Curso Online de EDUCAÇÃO DO CAMPO

Curso Online de EDUCAÇÃO DO CAMPO

SEJA BEM VINDO (A) CURSO EDUCAÇÃO DO CAMPO CURSO COM CARGA HORÁRIA DE 30 HORAS AULA. CURSO DESTINADO A TODOS OS EDUCADORES, PROFIS...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 30 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Mais de 20 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

SEJA BEM VINDO (A)

CURSO

EDUCAÇÃO DO CAMPO


CURSO COM CARGA HORÁRIA DE 30 HORAS AULA.


CURSO DESTINADO A TODOS OS EDUCADORES, PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO, PESQUISADORES E ESTUDANTES DA ÁREA DE MEIO AMBIENTE E EDUCAÇÃO.


PARA A PARTICIPAÇÃO NO CURSO NÃO TEM PRE REQUISITO.

ORGANIZAÇÃO QUE BUSCA APRESENTAR CURSOS EM DIVERSAS ÁREAS DE ATUAÇÃO E FORMAÇÃO POR UM BAIXO CUSTO PARA OS USUÁRIOS.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • ESCOLA DO CAMPO

    ESCOLA DO CAMPO

  • SEJA BEM VINDA (O)

    CURSO

    ESCOLA DO CAMPO

  • CURSO NÃO TEM PRE REQUISITO PARA A PARTICIPAÇÃO.

    DESTINADO A TODOS OS EDUCADORES, PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO, PESQUISADORES E ESTUDANTES DA ÁREA DA EDUCAÇÃO.

  • (...) A Liberdade da Terra não é assunto de lavradores. A Liberdade da Terra é assunto de todos. Quantos não se alimentam do fruto da terra. Do que vive, sobrevive do salário. Do que é impedido de ir à escola. Dos meninos e meninas de rua. Das prostitutas. Dos ameaçados pelo Cólera. Dos que amargam o desemprego. Dos que recusam a morte do sonho. A liberdade da Terra e a Paz do campo tem um nome. Hoje viemos cantar no coração da cidade para que ela ouça nossas canções (...) (PEDRO TIERRA)

  • RESOLUÇÃO Nº 1, DE 3 DE ABRIL DE 2002

    RESOLUÇÃO Nº 1, DE 3 DE ABRIL DE 2002

    Institui Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo.

  • O Presidente da Câmara da Educação Básica, reconhecido o modo próprio de vida social e o de utilização do espaço do campo como fundamentais, em sua diversidade, para a constituição da identidade da população rural e de sua inserção cidadã na definição dos rumos da sociedade brasileira, e tendo em vista o disposto na Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996 -LDB, na Lei nº 9.424, de 24 de dezembro de 1996, e na Lei nº 10.172, de 9 de janeiro de 2001, que aprova o Plano Nacional de Educação, e no Parecer CNE/CEB 36/2001, homologado pelo Senhor Ministro de Estado da Educação em 12 de março de 2002, resolve:

  • Art. 1º A presente Resolução institui as Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas escolas do campo a serem observadas nos projetos das instituições que integram os diversos sistemas de ensino

  • Art. 2º Estas Diretrizes, com base na legislação educacional, constituem um conjunto de princípios e de procedimentos que visam adequar o projeto institucional das escolas do campo às Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil, o Ensino Fundamental e Médio, a Educação de Jovens e Adultos, a Educação Especial, a Educação Indígena, a Educação Profissional de Nível Técnico e a Formação de Professores em Nível Médio na modalidade Normal. Parágrafo único. A identidade da escola do campo é definida pela sua vinculação às questões inerentes à sua realidade, ancorando-se na temporalidade e saberes próprios dos estudantes, na memória coletiva que sinaliza futuros, na rede de ciência e tecnologia disponível na sociedade e nos movimentos sociais em defesa de projetos que associem as soluções exigidas por essas questões à qualidade social da vida coletiva no país.

  • Art. 3º O Poder Público, considerando a magnitude da importância da educação escolar para o exercício da cidadania plena e para o desenvolvimento de um país cujo paradigma tenha como referências a justiça social, a solidariedade e o diálogo entre todos, independente de sua inserção em áreas urbanas ou rurais, deverá garantir a universalização do acesso da população do campo à Educação Básica e à Educação Profissional de Nível Técnico.

  • Art. 4° O projeto institucional das escolas do campo, expressão do trabalho compartilhado de todos os setores comprometidos com a universalização da educação escolar com qualidade social, constituir-se-á num espaço público de investigação e articulação de experiências e estudos direcionados para o mundo do trabalho, bem como para o desenvolvimento social, economicamente justo e ecologicamente sustentável.

  • Art. 5º As propostas pedagógicas das escolas do campo, respeitadas as diferenças e o direito à igualdade e cumprindo imediata e plenamente o estabelecido nos artigos 23, 26 e 28 da Lei 9.394, de 1996, contemplarão a diversidade do campo em todos os seus aspectos: sociais, culturais, políticos, econômicos, de gênero, geração e etnia. Parágrafo único. Para observância do estabelecido neste artigo, as propostas pedagógicas das escolas do campo, elaboradas no âmbito da autonomia dessas instituições, serão desenvolvidas e avaliadas sob a orientação das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Básica e a Educação Profissional de Nível Técnico.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • ESCOLA DO CAMPO
  • RESOLUÇÃO Nº 1, DE 3 DE ABRIL DE 2002
  • PARECER CNE/CEB Nº 1, DE 02 FEVEREIRO DE 2006
  • PARECER CNE/CEB Nº 3, DE 18 DE FEVEREIRO DE 2008
  • RESOLUÇÃO Nº 2, DE 28 DE ABRIL DE 2008
  • EDUCAÇÃO DO CAMPO
  • DOCUMENTOS
  • DIRETRIZES E BASES DA EDUCAÇÃO
  • LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996.
  • PROGRAMA NACIONAL DE ECUCAÇÃO NA REFORMA AGRÁRIA
  • AGRADECIMENTO