Curso Online de ÉTICA E OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO
3 estrelas 3 alunos avaliaram

Curso Online de ÉTICA E OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

1. ETIMOLOGIA 2. DEFINIÇÃO 3. ÉTICA E OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO. A APRESENTAÇÃO TRAZ COM DETALHES O CONCEITO, A DEFINIÇÃO, O SIGNIFICA...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

1. ETIMOLOGIA
2. DEFINIÇÃO
3. ÉTICA E OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO.

A APRESENTAÇÃO TRAZ COM DETALHES O CONCEITO, A DEFINIÇÃO, O SIGNIFICADO DA ÉTICA E TRAÇA AS RAZÕES DO PODER DE INFLUÊNCIA DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO DE MASSA E SUA RELAÇÃO COM A ÉTICA.

Coordenador da Area de Negociação e Recuperação de Crédito do RMW Advogados. Bacharel em Direito desde 2001; fui Assessor Jurídico do CRAVI - Centro de Referência e Apoio à Vítima da SJDC - Secretaria de Justiça e de Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo, Assistente Jurídico voluntário do Desembargador Dr. Benedicto Jorge Farah (16ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo), assistente no escritório Advocacia Guimarães e Associados (contencioso e preventivo trabalhista, cível e tributário), estagiário do Ministério Público do Estado de São Paulo e da FUNAP (Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso); sou especialista em Direito Civil e Processo Civil pela EPD (Escola Paulista de Direito) e fiz mestrado durante 06(seis) meses como ouvinte em Processo Penal na PUC/SP (Pontificia Universidade Catolica/São Paulo); trabalhei na área consultiva analisando, confeccionando e negociando os contratos de locação dos expatriados e cuidei da obtenção de documentos desses estrangeiros como RNE, CTPS e CNH. Também atuei no processo de obtenção de passaporte, cidadania e dos vistos de negócios e de turismo para diversos países; lecionei Direito Autoral, Direito do Consumidor, Ética e os Meios de Comunicação, Liberdade de Comunicação, Propriedade Industrial (Marcas, Patentes, Desenho Industrial, Software etc), Lei do Audiovisual e Lei Rouanet e noções gerais do Direito.


- Tallita Kelly De Morais Moura

"Bom dia . Bem esse curso realmente vale a pena muito bom demais !!!"

- Airton Jose De Oliveira

- Tatiane. Alves Lima

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • ÉTICA E OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

    ética e os meios de comunicação

  • Etimologia¹

    etimologia¹

    há duas palavras gregas, parecidas, que explicam o sentido etimológico de ética: ethos e éthos.
    ethos significa costume. refere-se a usos e costumes de um grupo. nos grupos humanos primitivos os costumes são decisivos para a conduta dos indivíduos. nesse estágio, a moral e o direito são os costumes. a ética do grupo é também a ética dos indivíduos, o modo de ser do grupo é o modo de ser de cada indivíduo.
    costumes, plural, em latim é mores. de mores vem moralis - moral, palavra com que cícero traduziu a palavra grega éthikós. ética é moral.

    ¹in: "ética e trabalho", vitorino sanson, caxias do sul, de zorzi s/a - pg. 81-84

  • o grupo impõe os seus costumes ao indivíduo visando à exterioridade da ética. a sociedade dita as normas de conduta intersubjetiva. ao inculto, é preciso que se lhe diga o que deve fazer e o que não deve fazer para o bem estar social. a norma, originada dos costumes, visa a ação exterior; por ex., - não mate, não roube, não estupre... quando a consciência moral dos indivíduos for mais cultivada, quando os indivíduos possuírem critério interior próprio, a ética interiorizar-se-á; por ex., "ama o teu próximo como a ti mesmo", que para um santo (s. agostinho) se reduz a uma palavra: - “ama, et fac quod vis” - ama e faz o que quiseres.

