Curso Online de VOCAÇÃO PROFISSIONAL E SUAS ÂNCORAS DE CARREIRA
5 estrelas 1 aluno avaliou

Curso Online de VOCAÇÃO PROFISSIONAL E SUAS ÂNCORAS DE CARREIRA

Este curso é dividido em 2 partes (Vocação Profissional) e (Âncoras de Carreira) possibilita ao aluno direcionar a carreira e suas vocaçõ...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

De: R$ 70,00 Por: R$ 47,00
(Pagamento único)

Mais de 20 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Este curso é dividido em 2 partes (Vocação Profissional) e (Âncoras de Carreira) possibilita ao aluno direcionar a carreira e suas vocações para determinadas áreas dentro de sua área profissional, de acordo com sua personalidade. Através dos testes descubra suas habilidades.

Administrador de Empresas


- Angela Vieira

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • DESCUBRA SUA VOCAÇÃO PROFISSIONAL E SUAS ÂNCORAS DE CARREIRA

    DESCUBRA SUA VOCAÇÃO PROFISSIONAL E SUAS ÂNCORAS DE CARREIRA

  • CONSTRUÇÃO DAS HABILIDADES

    CONSTRUÇÃO DAS HABILIDADES

    O cérebro de um recém-nascido é dotado apenas da capacidade de manter as funções vitais, como o controle da temperatura corporal e dos batimentos cardíacos. Todas as outras habilidades são aprendidas, e o cérebro precisa de treinamento para desenvolvê-las. Conforme a habilidade. Há períodos mais propícios para a sua aquisição. Se bem explorados eles potencializam na infância as aptidões que podem fazer toda a diferença no futuro.

    O que acontece com o cérebro:
    Linguagem: Período do nascimento aos 10 anos
    Conversar com a criança desde o nascimento estimula as conexões neurais responsáveis pela linguagem. Quanto mais estímulos verbais ela receber mais rico será o seu vocabulário. O estudo de línguas entre os 4 e os 10 anos é quatro vezes mais proveitoso do que em idades mais avançadas.

  • Percepção espacial: Período dos 5 aos 10 anos
    Com a especialização dos hemisférios cerebrais, as crianças desenvolvem o sentido de direção e aprimoram a coordenação motora e a percepção do próprio corpo no espaço. A prática de exercícios físicos contribui para o domínio dos movimentos.

    Raciocínio Lógico: Período dos 2 aos 10 anos
    O raciocínio lógico, essencial nas carreiras cuja base é a matemática e a geometria, pode ser desenvolvido também por meio do aprendizado da música. Crianças que têm aulas de música, sobretudo erudita saem-se melhor na resolução de problemas aritméticos, por exemplo.

    Emoção: Período do nascimento á puberdade
    Os circuitos cerebrais responsáveis pelo controle das emoções podem ser estimulados das mais diversas maneiras por meio das brincadeiras entre pais e filhos e das medidas disciplinares. Uma criança saudável emocionalmente tende a se tornar um adulto autoconfiante, independente e capaz de lidas com as frustrações.

  • DESCUBRA SUA VOCAÇÃO PROFISSIONAL

    DESCUBRA SUA VOCAÇÃO PROFISSIONAL

    Como nasce uma vocação?

    Gênios como o compositor Wolfgang Amadeus Mozart (1756 – 1791) ou o físico Albert Einstein (1878 – 1955), que parecem ter sido modelados no útero materno para seguir o seu caminho profissional, não somam nem 5% da população. Para a esmagadora maioria das pessoas, a escolha da área em que se formar e trabalhar é um processo marcado por dúvidas e, consequentemente, angústia. Dá para evitá-las? Sejamos claros: não. Mas é possível atenuá-las e sair do impasse rapidamente, ai ter em mente que para escolher sua carreira você deve levar em conta não só suas habilidades, mas o interesse despertado pelas atividades a elas relacionadas e o sentimento de realização que a sua pratica pode proporcionar. Um contraexemplo: por motivos neurológicos, que músicos, portanto gostam de resolver problemas de cálculo vai uma longa distância. Ou seja, vocação é expressão de uma aptidão, sim, mas desde que concretizada com prazer e criatividade. Como ela nasce? “Da combinação entre a genética, pois os genes determinam a propensão para atividades especificas, e o ambiente em que se cresceu”, diz o médico Abram Topczewski, neuropediatra do Hospital Albert Einstein, em São Paulo.

