Curso Online de Marketing e Gestão Empresarial

Curso Online de Marketing e Gestão Empresarial

Objetivos: curso livre para Capacitação Profissional, onde o aluno aprenderá os principais conceitos de marketing, as variáveis mercadoló...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 7 horas

Por: R$ 39,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Objetivos: curso livre para Capacitação Profissional, onde o aluno aprenderá os principais conceitos de marketing, as variáveis mercadológicas, posicionamento de mercado, plano de ação, como identificar tendências de mercado.

Formada em diversos cursos na área de Informática, Redes e Hardwares.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Marketing e Gestão Empresarial

    marketing e gestão empresarial

  • Definição de Marketing

    definição de marketing

    1.1 o que é marketing
    no dia-a-dia, é comum se ouvir a palavra marketing como sinônimo de várias outras não muito elogiosas: “aquele político não faz nada do que promete! tudo o que ele diz é puro marketing!” “eles fazem muito marketing desse biscoito, mas a gente vai comer e é uma droga” “a gente vive num mundo tão cheio de marketing que acaba comprando o que não precisa!” “foi o marketing que elegeu aquele candidato”
    “pára de fazer marketing, fulano! você não é tão bom como diz!”
    “não agüento mais tanto marketing! por que eles não são honestos e cumprem o que prometeram?” “esses marketeiros são os reis da enrolação”
    por falta de informação, as pessoas acabam ligando a palavra marketing a coisas negativas, enganadoras e fúteis. nada mais equivocado.
    vamos a um pouquinho de história para entender melhor a questão.

  • 1.1.1 Um pouco de história

    1.1.1 um pouco de história

    até bem pouco antes da revolução industrial, em meados do século xix, não havia muita oferta de produtos para comprar. a produção era basicamente artesanal e sob encomenda. se uma pessoa precisava de um sapato, ou um casaco, precisava encomendar ao artesão local que fazia esse trabalho. ele, por sua vez, tinha uma demanda garantida, uma vez que tinha poucos ou nenhum concorrente, de forma que não precisava se preocupar em angariar novos fregueses. poucas pessoas tinham acesso ao consumo e menos ainda tinham talento para produzi-los. bastava fazer o seu trabalho bem feito e pronto. seu futuro estava garantido.
    com o advento das máquinas, que começaram a produzir objetos e bens em série, as coisas começaram a mudar um pouco. os artesãos já não eram mais os “donos do mercado”, pois a indústria abastecia a população com seus produtos toscos e pouco variados, porém, a um preço mais acessível. o século xx tornou a fábrica uma realidade possível e corriqueira. as opções eram poucas e, henry ford, fabricante do primeiro carro popular, o ford t, tornou célebre a frase que descrevia como a indústria via os compradores: “as pessoas podem escolher o carro da cor que quiserem, desde que seja preto”. só depois da segunda guerra mundial é que o crescimento do número de fábricas e de produtos industrializáveis é que a figura da concorrência tornou-se uma realidade. agora já não havia mais apenas uma marca de carros, camisetas ou manteiga para comprar. a escolha começou a ser possível e os só então os fabricantes começaram a pensar em como atrair os consumidores, modos de realizar os seus desejos, maneiras de fazer o seu produto ser preferido em detrimento do de seu concorrente. eis então que surge o marketing. o fato deste conceito ser tão recente talvez explique porque ele é tão mal-entendido e porque provoca tantas confusões na cabeça das pessoas. vamos ver então as palavras que se relacionam com o assunto.

  • 1.1.2 Mas afinal, o que é marketing?

    1.1.2 mas afinal, o que é marketing?

    ok, agora já sabemos o que motivou o aparecimento deste conceito. mas o que é realmente marketing? veja a definição clássica de philip kotler, considerado pelos profissionais da área como um “guru” no assunto:
    marketing é um processo social e gerencial pelo qual indivíduos ou grupos obtêm o que necessitam e desejam através da criação, oferta e troca de produtos de valor com outros (1).
    marcos cobra, um dos estudiosos do assunto mais respeitados no brasil, descreve marketing assim:
    "marketing é uma expressão anglo-saxônica derivada da palavra mercari, do latim, que significa comércio, ou ato de mercar, comercializar ou transacionar (2)."
    mas quando você lê essas definições, não fica tentado a pensar: “ah, eu sabia que marketing era só um nome mais sofisticado para a boa e velha técnica de vendas…”?   alto lá, não se precipite em conclusões apressadas. a diferença fundamental é na abordagem. fica claro que são coisas diferentes na declaração do prof. theodore levitt, um estudioso da universidade de harvard:
    a venda focaliza-se nas necessidades do vendedor, o marketing, nas necessidades do comprador. a venda está preocupada com a necessidade do vendedor transformar o seu produto em dinheiro; o marketing, com a idéia de satisfazer as necessidades do consumidor por meio de um produto e de um conjunto de valores associados com a criação, entrega e, finalmente, seu consumo.
    outra definição, desta vez, brasileira, talvez esclareça melhor o conceito:
    marketing é a arte planejada de conquistar, encantar e manter o cliente (3).

