se desloca todo para a frente, alterando o seu centro de gravidade, aumentando a curvatura fisiológica da coluna, e causando dores. o pilates auxiliará a gestante no período pós-parto, facilitando o retorno mais rápido do abdômen, e diminuindo a flacidez. .

  • SINAIS DE ALARME QUE INDICAM QUE SE DEVE PARAR DE PRATICAR PILATES: - Dor abdominal intensa - Contracções uterinas - Diminuição da actividade fetal - Tonturas - Dor de cabeça ou no peito - Sudação repentina nas mãos, tornozelos ou face - Edema, dor ou vermelhidão nas pernas (flebite) - Hemorragia vaginal

    sinais de alarme que indicam que se deve parar de praticar pilates: - dor abdominal intensa - contracções uterinas - diminuição da actividade fetal - tonturas - dor de cabeça ou no peito - sudação repentina nas mãos, tornozelos ou face - edema, dor ou vermelhidão nas pernas (flebite) - hemorragia vaginal

  • CUIDADOS NA GRAVIDEZ PARA UMA MELHORA DE VIDA: A manutenção da saúde é um aspecto importante nos cuidados pré-natais. A participação da grávida nos cuidados pré-natais garante, assim, um reconhecimento imediato das respostas indesejáveis à gravidez. Os fisioterapeutas no seu papel de educadores fornecem às utentes a informação necessária para a adaptação de medidas de cuidados de saúde. .

    cuidados na gravidez para uma melhora de vida: a manutenção da saúde é um aspecto importante nos cuidados pré-natais. a participação da grávida nos cuidados pré-natais garante, assim, um reconhecimento imediato das respostas indesejáveis à gravidez. os fisioterapeutas no seu papel de educadores fornecem às utentes a informação necessária para a adaptação de medidas de cuidados de saúde. .

  • As infecções do trato urinário, quer sejam sintomáticas ou não, constituem um risco para a mãe e para o feto, sendo portanto a prevenção destas infecções essencial.

    as infecções do trato urinário, quer sejam sintomáticas ou não, constituem um risco para a mãe e para o feto, sendo portanto a prevenção destas infecções essencial.

    infecções do trato urinário:

    sexo feminino; • gravidez: há uma diminuição das defesas da mulher; além disso, durante a gestação há um aumento da progesterona (um dos hormônios femininos), o que causa um relaxamento maior da bexiga e favorece a estase urinária; • hábitos de higiene inadequados; • diabetes; • climatério: as alterações do organismo da mulher favorecem o desenvolvimento de itu;


