Curso Online de DESENVOLVIMENTO DE MÉTODOS ANALÍTICOS PARA MEDICAMENTOS FITOTERÁPICOS

Curso Online de DESENVOLVIMENTO DE MÉTODOS ANALÍTICOS PARA MEDICAMENTOS FITOTERÁPICOS

O curso apresenta os aspectos gerais relacionados com as características dos componentes vegetais utilizados como princípios ativos e mar...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 16 horas

Por: R$ 150,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

O curso apresenta os aspectos gerais relacionados com as características dos componentes vegetais utilizados como princípios ativos e marcadores, bem como as técnicas analíticas e métodos empregados para verificar e controlar as variabilidades encontradas. São destacadas as técnicas analíticas cromatográficas (TLC, CG, HPLC, com DAD e MS) e vários exemplos de aplicações e condições são utilizados para abordar o assunto, permitindo atingir as condições de registro e controle de qualidade dos medicamentos fitoterápicos desenvolvidos. Além disso, a validação de métodos e os testes estatísticos relacionados são discutidos para permitir a obtenção de métodos confiáveis e que conduzam aos resultados esperados. Várias referências da área são mencionadas e direcionadas para o entendimento do cumprimento das obrigatoriedades impostas pelo órgão regulamentador (ANVISA, FDA, ICH etc).

Glaucia Maria Ferreira Pinto possui graduação em Bacharelado Em Química Tecnológica pela Universidade Estadual de Campinas (1996), mestrado em Química Analítica pela Universidade Estadual de Campinas (1999), doutorado em Ciências (área Química Analítica) pela Universidade Estadual de Campinas(2002) e pós-doutorado em Engenharia Química. Já atuou como coordenadora e supervisora de laboratório analítico de pesquisa e desenvolvimento em indústria farmacêutica. Atualmente é pesquisadora colaboradora da Faculdade de Engenharia Química da Universidade Estadual de Campinas e professora universitária na FACP e PUC-Campinas. Tem experiência nas áreas de Química Farmacêutica e Ambiental e de Engenharia Química com ênfase na área de Separações, atuando principalmente nos seguintes temas: técnicas analíticas instrumentais(espectroscópicas e de separação, como cromatografia e destilação), amostras naturais, amostras ambientais, controle de qualidade e metrologia, validação e desenvolvimento de métodos, purificação e quimiometria.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Desenvolvimento de Métodos Analíticos para Medicamentos Fitoterápicos

    Desenvolvimento de Métodos Analíticos para Medicamentos Fitoterápicos

    Profa Dra. Glaucia Maria F. Pinto

  • Histórico de desenvolvimento de fármacos

    Histórico de desenvolvimento de fármacos

    Antes do Século XX a medicina consistia em ervas e poções. A partir do meio do séc XIX houve esforços no sentido de isolar e purificar os compostos. Apareceu a indústria farmacêutica.
    Passa a haver um esforço no sentido de sintetizar os princípios ativos isolados e inclusive melhorá-los.
    Existe um método pela qual se desenvolve e descobre um fármaco mas continua a haver uma componente importante de tentativas e erros envolvidos no processo;
    Se o mecanismo de atuação do fármaco a nível molecular é pouco conhecido, a pesquisa do fármaco centra-se no composto condutor, que é o principio activo.
    Se já é conhecido a nível molecular e celular o sitio alvo, então é possível desenhar o fármaco que vai interagir com ele. A investigação é neste caso orientada pelo alvo

    Profª Drª Glaucia Maria F. Pinto

    2

  • Histórico de desenvolvimento de fármacos

    Histórico de desenvolvimento de fármacos

    vários fatores como a produção de fármacos via síntese química, o crescimento do poder econômico das indústrias farmacêuticas e a ausência de comprovações científicas de eficácia das substâncias de origem vegetal aliada às dificuldades de controle químico, físico-químico, farmacológico e toxicológico dos fitoterápicos, impulsionaram a substituição das plantas medicinais por fármacos sintéticos
    O aumento atual da demanda por fitoterápicos pode ser associado a uma alternativa mais saudável e menos danosa de tratamento e a uma insatisfação da população relacionada ao não acesso aos medicamentos industrializados. Grupos de profissionais passaram a desenvolver esforços na revalorização do emprego de medicamentos fitoterápicos, procurando-se o aprimoramento e a produção em escala industrial, diferentemente das formas artesanais que caracterizaram os estágios iniciais de sua utilização
    Hoje locais com até 80 % de uso de fitoterápicos.