  • éthos significa domicílio, moradia. é a morada habitual de alguém, o país onde alguém habita. passou a designar a maneira de ser habitual, o caráter, a disposição da alma. caráter é marca, sigilo, timbre ou disposição interna da vontade que a inclina a agir habitualmente de determinada maneira. hábito, para o bem ou para o mal, virtuoso ou vicioso, é quase segunda natureza, fonte de atos. (hábito é efeito de atos, pois a repetição de atos causa o hábito; mas uma vez adquirido, o hábito toma-se causa de atos).
    pois bem, etimologicamente, ética, seja de ethos seja de éthos, as duas palavras são parentas, chega-se ao mesmo sentido — via costumes ou via morada habitual. os dois caminhos levam à conduta humana.

  • ético significa, portanto, tudo aquilo que ajuda a tornar melhor o ambiente para que seja uma moradia saudável: materialmente sustentável, psicologicamente integrada e espiritualmente fecunda.
    na ética há o permanente e o mutável. o permanente é a necessidade do ser humano de ter uma moradia: uma maloca indígena, uma casa no campo e um apartamento na cidade. todos estão envolvidos com a ética, porque todos buscam uma moradia permanente.
    o mutável é o estilo com que cada grupo constrói sua morada. é sempre diferente: rústico, colonial, moderno, de palha, de pedra... embora diferente e mutável, o estilo está a serviço do permanente: a necessidade de ter casa. a casa, nos seus mais diferentes estilos, deverá ser habitável.
    quando o permanente e o mutável se casam, surge uma ética verdadeiramente humana.

  • moral, do latim mos, mores, designa os costumes e as tradições. quando um modo de se organizar a casa é considerado bom a ponto de ser uma referência coletiva e ser reproduzido constantemente, surge então uma tradição e um estilo arquitetônico. assistimos, ao nível dos comportamentos humanos, ao nascimento da moral.
    nesse sentido, moral está ligada a costumes e a tradições específicas de cada povo, vinculada a um sistema de valores, próprio de cada cultura e de cada caminho espiritual.
    por sua natureza, a moral é sempre plural. existem muitas morais, tantas quantas culturas e estilos de casa. a moral dos yanomamis é diferente da moral dos garimpeiros. existem morais de grupos dentro de uma mesma cultura: são diferentes a moral do empresário, que visa o lucro, e a moral do operário, que procura o aumento de salário. aqui se trata da moral de classe. existem as morais das várias profissões: dos médicos, dos advogados, dos comerciantes, dos psicanalistas, dos padres, dos catadores de lixo, entre outras. todas essas morais têm de estar a serviço da ética. devem ajudar a tornar habitável a moradia humana, a inteira sociedade e a casa comum, o planeta terra.

  • existem sistemas morais que permanecem inalterados por séculos. são renovadamente reproduzidos e vividos por determinadas populações ou regiões culturais. assim, a poligamia entre os árabes e a monogamia das culturas ocidentais. por sua natureza, a moral se concretiza como um sistema fechado.
    de que forma se articulam a ética e a moral? respondemos simplesmente: a ética assume a moral, quer dizer, o sistema fechado de valores vigentes e de tradições comportamentais. ela respeita o enraizamento necessário de cada ser humano na realização de sua vida, para que não fique dependurada das nuvens.
    mas a ética introduz uma operação necessária: abre esse enraizamento. está atenta às mudanças históricas, às mentalidades e às sensibilidades cambiáveis, aos novos desafios derivados das transformações sociais. ela impõe exigências a fim de tornar a moradia humana mais honesta e saudável. a ética acolhe transformações e mudanças que atendam a essas exigências. sem essa abertura às mudanças, a moral se fossiliza e se transforma em moralismo.