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Há  tempos atrás, a gravidez era considerada como sendo o período em que a mulher precisava ter certos cuidados hoje considerados fora de propósito. Mulheres em período gestacional recebiam orientações quanto a permanecer em repouso, evitar esforços físicos, e alimentar desejos extravagantes, além de liberdade para abusar de alimentos pouco saudáveis, gordurosos e doces. Agora, a palavra de ordem é gravidez saudável; o culto ao corpo de forma moderada é até benéfico. As recomendações, não somente para gestantes, mas para todas as pessoas em geral, são cultivar bons hábitos que incluem: alimentação balanceada e exercícios físicos moderados, mas constantes, que garantam uma melhor qualidade de vida durante e depois da gravidez.
  • As grávidas devem ser preparadas com o objetivo de vivenciar a gravidez e a experiência do parto como um processo fisiológico natural. Isso envolve uma série de cuidados, medidas e atitudes que ultrapassam os procedimentos clínicos rotineiros, abrangendo, desde as informações mais simples até orientações específicas, o preparo físico e psíquico, a inclusão do companheiro durante a gravidez, parto e puerpério. Estas atividades servem para complementar os atendimentos realizados nas consultas médicas, diminuindo as ansiedades e os medos, deixando-as mais confiantes e saudáveis.
  • A QUEM SE RECOMENDA A PRÁTICA DE PILATES? Todas as mulheres grávidas sem contra-indicação médica para a prática de exercício físico podem praticar Pilates Clínico a partir do 2º trimestre. “O Pilates não é recomendado nos casos de gestantes com descolamento prematuro da placenta, sangramento vaginal persistente, pré-eclâmpsia, doença cardíaca grave, hipertensão pela gravidez e atraso do crescimento intra-uterino”, indica Ana Domingos. Ainda, as futuras mães que apresentam doença pulmonar restritiva, cérvix incompetente, gestação múltipla de risco, hemorragias persistentes no 2º e 3º trimestre, placenta prévia depois das 26 semanas de gravidez, trabalho de parto prematuro durante a atual gravidez também não podem recorrer a esta prática.
  • OS BENEFÍCIOS: A modalidade alonga e fortalece a musculatura, principalmente a de abdômen, glúteos e parte inferior das costas, considerada o centro de força do corpo e responsável pela sustentação da coluna vertebral.
  • PILATES ALIVIA DESCONFORTOS DA GRAVIDEZ: A prática evita a dor nas costas, alivia inchaços nas pernas e ainda colabora para um parto mais tranqüilo. O corpo muda rapidamente durante a gestação, o que causa desconforto, dores e má postura. Mas tudo isso pode ser amenizado com o método de condicionamento físico Pilates. Desde que não haja contra indicação médica, as grávidas podem começar o exercício logo depois do terceiro mês de gestação e manter a prática até o final do sétimo.
  • Os exercícios de alongamentos devem ser priorizados, pois na gravidez, em função do aumento abdominal, o peso da mulher se desloca todo para a frente, alterando o seu centro de gravidade, aumentando a curvatura fisiológica da coluna, e causando dores. O Pilates auxiliará a gestante no período pós-parto, facilitando o retorno mais rápido do abdômen, e diminuindo a flacidez. .
  • SINAIS DE ALARME QUE INDICAM QUE SE DEVE PARAR DE PRATICAR PILATES: - Dor abdominal intensa - Contracções uterinas - Diminuição da actividade fetal - Tonturas - Dor de cabeça ou no peito - Sudação repentina nas mãos, tornozelos ou face - Edema, dor ou vermelhidão nas pernas (flebite) - Hemorragia vaginal
  • CUIDADOS NA GRAVIDEZ PARA UMA MELHORA DE VIDA: A manutenção da saúde é um aspecto importante nos cuidados pré-natais. A participação da grávida nos cuidados pré-natais garante, assim, um reconhecimento imediato das respostas indesejáveis à gravidez. Os fisioterapeutas no seu papel de educadores fornecem às utentes a informação necessária para a adaptação de medidas de cuidados de saúde. .
  • As infecções do trato urinário, quer sejam sintomáticas ou não, constituem um risco para a mãe e para o feto, sendo portanto a prevenção destas infecções essencial.
  • GINÁSTICA HIPOPRESSIVA:
  • Exercícios de Kegel e Ginástica Abdominal Hipopressiva: . Os exercícios de Kegel reforçam os músculos que envolvem os órgãos reprodutores e desenvolvem o tónus muscular. Estes exercícios devem ser realizados no 1º semestre da gravidez e imediatamente após o parto. Para começar a fazer os exercícios de Kegel, é importante saber contrair os músculos corretos, identificando-os por um dos seguintes três métodos:
