Curso Online de ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO
4 estrelas 2 alunos avaliaram

Curso Online de ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO

O especialista em Alfabetização e Letramento é o docente que domina as práticas sociais de leitura e de escrita no contexto das anos ini...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Mais de 100 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

O especialista em Alfabetização e Letramento é o docente que domina as práticas sociais de leitura e de escrita no contexto das anos iniciais do ensino fundamental, atuando efetivamente no processo de alfabetização. Além disso, este profissional será capaz de adotar diferentes metodologias de ensino e avaliação para a realidade das salas heterogêneas e o contexto social da comunidade em que atua como docente.

Licenciada em Física, Matemática e Pedagogia; Pós-Graduada em Física e Tecnólogo em Superior em Análise e Desenvolvimento de Sistemas.


- Naielle Almeida De Oliveira

- Luciene Mesquita Correa

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • Da fala para escrita

    Alfabetização e Letramento

  • EAD ONLINE

    http://eadonlinecursos.blogspot.com.br/

  • CAPÍTULO I:

    Oralidade e Letramento

    Defende-se a posição de que não se pode tratar as relações entre oralidade e letramento / entre fala e escrita de maneira dicotômica ou estanque.

    Essas relações devem ser vistas dentro de um quadro mais amplo no contexto:

    Práticas comunicativas

    Gêneros textuais

    Proposta:

  • Oralidade e Letramento.

    Impossível investigar essas questões sem uma referência ao papel dessas práticas na civilização contemporânea.

  • Não é possível observar as diferenças e semelhanças sem considerar a distribuição de seus usos na vida cotidiana.

    Fala e Escrita

    Fica difícil o tratamento das relações entre fala/ escrita centradas exclusivamente no código.

  • Mais que uma simples mudança de perspectiva esses fatores representam um novo objeto de análise e uma concepção nova de língua e de texto vistos como Conjunto de Práticas Sociais.

  • Três décadas anteriores:


    Pode-se conceber oralidade e letramento como atividades interativas e complementares no contexto das práticas sociais e culturais.

    Uma vez adotada essa posição de lidarmos com práticas de letramento e oralidade, será fundamental considerar que as línguas se moldam em uso e não ao contrário

    Oralidade e escritas eram examinadas como opostas.

    Predominância da noção da “supremacia cognitiva” da escrita chamada por Street de “Paradigma da autonomia”.

    A Partir de 80:

  • Metodologia científica aplicável ao estudo do texto literário a partir de princípios universais que governam o uso da linguagem, isto é, a partir de todos os elementos que o constituem e que estão relacionados entre si

    Não será primeiramente o uso das regras da língua nem sua morfologia que merecerão atenção, mas o uso da língua, o que fazemos com esta capacidade.

    Ponto central da investigação no momento:

    Trata-se de uma análise de usos e práticas sociais.

  • Escrita:
    Mais que uma tecnologia;
    Tornou-se um bem social indispensável para enfrentar o dia a dia;
    Não é derivada da fala;
    Não consegue reproduzir muitos fenômenos da oralidade;
    Apresenta elementos próprios ausentes na fala.

    Letramento: Prática social formalmente ligada a escrita

    Fala:
    Sob um ponto de vista mais próximo da realidade humana:
    Homem: ser que fala e não ser que escreve

    São práticas com características próprias;
    Não são dois sistemas opostos;
    Não se limitam a som e grafia.

  • A eficácia comunicativa e o potencial cognitivo não são vetores significativos para distinguir oralidade de escrita.

    Tese da “grande virada”: foi superada

    Dava uma grande importância à escrita.
    Para eles, nosso grau de desenvolvimento tecnológico e a nossa capacidade de raciocínio formal seriam impensáveis sem a escrita.

    Oralidade tem uma “primazia cronológica” sobre a escrita e isso não a torna mais importante ou prestigiosa que a escrita.

    Quando “arraigados numa sociedade, a escrita impõe-se com uma violência inusitada e adquire um valor social superior à oralidade.

  • Mais relevante do que:
    observar oralidade e letramento como simples modo da língua;
    identificar primazias ou supremacias entre oralidade e letramento, é...

    Esclarecer a natureza das práticas sociais que envolvem o uso da língua (escrita e falada) de modo geral.

    Essas práticas determinam:

    O lugar

    O papel

    Grau de relevância

    Relação entre ambos deve ser posta no eixo de um contínuo sócio-histórico de práticas.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Visão variacionista + Análise da Conversação Etnográfica + Lingüística de Texto = maior adequação empírica e teórica
  • Perspectiva sociointeracionista
  • Fala... Precedência cronológica Escrita... Prestígio social... ideologia
  • Quanto à escrita...
  • Exemplo quanto à questão estigmatizadora
  • Variações em um continuum...
  • A concepção de língua como sistema
  • FINAL DE CURSO