Curso Online de CONTRATOS INTERNACIONAIS 2
5 estrelas 2 alunos avaliaram

Curso Online de CONTRATOS INTERNACIONAIS 2

  Neste curso vamos aprender sobre: Princípios das leis de Contrato Europeia. Convenção de Roma 1980 Acordos de Arbitragem e Acordos ...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 7 horas

De: R$ 80,00 Por: R$ 55,00
(Pagamento único)

Mais de 200 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

  Neste curso vamos aprender sobre:

Princípios das leis de Contrato Europeia. Convenção de Roma 1980
Acordos de Arbitragem e Acordos de Mediação
Cláusulas de Arbitragem e Cláusulas de Jurisdição restritas.
Lei Modelo da UNCITRAL para o comércio eletrônico.
Convenção das Nações Unidas para Vendas de Produtos

TSS - Troubleshooting Strategist; Consultor em Pesquisa Institucional (E-mec/Inep); Educador e Professor; Palestrante, Autor e Advogado, OAB/MG 94.245. Consultor na área de TSS: Troubleshooting Strategy em Desenvolvimento Educacional, Incremento Profissional, Treinamentos Motivacionais, Recursos Humanos, Neurolinguística, Coaching e Mentoring para colaboradores, profissionais e estudantes, com sólida vivência como palestrante, elaborando e ministrando cursos diversos na formação de líderes, por uma busca constante pela excelência em resultados de curto, médio e longo prazos. http://2013ricardoaugusto.wix.com/svrge


- Alexandre José De Paula

- Victor Hugo Monteiro E Centi

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • CONTRATOS
    INTERNACIONAIS 2

  •   Neste curso vamos aprender sobre:

    Princípios das leis de Contrato Europeia. Convenção de Roma 1980
    Acordos de Arbitragem e Acordos de Mediação
    Cláusulas de Arbitragem e Cláusulas de Jurisdição restritas.
    Lei Modelo da UNCITRAL para o comércio eletrônico.
    Convenção das Nações Unidas para Vendas de Produtos

  • Numa noção preliminar, o comércio internacional é aquele que ultrapassa as fronteiras de um único Estado. De igual modo, numa primeira e muito intuitiva noção, o direito do comércio internacional será o conjunto de normas que rege todos os aspectos da vida das empresas quando, na sua actividade ou na sua existência, estabeleçam ligações com mais do que um Estado. As noções muito vagas que acabamos de dar logo nos deixam entrever serem muitos e de diversa índole os problemas jurídicos que o comércio internacional suscita. Tal como se infere que as normas jurídicas que confluem ou podem confluir na resolução desses problemas têm natureza diversificada e proteiforme.

    Fundamentos do Direito Comercial Internacional: Convenção de Roma

  • Com efeito, podem interferir no regime das trocas internacionais, tanto normas de direito privado – as relativas ao estatuto da empresa e dos seus dirigentes, à respectiva capacidade para a prática de actos fora das fronteiras do país a que pertencem, à validade desses actos, etc. – como normas de direito público – relativas, por exemplo, ao direito da concorrência e aos direitos dos estrangeiros. De outra perspectiva, convergem nessa regulamentação dos problemas do comércio internacional disposições oriundas de fontes diversas: leis estaduais, actos comunitários, tratados internacionais, regras consuetudinárias, etc. Mostrando-se impossível abarcar nos limites deste trabalho toda a sorte de problemas jurídicos implicados pelo comércio internacional, iremos concentrar-nos, como acima foi dito, em apenas alguns deles, tendo especialmente em vista tão-somente as relações internacionais de carácter privado.

    Fundamentos do Direito Comercial Internacional: Convenção de Roma

  • Os conflitos de leis e os modos de os resolver
    Se as relações comerciais internacionais se projectam para além das fronteiras de um único Estado, decorrendo sob a égide de ordens jurídicas estaduais diferentes, o primeiro problema jurídico que as mesmas colocam é, precisamente, o dos «conflitos de leis (no espaço)». Este problema é originado pela circunstância de as ordens jurídicas dos diferentes países divergirem na regulamentação das situações concretas da vida. Assim, por exemplo, caso surja um diferendo a respeito da interpretação ou execução de um contrato de fornecimento de matérias- primas celebrado entre a empresa A, sediada em Portugal, e a empresa B, estabelecida em Inglaterra, tal diferendo pode ser resolvido de forma diferente consoante seja aplicado ao caso o direito português ou, pelo contrário, o direito inglês.

    Fundamentos do Direito Comercial Internacional: Convenção de Roma

  • Os conflitos de leis e os modos de os resolver
    Alude-se, pois, à diversidade das «normas jurídicas materiais» dos diferentes sistemas jurídicos, ou seja, daquelas normas que regulam as situações concretas, que nos dão resposta para os problemas do dia-a-dia. Mas, como é lógico, os conflitos entre normas materiais oriundas de sistemas jurídicos diferentes são, muitas vezes, tão-só conflitos potenciais, pois não está excluído que, na sua aplicação aos casos concretos da vida, tais normas apresentem soluções idênticas. Estas normas materiais, quando são editadas pelos legisladores nacionais, têm sobretudo em vista resolver os problemas que se colocam internamente, dentro das fronteiras do Estado que as promulga. Porém, à partida, nada obsta a que elas possam ser aplicadas a situações «internacionais», situações que estão em contacto com mais do que uma ordem jurídica.