  • a ética, portanto, desinstala a moral. impede que ela se feche sobre si mesma. obriga-a à constante renovação no sentido de garantir a habitabilidade e a sustentabilidade da moradia humana: pessoal, social e planetária.
    concluindo, podemos dizer: a moral representa um conjunto de atos, repetidos, tradicionais, consagrados. a ética corporifica um conjunto de atitudes que vão além desses atos. o ato é sempre concreto e fechado em si mesmo. a atitude é sempre aberta à vida com suas incontáveis possibilidades. a ética nos possibilita a coragem de abandonar elementos obsoletos das várias morais.
    confere-nos a ousadia de assumir, com responsabilidade, novas posturas, de projetar novos valores, não por modismo, mas como serviço à moradia humana.
    não basta sermos apenas morais, apegados a valores da tradição. isso nos faria moralistas e tradicionalistas, fechados sobre o nosso sistema de valores. cumpre também sermos éticos, quer dizer, abertos a valores que ultrapassam aqueles do sistema tradicional ou de alguma cultura determinada. abertos a valores que concernem a todos os humanos, como a preservação da casa comum, o nosso esplendoroso planeta azul-branco. valores do respeito à dignidade do corpo, da defesa da vida sob todas as suas formas, do amor à verdade, da compaixão para com os sofredores e os indefesos. valores do combate à corrupção, à violência e à guerra. valores que nos tornam sensíveis ao novo que emerge, com responsabilidade, seriedade e sentido de contemporaneidade.

  • “a teoria do ethos aplicada ao jornalismo foi desenvolvida por fernando lopez pan.”²
    “o ethos é o entre, o ponto de confluência e contato, o mundo comum de valores, idéias e atitudes diante da vida, a interação dos universos pessoais do jornalista e do leitor.”³
    “o autor destaca dois componentes do ethos: de um lado, o ethos (nuclear) aristotélico, estritamente ligado ao aspecto moral, manifestado através dos valores, preferências, intenções e finalidades. de outro, um conjunto de elementos retóricos satélites que envolvem todo o revestimento formal da coluna, a escolha dos temas, a maneira de enfocá-los, estrutura e estilo etc. ao definir o ethos, o colunista não só define sua audiência, mas, de certa forma, a constrói.”4

    ²70 columnistas de la prensa espanõla, estudo introdutório, p. 26 apud clóvis de barros filho, ética na comunicação, p. 104.
    ³idem, p. 104.
    4clóvis de barros filho, ética na comunicação, p. 105.

  • Definição

    definição

    ética não se restringe à descrição de costumes ou hábitos de diferentes povos. esta descrição seria etiologia ou etnografia. o objeto real da ética vai além do sentido etimológico. (como economia - etimologicamente é apenas administração da casa - na realidade a economia ocupa-se de questões que vão muito além da casa). a ética procura princípios que dirijam a consciência na escolha do bem e concentra sua atenção na vontade humana (como a lógica, na inteligência), porque o objeto da ética é o ato humano, e o ato humano é produzido pela vontade.

  • o ato, objeto da ética, é o ato humano, ato específico do homem, ato que distingue o homem dos outros seres. os outros atos (atos do homem) são realizados pelo homem, mas não enquanto homem, apenas enquanto ser biológico ou animal. o homem nasce e cresce por forças inatas, necessárias, por determinismo natural. destas ações não sé ocupa a ética.
    a) ato humano - é o ato voluntário e livre. não é voluntário o ato espontâneo e necessário. vontade é tendência racional; só há vontade em seres racionais. por isso o ato voluntário supõe que a inteligência teve conhecimento prévio do objeto que se apresenta à vontade. é necessário este conhecimento para que o ato seja humano.
    a liberdade acrescenta o domínio da vontade sobre o ato, de tal maneira que possa escolher entre agir e não agir, ou agir desta ou daquela maneira, isto é, possa escolher entre este ou aquele ato.
    o objeto material da ética é o ato humano, ato voluntário e livre, qualquer ato involuntário e não-livre não é ato humano e, portanto, não é objeto da ética.
    b) objeto formal é o ponto de vista sob o qual uma ciência encara o objeto material. o homem é objeto material de muitas ciências: antropologia, psicologia, filosofia, medicina, etc. o que distingue uma ciência da outra é o objeto formal. o corpo humano é objeto material da anatomia, da fisiologia, da medicina, etc... mas cada uma destas ciências estuda o mesmo objeto material - o corpo humano - sob o ponto de vista da estrutura, do funcionamento dos órgãos, de saúde, etc...


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • ÉTICA E OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO
  • Etimologia¹
  • Definição
  • A Ética e os Meios de Comunicação
  • BIBLIOGRAFIA