  • 1. Tentar interromper o fluxo de urina quando estiver sentada na sanita. Se o conseguir fazer, significa que está a utilizar os músculos correctos. 2. Imaginar que está a tentar impedir a saída de gases. Se sentir uma sensação de "puxar", significa que esses são os músculos correctos. 3. Deitar-se e colocar o dedo dentro da vagina. Contrair como se estivesse a tentar interromper a saída de urina. Se sentir o seu dedo apertado, significa que está a contrair o músculo pélvico correcto. Durante os exercícios de Kegel, a grávida deve contrair os músculos pélvicos durante 5 segundos e em seguida relaxar, e repetir séries de 10 a 15 de cada vez que fizer os exercícios.
  • ATIVIDADE FÍSICA NA GRAVIDEZ É IMPORTANTE: Muitos autores têm vindo a recomendar a prática de exercícios moderados durante a gravidez . A prática de actividades que condicionem fadiga e ansaço excessivo compromete a perfusão uterina e a oxigenação feto-placentária. Se uma mulher tem o hábito de praticar , marcha ou natação, pode continuar a faze-lo, no entanto deve evitar a fadiga, pois o aumento da temperatura corporal e o stress pode prejudicar o feto. Em cada dia, a grávida deve utilizar três posições: deitada, sentada e de pé, pois se utilizar as três posições, os músculos ficarão muito mais fortes . A ginástica abdominal hipopressiva inicia-se no pós-parto com o objetivo de tonificar o pavimento pélvico.
  • O exercício físico deve ser praticado regularmente, pelo menos 3 vezes por semana, de forma a melhorar o tónus muscular e aumentar ou manter os níveis de histamina. A duração deve ser entre 10 e 15 minutos e deve haver períodos de repouso durante os exercícios, de preferência em decúbito lateral esquerdo. É aconselhado beber 2 a 3 copos de água após o exercício.
  •   CUIDADOS POSTURAIS E RELAXAMENTO PARA NÃO PREJUDICAR A COLUNA: Muitas das adaptações maternas à gravidez predispõem dores lombares e possíveis lesões, devido à alteração do centro de gravidade. As articulações da pelve relaxam ficando mais flexíveis e o esforço concentra-se na musculatura abdominal. Uma postura e uma mecânica corporal deficientes contribuem para o desconforto e potenciam a possibilidade de ocorrerem lesões. No sentido de melhorar a postura, podem realizar-se as seguintes atividades.
  • PARTO FORTALECIDO COM MÉTODO PILATES: . "Além do estrogênio e da progesterona, outro hormônio, chamado relaxina também se eleva na gravidez. A relaxina proporciona maior mobilidade aos ligamentos, permitindo a estabilidade das articulações", explica a médica. "As articulações que conectam os ossos da pelve tornam-se mais frouxas e alongadas, preparando-se para o parto. Contudo, a estabilidade articular é reduzida“, segundo Dra. Juliana. . O método Pilates incentiva o controle muscular postural, que compensa os ligamentos enfraquecidos, ajudando a evitar os problemas comuns nas articulações e a tensão lombar. As técnicas de respiração trabalhadas no Pilates também ajudam a relaxar e respirar com mais eficiência, induzindo a calma e reduzindo de forma eficaz os níveis do cortisol, que é o hormônio do estresse. .
  • A importância dos exercícios para o Assoalho pélvico: Entre os 500 exercícios do Pilates, cerca de 200 são indicados para a mulher gestante. Outro grupo de músculos importantes durante a gestação que é trabalhado pelo Pilates são os do assoalho pélvico. Esses agem como uma espécie de rede, passando do osso púbico na frente da pelve para o cóccix nas costas e saindo em cada lado do ísquio.
  • As gestantes só devem praticar Pilates com acompanhamento profissional. Alguns exercícios.
  • Exercício 3 Esse movimento mobiliza a coluna e aciona a musculatura glútea e da parte posterior da coxas, o que auxilia na prevenção de dores na coluna e fortalece as pernas.
  • Exercício5 Institutos especializados em Pilates usam aparelhos para a execução dos movimentos. Este exercício alonga toda a parte posterior da coluna.
  • Exercício 7 O aparelho, encontrado em institutos especializados em Pilates, permite um movimento que fortalece os membros superiores e musculatura do tronco
  • Exercício 9 Glúteos, coxa e panturrilha também recebem atenção especial nos exercícios de Pilates. Os exercícios devem sempre ser feitos pela gestante acompanhada de um instrutor especializado.