    Profª Drª Glaucia Maria F. Pinto

    3

  • Uso de extratos vegetais

    Uso de extratos vegetais

    Profª Drª Glaucia Maria F. Pinto

    4

    (i) Índios nativos da América do Sul tem usado por centenas de anos dardos envenenados para caçar animais. Estes dardos são embebidos com uma toxina extraída da planta da espécie Chondodendron. Usando a estrutura do cloridrato de tubocurarina (ao lado), que é a estrutura principal do veneno, explique como os índios envenenam o animal e depois o comem sem que eles sofram com os efeitos do veneno.
    (ii) O que pode ocorrer com um índio que apresenta uma úlcera estomacal?

  • Plantas medicinais e fitoterápicos

    Plantas medicinais e fitoterápicos

    Plantas medicinais:
    Fitofármacos
    Apesar de terem sido os primeiros exemplos de fármacos utilizados pelo homem, somente agora estão sendo analiticamente investigados e representam agora um desafio atual na indústria farmacêutica para garantir a segurança, eficácia e qualidade

    Profª Drª Glaucia Maria F. Pinto

    5

  • Plantas medicinais e fitoterápicos

    Plantas medicinais e fitoterápicos

    Uso na rotina: Publicação da Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos Decreto nº 5.813, de 22 junho 2006
    Publicação da Portaria Interministerial nº 2.960, de dezembro que institui o Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos e cria o Comitê Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos

    Profª Drª Glaucia Maria F. Pinto

    6

  • Definição

    Definição

    Os Princípios ativos são substâncias encontradas nas plantas que quando ingeridas pelo homem, apresentam uma ação medicamentosa

  • Produção

    Os Princípios ativos são produzidos dentro das células vegetais, seja nas raízes, caules, folhas, frutos ou sementes

    Cada espécie de planta produz diferentes princípios ativos

  • A Célula Vegetal

    Replicação & Hereditariedade

    Contenção & Troca

    Nutrientes ATP

    Síntese Proteína & Lipídeo

    Modificação & transporte Protéico

    FOTOSSÍNTESE

  • Evolução das Espécies

    - 0,0

    - 600.000.000

    X

    - 2.000.000.000

    3.500.000.000 anos

  • síntese

    CO2

    H2O

    Fotossíntese

    síntese


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 150,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Desenvolvimento de Métodos Analíticos para Medicamentos Fitoterápicos
  • Histórico de desenvolvimento de fármacos
  • Uso de extratos vegetais
  • Plantas medicinais e fitoterápicos
  • Definição
  • síntese
  • Rendimento conforme secagem
  • Alguns medicamentos e suas origens
  • Desenvolvimento de métodos Medicamento Fitoterápico e Produto Tradicional Fitoterápico
  • Relatório Técnico - Controle da Qualidade
  • CONTROLE DE QUALIDADE
  • PROCESSOS DE EXTRAÇÃO, SEPARAÇÃO E PURIFICAÇÃO
  • TÉCNICAS ANALÍTICAS
  • TÉCNICA ANALÍTICA
  • TÉCNICAS ANALÍTICAS
  • TÉCNICAS ANALÍTICAS - EXEMPLO RMN:
  • TÉCNICAS ANALÍTICAS
  • Análise de Plantas medicinais e fitoterápicos
  • REFERÊNCIAS
  • Plantas medicinais e fitoterápicos
  • REFERÊNCIAS
  • COIFA
  • CONSULTAR INFORMAÇÕES REGULATÓRIAS REGISTRO SIMPLIFICADO
  • Plantas medicinais e fitoterápicos
  • RELATÓRIO TÉCNICO PARTE ANALÍTICA
  • DROGA VEGETAL x DERIVADO VEGETAL x FITOTERÁPICO
  • DROGA VEGETAL x DERIVADO VEGETAL x EXTRATO
  • DERIVADO VEGETAL = EXTRATO
  • PRODUTO ACABADO
  • RELATÓRIO TÉCNICO PARTE ANALÍTICA
  • MÉTODOS DE CARACTERIZAÇÃO E QUANTIFICAÇÃO - PRODUTO ACABADO
  • MONOGRAFIAS EMA
  • MONOGRAFIAS FARMACOPEICAS
  • MONOGRAFIAS
  • MARCADOR ATIVO X MARCADOR ANALÍTICO
  • ESTABILIDADE
  • SELETIVIDADE/ ESPECIFICIDADE
  • Pureza de pico cromatográfico
  • Especificidade - HPTLC
  • Degradação Forçada - HPTLC
  • PRECISÃO: REPETITIVIDADE, INTERMEDIÁRIA
  • EXATIDÃO: MATRIZ, FORTIFICAÇÃO, RECUPERAÇÃO
  • LINEARIDADE - EFEITO MATRIZ
  • TESTES ESTATÍSTICOS
  • ROBUSTEZ
  • MICOTOXINAS
  • Distribuição de tamanho de partícula
  • Exemplo de especificações