  • 1.1.3 Então ninguém precisa se preocupar em vender?

    1.1.3 então ninguém precisa se preocupar em vender?

    é claro que é preciso vender, é disso que a empresa vive. mas não é disso que o marketing trata. é que o conceito de venda pressupõe que o consumidor mostra certa resistência em comprar e precisa ser persuadido a fazer isso. as empresas que focam toda a sua energia em vender dessa maneira têm o propósito de vender tudo o que elas conseguem produzir, em vez de vender tudo o que o mercado deseja. veja só como peter drucker, um dos mais importantes teóricos da administração vê a questão: “pode-se assumir que sempre haverá a necessidade de alguma venda. mas o propósito do marketing é tornar a venda supérflua. é conhecer e entender o consumidor de maneira que o produto se ajuste a ele e se venda sozinho. idealmente, o marketing deve resultar em um consumidor que esteja disposto a comprar. depois, será necessário apenas tornar o produto ou serviço disponível…” (4)
    __________________
    1 kotler, philip. administração de marketing. são paulo: editora atlas, 5 . edição, 1998. 2 obra, marcos henrique nogueira. marketing essencial: conceitos, estratégias e controle. são paulo: atlas, 1986.
    3 costa, jane i. p. marketing: foco no cliente e no mercado. in:ufsc. ppgep. led. especialização para gestpres de instituições de ensino técnico. florianópolis, 1998. módulo 3.
    4 drucker, peter. management: tasks, responsabilities, practices. new york: harper & row, 1973. p 64-65.

  • Conceitos sobre Marketing que Você Precisa Conhecer

    conceitos sobre marketing que você precisa conhecer

    lembre-se que a definição clássica do marketing dada por philip kotler falava em necessidades e desejos. mas como essas palavras são tratadas no contexto do marketing? veja:
    produto: do ponto de vista do marketing, produto é tudo aquilo que pode satisfazer os desejos e necessidades de um cliente. também se pode chamar o produto de oferta ou solução. o produto é constituído de 3 componentes: bem físico, serviço e idéia. quando se compra um sanduíche, por exemplo, se está comprando um bem físico (o sanduíche propriamente dito), um serviço (a preparação e o lugar para comê-lo) e uma idéia (comida rápida, economia de tempo). quando se compra um carro, o bem físico é o carro, o serviço (transporte) e a idéia (autonomia, individualidade, praticidade).

  • NECESSIDADE:

    necessidade:

    em 1943, o psicólogo abraham harold maslow publicou um trabalho que ficou conhecido no mundo inteiro que descrevia as necessidades humanas por meio de uma pirâmide. maslow definiu as necessidades fisiológicas (fome, sede, abrigo), de segurança (sobrevivência física), as de relacionamento (a aceitação pelo meio e o sentido de importância), as de estima e status (relevância, domínio, reputação, prestígio) e, por fim, as de auto-realização (desejo de conhecer, compreender, sistematizar, organizar e construir um sistema de valores). ele estabeleceu ainda que as necessidades fisiológicas (a base da pirâmide) dominam o comportamento da pessoa até que sejam satisfeitas, em seguida a segunda torna-se preponderante até que seja satisfeita, e nesta ordem até a última. as necessidades não são criadas por empresas ou pela sociedade, elas são inerentes à condição humana.

  • DESEJOS:

    desejos:

    desejos são carências por satisfações específicas para atender às necessidades. assim, se uma pessoa está com fome, a sua necessidade é de apenas alimentos. mas um americano típico, por exemplo, quando está com fome, pode pensar em um hambúrguer. já um monge tibetano pensa em algumas frutas, arroz e lentilha. quando compra um carro, pode-se pensar que a pessoa está suprindo uma necessidade de se transportar, mas, na verdade ela também quer ser aceita por um determinado grupo, quer demonstrar o seu status social, quer ser admirada. as necessidades do ser humano são poucas, porém, seus desejos são muitos. e eles são influenciados com toda a força pelas insitutições sociais: cultura, religião, família, escola, amigos, etc. o marketing trabalha principalmente com desejos.