  • É na infância, principalmente, que as bases biológicas das habilidades são estimuladas e esculpidas, afirma o neuropediatra Mauro Muszkat, pesquisador da Universidade Federal de São Paulo. A família e a condição socioeconômica tem um peso enorme nesse processo. Quanto mais espaço a criança e o jovem tiverem para experimentar e expressar seus gostos tanto melhor.

    Sem ambiente favorável, não há como as aptidões genéticas florescerem – e para ficar no lugar comum, também nesse caso as exceções só confirmam a regra. Conforme a área, existem períodos na infância mais propícios para dar início ao desenvolvimento de determinadas habilidades.

  • No entanto, o desenvolvimento é um aspecto que ocorre durante toda a vida de um ser humano. Assim como são grandes as alterações físicas que ocorrem nas crianças e nos adolescentes, as mudanças de atitudes, crenças e habilidades também sofrem transformações no decorrer de toda a existência de um indivíduo.

    Da mesma maneira que os pequenos aprendem tarefas bastante complexas como se locomover e se comunicar, consequência do desenvolvimento físico e mental respectivamente, os adultos têm árduas tarefas de desenvolvimento impostas pelo casamento, pela busca de um teto profissional, pela criação dos seus filhos, pela aposentadoria, pelo aumento e declínio do vigor físico e pela própria expectativa da morte.

    Assim como o desenvolvimento humano, a carreira também é composta por fases. Essas fases se valem de toda a experiência de vida que uma pessoa tem, bem como da característica individual de cada um, como sua capacidade intelectual, vitalidade e personalidade. Pensando dessa forma é natural perceber que as pessoas optam por atividades profissionais diferentes e que tem êxito diferenciado na execução das suas tarefas.

    Nem todos almejam e têm o mesmo objetivo de vida e de trabalho. Para alguns, ter a oportunidade de realizar atividades complexas e que exijam de seu raciocínio é fascinante, para outros, desenvolver uma carreira autônoma e ser empreendedor do seu próprio negócio é o que faz sentido.

    Descubra sua carreira (vocação profissional) no slide 24

  • ÂNCORAS DE CARREIRA

    ÂNCORAS DE CARREIRA


    Schein (1996,b) interessou-se por esse assunto e desenvolveu um estudo chamado de âncoras de carreira, com o objetivo de poder identificar em cada indivíduo quais áreas de interesse, valores e competências representam a inclinação profissional de uma pessoa.

    Por meio desse estudo chegou-se a conclusão de que existiam oito categorias, chamadas de âncoras ou inclinações profissionais, nas quais os indivíduos se apoiavam para construir suas carreiras, quais sejam:

    autonomia e independência;
    segurança e estabilidade;
    competência
    técnico-funcional;
    competência gerencial;
    criatividade empreendedora;
    serviço ou dedicação a
    uma causa;
    desafio;
    estilo de vida;

  • DEFINIÇÃO DE ÂNCORAS DE CARREIRA

    DEFINIÇÃO DE ÂNCORAS DE CARREIRA


    A teoria desenvolvida por Edgar Schein sobre Âncoras de Carreira tem por finalidade identificar o suporte por meio do qual o indivíduo se apoia, ou se ancora, para se desenvolver profissionalmente.

    Esse suporte pode ser a competência gerencial, a competência técnica, o desejo de sempre ser desafiado, a necessidade de se sentir seguro e estável em um emprego, entre outros.

    As âncoras de carreira refletem o autoconceito de uma pessoa, que é formado pelas suas habilidades e experiências, funcionando como uma força estabilizadora, que pode ser vista como as motivações e valores dos quais o indivíduo não desiste quando é forçado a fazer uma escolha. (TECHIMA, TSUJIMOTO e SILVA, 2005)


  • O conceito de âncoras de carreira foi desenvolvido em um estudo realizado por Edgar Schein com 44 alunos egressos do MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts) no período de 1961 a 1973. Esse estudo envolvia o acompanhamento da carreira desses egressos, identificando que tipo de trabalho e oportunidade suas carreiras proporcionavam.

