Curso Online de Calculos Trabalhistas
3 estrelas 9 alunos avaliaram

Curso Online de Calculos Trabalhistas

O curso visa proporcionar a possibilidade de atualização, bem como preparação para o mercado de trabalho além de permitir ao participante...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 2 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Mais de 350 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

O curso visa proporcionar a possibilidade de atualização, bem como preparação para o mercado de trabalho além de permitir ao participante obter condições para o desenvolvimento de habilidades específicas, tendo em vista o enfoque qualitativo do curso

Graduada em Gestão de Pessoas (Unigranrio -2008), Pós-graduada em Pedagogia Empresarial (Universidade Estácio de Sá - 2011). Atua há mais de 10 anos na área de DP/RH. Sólida Experiência em: Cálculos Trabalhistas Negociação Sindical Folha de Pagamento, conciliação contábil da folha, cartão de ponto, gestão de benefícios. Cargos e Salários. Recrutamento e Seleção Aplicação de Treinamentos Gestão de Pessoas


"ACHO QUE FALTOU FOI MAIS EXPLICAÇÃO NO PASSO-A-PASSO DE UMA RESCISÃO, OU UM ESQUEMA DE PASSOS SEGUIDOS NUMA RESCISÃO DE CONTRATO E A NOVA LEI DO AVISO PRÉVIO MAIS EXPLICADO."

- Carlos Alberto Neves CarajÁ

- Karen Lima De Assis

- Cristiane Jordão De Souza

"Gostei do curso"

- Vanja Cardoso Molina Parada

"eu achei que o curso ensinaria como fazer um rescisão trabalhista"

- Valdete Maria Cunha Da Silva Fonseca

"MUITO FRACO. SUPERFICIAL."

- Patricia De Sá Costa Oliveira

- Izabella Rodrigues

"Achei muito fraco o conteúdo, realmente esperava por algo mais aprofundado e com exercícios mais complexos."

- Marcia Santos G Silva

"O "curso" dá uma noção muito superficial sobre cálculos trabalhistas. Nem dá para ser chamado de curso."

- Marcius Patrizi

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • CÁLCULOS BÁSICO TRABALHISTAS.

    cálculos básico trabalhistas.

    .

  • ficha de registro

  • a ctps é documento obrigatório para o exercício de qualquer emprego, inclusive de natureza rural, ainda que em caráter temporário, e para o exercício por conta própria de atividade profissional remunerada.
    a ctps será emitida pelas delegacias regionais do trabalho (drt).
    quando da emissão da 1ª via da ctps, o cadastramento no sistema pis-pasep será de competência das drts. assim, o trabalhador que ainda não tiver sido cadastrado no pis-pasep, quando do requerimento da 1ª ctps, apresentará à drt.

    a ctps foi instituída pelo decreto-lei nº 926/1969 em substituição à antiga carteira profissional, à carteira de trabalho do menor e à carteira profissional do trabalhador rural , havendo, portanto, uma unificação do documento de identificação profissional. assim, não importa se a atividade é urbana ou rural ou se o trabalhador é maior ou menor de idade, todos os trabalhadores têm um só documento de trabalho, a ctps.

  • anotações na ctps

    quando da contratação do trabalhador, o empregador deverá anotar, especificamente, na ctps, a data de admissão, a remuneração (especificando o salário, qualquer que seja a sua forma de pagamento, seja em dinheiro ou utilidades, bem como a estimativa de gorjeta, se houver) e as condições especiais (trabalho insalubre ou perigoso ) se for o caso.
    as anotações poderão ser feitas pelo sistema manual, mecânico ou eletrônico, conforme instruções a serem expedidas pelo ministério do trabalho e emprego (mte).

  • cbo

    classificação brasileira de ocupações

  • contrato de experiência:
    tratando-se de contrato de experiência, admite-se também uma única prorrogação de forma que não poderá ultrapassar 90 dias a soma dos períodos ( clt , art. 445 , parágrafo único).

    contratos sucessivos -intervalo superior a 6 meses -celebração
    considera-se por prazo indeterminado todo contrato que suceder, dentro de 6 meses, a outro contrato por prazo determinado.
    logo, o empregado admitido com contrato de experiência só deve celebrar outro contrato de experiência com a mesma empresa após 6 meses do término do primeiro, sob pena de vigência automática do segundo sem determinação de prazo.

    estabilidade provisória
    a jurisprudência trabalhista tem-se firmado no sentido de que o contrato de experiência é incompatível com qualquer forma de estabilidade, inclusive a estabilidade provisória, visto que o seu termo está predeterminado desde a sua celebração.

  • jornada de trabalho e intervalos

    de acordo com a constituição federal, a jornada é de 8 horas diárias, num total de 44 horas por semana, 220 horas por mês. a carga horária pode ser prorrogada por duas horas mediante contrato coletivo ou entre empregado e empregador.

    intervalo entre jornadas: – é o tempo destinado para o repouso, não remunerado, entre duas jornadas de trabalho. em regra, de no mínimo 11 horas entre o término do expediente em um dia até o início do expediente no dia seguinte.
    para entender melhor, é período entre um dia e outro de trabalho.

    intervalos intrajornadas: - tempo destinado ao repouso ou alimentação dentro da jornada, este período não é remunerado e o limite máximo é de 02 horas.

  • intervalos dentro da jornada

  • marcação de ponto - obrigatória
    para os estabelecimentos com mais de 10 empregados,é obrigatória a marcação de ponto com a anotação da hora de entrada e de saída, devendo ser pré-assinalados os intervalos para repouso. a pré-assinalação desses intervalos poderá ser feita pelo próprio empregador, de forma impressa ou não.
    a marcação de ponto pode ser feita em registros manuais, mecânicos ou eletrônicos, isto é, por intermédio de relógio de ponto, cartão magnético (ou assemelhado) ou manuscrita, em livro, cartão ou ficha de ponto

  • microempresa e empresa de pequeno porte -exceção
    as microempresas e as empresas de pequeno porte não estão obrigadas a observar, entre outras, as disposições da clt , art. 74 , pois dispõem de tratamento jurídico diferenciado, simplificado e favorecido, conforme disposto no estatuto da microempresa e das empresas de pequeno porte.
    assim, mesmo tendo mais de 10 empregados, as microempresas e empresas de pequeno porte não estão obrigadas à efetivação da marcação da jornada de trabalho, embora, caso queiram, possam fazê-lo.

  • cartão de ponto - necessidade ou não da assinatura do empregado.
    esta é, sem dúvida, uma das mais freqüentes dúvidas existentes no departamento de pessoal das empresas. afinal, é ou não obrigatório colher a assinatura do empregado no registro de ponto (cartão, livro ou registro eletrônico)?
    pode-se notar que o dispositivo em referência não determina a obrigatoriedade de os registros de ponto, tais como cartões, livros ou até mesmo o registro eletrônico, por meio do "espelho" do cartão, serem assinados pelo empregado.
    todavia, é oportuno mencionar que uma das finalidades do controle de ponto é permitir que o próprio empregado registre diariamente o respectivo horário de entrada e de saída, de forma que evidencie seu comparecimento à empresa, bem como o efetivo tempo de permanência no exercício de suas atividades, a fim de ter as horas de trabalho corretamente remuneradas.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • CÁLCULOS BÁSICO TRABALHISTAS.