  • DEMANDAS:

    demandas:

    demandas são desejos por produtos específicos respaldados pela habilidade e disposição em comprá-los. assim, em vez de querer um simples tênis para praticar esportes, uma pessoa quer um nike. muitas pessoas desejam um mercedes, mas muito poucas podem realmente comprá-lo. assim, a empresa deve calcular a demanda por seu produto baseada no número e no perfil de pessoas que desejam os seus produtos e que podem comprá-los.

  • MERCADOS:

    mercados:

    o mercado consiste em todos os consumidores potenciais que compartilham de uma determinada necessidade ou desejo e possuem condições de adquirir um produto que as satisfaçam. assim, para ser considerado mercado, um grupo de consumidores precisa ter o desejo, as condições financeiras e a disposição em adquirir o produto. assim, podemos falar no mercado de necessidades (ex: mercado de dietéticos), produtos (ex: mercado de calçados), demográficos (ex: mercado de jovens) e geográficos (ex: mercado brasileiro).

  • PÚBLICOS-ALVO

    públicos-alvo

    nenhuma empresa consegue satisfazer todos os desejos e necessidades em todos os mercados. assim, para conhecer bem o consumidor e adivinhar o que ele gostaria de ter, satisfazendo seus desejos e necessidades, é necessário que se delimite os mercados. só assim a comunicação atingirá o seu objetivos, usando a linguagem que aquele consumidor entende e atendendo aos seus desejos particulares. assim, públicos-alvo são sempre delimitados e têm um perfil bem definido. ex: a nova linha de batons foi concebida para mulheres acima de 30 anos, independentes, bom nível cultural e financeiro. as bermudas da marca tal atendem a jovens rapazes adolescentes, de classe média alta e praticantes de skatismo.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 39,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Marketing e Gestão Empresarial
  • Definição de Marketing
  • 1.1.1 Um pouco de história
  • 1.1.2 Mas afinal, o que é marketing?
  • 1.1.3 Então ninguém precisa se preocupar em vender?
  • Conceitos sobre Marketing que Você Precisa Conhecer
  • NECESSIDADE:
  • DESEJOS:
  • DEMANDAS:
  • MERCADOS:
  • PÚBLICOS-ALVO
  • VALOR:
  • POSICIONAMENTO:
  • Assim, vejamos o que é marketing:
  • O que o Marketing Não É
  • E mais :
  • 1.3 O marketing no Brasil
  • Variáveis Mercadológicas
  • 1.4.1 Variáveis internas
  • 1.4.2 Variáveis externas
  • AMBIENTE DEMOGRÁFICO
  • AMBIENTE ECONÔMICO:
  • AMBIENTE NATURAL: 
  • AMBIENTE TECNOLÓGICO:
  • AMBIENTE POLÍTICO E LEGAL:
  • AMBIENTE SÓCIO-CULTURAL:
  • Além desses, há outros fatores que devem ser considerados:
  • 1.4.3 Pesquisa de marketing
  • O Marketing Mix
  • 1.5.1 Produto
  • 1.5.2 Preço
  • 1.5.3 Praça
  • 1.5.4 Promoção
  • Marketing x Vendas
  • 2.1 A questão da marca
  • 2.2 Credibilidade e reputação?
  • 2.2.2 Imagem corporativa
  • 2.2.3 Reputação corporativa
  • 2.2.4 Perigos a evitar
  • Plano Estratégico de Marketing
  • 3.1 Definição do mercado-alvo
  • Sugestões:
  • 3.2 Definição do produto
  • 3.3.1 Ambiente interno
  • 3.3.2 Ambiente externo
  • Definição do Posicionamento de Mercado
  • Planejamento do Marketing Mix
  • 3.5.2 Preço
  • 3.5.3 Praça
  • 3.5.4 Promoção
  • Plano de Ação
  • Tendências de Mercado 4.1 Valorização do profissionalismo
  • 4.2 Ambiente e conservação de energia
  • 4.3 A importância do design
  • Cadeia de Impacto
  • Final do curso