    Através deste estudo e pelo depoimento dos indivíduos que participaram da pesquisa, que estudava os motivos e as razões que os levaram à mudança, Schein analisou os padrões de escolha dos sujeitos, agrupando-os em categorias distintas: 1) autonomia e independência; 2) segurança e estabilidade; 3) competência técnico-funcional; 4) competência gerencial e 5) criatividade empreendedora. Com a evolução dos seus estudos, em meados de 1980, Schein observou a necessidade de acrescentar mais três categorias, a saber: 6) serviço ou dedicação a uma causa; 7) desafio; 8) estilo de vida.


  • Dessa forma, o estudo definiu que a âncora de carreira de uma pessoa é a sua auto-imagem, que consiste na autopercepção das suas habilidades e valores. Ele relata ainda que essa autoimagem orienta e influencia toda a carreira do indivíduo, estabilizando-se como uma âncora, de tal modo que a pessoa não desistirá da sua escolha ainda que seja forçado a fazer outra escolha.

    A maioria das pessoas não é ciente das âncoras de carreira que suportam o seu desenvolvimento profissional até que sejam forçadas a fazer as escolhas que pertençam ao autodesenvolvimento, à família ou à carreira. No entanto, com a evolução da vida e da carreira, a maioria das pessoas descobre que uma dessas oito categorias é a âncora principal, ainda que outras âncoras possam interagir com esta.

    Descubra suas âncoras de carreira no slide 25

  • PRIMEIRA ÂNCORA 1ª) SEGURANÇA NO EMPREGO

    PRIMEIRA ÂNCORA 1ª) SEGURANÇA NO EMPREGO


    Essa âncora refere-se à preocupação com a estabilidade e com a garantia de emprego, segurança, benefícios e boas condições de aposentadoria.

    Segundo Schein (1996), os indivíduos ancorados nessa categoria experimentam os problemas de forma mais severa em razão da necessidade de garantir a “segurança no emprego” em meio às constantes mudanças nas políticas organizacionais das empresas. A única coisa que o ocupante da carreira realmente espera de uma organização é a oportunidade de aprender e ganhar experiência, o que o faz supostamente empregável em alguma outra organização, caso ocorra a perda do emprego. Existem muitas pessoas que sentem necessidade de se manter estável e ter uma renda adequada, o que faz com se essas pessoas busquem um bom empregador, com a intenção de permanecer com ele enquanto durar sua carreira. Muito provavelmente essas pessoas são ancoradas, de acordo com a teoria de Schein, em “Segurança e Estabilidade”.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 47,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • DESCUBRA SUA VOCAÇÃO PROFISSIONAL E SUAS ÂNCORAS DE CARREIRA
  • CONSTRUÇÃO DAS HABILIDADES
  • DESCUBRA SUA VOCAÇÃO PROFISSIONAL
  • ÂNCORAS DE CARREIRA
  • DEFINIÇÃO DE ÂNCORAS DE CARREIRA
  • PRIMEIRA ÂNCORA 1ª) SEGURANÇA NO EMPREGO
  • SEGUNDA ÂNCORA 2ª) AUTONOMIA E INDEPENDÊNCIA
  • TERCEIRA ÂNCORA 3ª) ESTILO DE VIDA
  • QUARTA ÂNCORA 4ª) APTIDÃO TÉCNICO-FUNCIONAL
  • QUINTA ÂNCORA 5ª) APTIDÃO ADMINISTRATIVA GERAL
  • SEXTA ÂNCORA 6ª) EMPREENDEDORISMO
  • SÉTIMA ÂNCORA 7ª) SERVIÇO E DEDICAÇÃO
  • OITAVA ÂNCORA 8ª) DESAFIO CONSTANTE
  • TESTE DE VOCAÇÃO DE PROFISSIONAL
  • TESTE ÂNCORAS DE CARREIRA
  • CONCLUSÃO
  • Refêrencias