    Fundamentos do Direito Comercial Internacional: Convenção de Roma

  • Os conflitos de leis e os modos de os resolver
    Está bem de ver que à resolução de uma dada questão jurídica, suscitada por uma relação privada internacional, se não podem aplicar todas as leis que com essa relação tenham um qualquer contacto de natureza espacial. Deverá antes seleccionar-se uma dessas leis, reconhecendo-se-lhe competência para resolver a referida questão jurídica. Tradicionalmente, tal selecção é feita por uma regra de conflitos (de leis), uma norma jurídica que tem precisamente por função dizer qual das leis em contacto com a situação é competente para a regular. Tais regras de conflitos existem em todos os ordenamentos jurídicos e a sua interpretação e aplicação levantam problemas delicados. Mas não faltam vozes que propugnam outros modos de resolver os conflitos entre as leis dos diferentes países.

    Fundamentos do Direito Comercial Internacional: Convenção de Roma

  • Os conflitos de leis e os modos de os resolver
    Aliás, a melhor forma de os resolver seria, naturalmente, eliminá-los, mediante a uniformização ou harmonização de todas as leis do mundo. Todavia, na ausência de um legislador internacional, dotado de reais poderes para impor o acatamento dos seus preceitos pelos órgãos legislativos e jurisdicionais de cada Estado, tal tarefa só limitadamente poderá conduzir a resultados positivos, em geral através da adesão voluntária dos Estados aos tratados que intentam a unificação do direito privado. Posto isto, não falta, como se disse, quem proponha outras vias de resolução dos conflitos de leis, para além (ou em substituição) das normas de conflitos. Uma dessas vias consistiria na adopção, por cada Estado, de regras jurídicas especificamente adaptadas às características próprias do comércio internacional.

    Fundamentos do Direito Comercial Internacional: Convenção de Roma

  • Os conflitos de leis e os modos de os resolver
    Para outros, preferível seria que as trocas internacionais fossem regidas pelas regras que os próprios comerciantes desenvolvem na sua prática comercial além-fronteiras, regras esses que resultam da observância de usos e princípios comummente adoptados pelos agentes económicos. Assim se originaria um conjunto muito heterogéneo de realidades normativas (cláusulas-tipo, modelos contratuais padronizados, regras consuetudinárias, definições de termos utilizados no comércio internacional e regras interpretativas associadas) a que se convencionou chamar lex mercatoria. Todavia, mau grado a inegável importância de todas as sugestões e tentativas que se fizeram para encontrar soluções alternativas ao método das regras de conflitos, pode-se dizer, com segurança, que estas continuam a constituir o instrumento privilegiado de resolução dos conflitos entre as leis dos diversos povos e nações

    Fundamentos do Direito Comercial Internacional: Convenção de Roma

  • O contrato como instrumento privilegiado do comércio internacional 
    Tal como sucede no plano interno, é essencialmente através de contratos que se processam as trocas de bens e as prestações de serviços no mercado internacional. Todavia, não se regista unanimidade, tanto entre os autores como nas próprias fontes normativas, acerca do que sejam contratos “internacionais”. Tal sucede porque as noções que se adoptam são tributárias dos objectivos que se têm em vista em cada caso particular. Para alguns efeitos, a noção que melhor serve os desígnios legislativos é a que assenta na diversidade de localização das partes.

    Fundamentos do Direito Comercial Internacional: Convenção de Roma

  • O contrato como instrumento privilegiado do comércio internacional 
    Assim, por exemplo, dir-se-á ser internacional o contrato que seja celebrado por agentes económicos estabelecidos (que tenham residência habitual, desenvolvam o seu comércio ou tenham estabelecimento) em países diferentes (cfr. o art. 1.º da Convenção das Nações Unidas sobre os contratos de compra e venda internacional de mercadorias). Para outros efeitos, contrato internacional é aquele que apresenta ligações (quer através dos sujeitos que o celebram, quer da localização dos bens que dele constituem objecto, quer do local onde é celebrado ou executado) com mais do que um ordenamento jurídico, podendo, por isso, originar um conflito ou concorrência de leis. Noutros casos, ainda, identifica-se o contrato internacional pela natureza dos interesses que põe em causa: os interesses do comércio internacional

    Fundamentos do Direito Comercial Internacional: Convenção de Roma


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 55,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Princípios das leis de Contrato Europeia. Convenção de Roma 1980
  • Acordos de Arbitragem e Acordos de Mediação
  • Cláusulas de Arbitragem e Cláusulas de Jurisdição restritas.
  • Lei Modelo da UNCITRAL para o comércio eletrônico.
  • Convenção das Nações Unidas para Vendas de Produt