Curso Online de Educação Especial
4 estrelas 3 alunos avaliaram

Curso Online de Educação Especial

O curso aborda a legislação da educação especial, os alunos especiais e os problemas relacionados à inclusão.

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 5 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

O curso aborda a legislação da educação especial, os alunos especiais e os problemas relacionados à inclusão.

Formação: Biologia Especialista em: Biotecnologia e Meio Ambiente Professor: Ciências e Biologia Experiência como Tutor do Curso de Licenciatura em Biologia.


- Isabel Neves Da Silva

- Márcia Dos Santos Ricati

- Larissa Mendonça Freitas

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • projeto caxiense

    professor: sandoval amorim

  • EDUCAÇÃO ESPECIAL

    educação especial

    a educação especial, entende-se como um processo educacional definido por uma proposta pedagógica que assegure recursos e serviços educacionais especiais, organizados institucionalmente para apoiar, complementar, suplementar e, em alguns casos, substituir os serviços educacionais comuns de modo a garantir a educação escolar e promover o desenvolvimento das potencialidades dos educandos que apresentam necessidades educacionais especiais, em todas as etapas, modalidades e níveis de ensino.

  • art. 58. entende-se por educação especial, para efeitos desta lei, a modalidade de educação escolar, oferecida preferencialmente na rede regular de ensino, para educandos portadores de necessidades especiais.

    § 1º haverá, quando necessário, serviços de apoio, especializado, na escola regular, para atender às peculiaridades da clientela da educação especial.

    § 2º o atendimento educacional será feito em classes, escolas ou serviços especializados, sempre que, em função das condições específicas dos alunos, não for possível a sua integração nas classes comuns de ensino regular.

    § 3º a oferta de educação especial, dever constitucional do estado, tem início na faixa etária de zero a seis anos, durante a educação infantil.

    fragmento do texto da lei 9394/96, de 20 de dezembro de 1996
    capitulo v
    da educação especial

  • art. 59. os sistemas de ensino assegurarão aos educandos com necessidades especiais:

    i - currículos, métodos, técnicas, recursos educativos e organização específicas, para atender as suas necessidades;

    ii - terminalidade específica para aqueles que não puderem atingir o nível exigido para conclusão do ensino fundamental, em virtude de suas deficiências, e aceleração para concluir em menor tempo o programa escolar para os super dotados;

    iii - professores com especialização adequada em nível médio ou superior, para atendimento especializado, bem como os professores do ensino regular capacitados para a integração desses educandos nas classes comuns;

    iv - educação especial para o trabalho, visando sua efetiva integração na vida em sociedade, inclusive condições adequadas para os que não revelarem capacidade de inserção no mercado de trabalho competitivo, mediante articulação com os orgãos oficiais afins, bem como para aqueles que apresentam uma habilidade superior nas áreas artística, intelectual ou psicomotora;

  • v - acesso igualitário aos benefícios dos programas sociais suplementares disponíveis para o respectivo nível do ensino regular.

    art. 60. os órgãos normativos dos sistemas de ensino estabelecerão critérios de caracterização das instituições privadas sem fins lucrativos, especializados e com atuação exclusiva em educação especial, para fins de apoio técnico e financeiro para o poder público.

    parágrafo único. o poder público adotará, como alternativa preferencial, a ampliação do atendimento aos educandos com necessidades especiais na própria rede pública regular de ensino, independentemente do apoio às instituições previstas neste artigo.

  • constituição de 1998

  • art. 205. a educação, direito de todos e dever do estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.
    art. 206. o ensino será ministrado com base nos seguintes princípios:

    i - igualdade de condições para o acesso e permanência na escola;

    ii - liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar o pensamento, a arte e o saber;

    constituição de 1998

  • iii - pluralismo de idéias e de concepções pedagógicas, e coexistência de instituições públicas e privadas de ensino;

    iv - gratuidade do ensino público em estabelecimentos oficiais;

    art. 208. o dever do estado com a educação será efetivado mediante a garantia de:

    iii - atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, preferencialmente na rede regular de ensino;

  • RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 2, DE 11 DE SETEMBRO DE 2001

    resolução cne/ceb nº 2, de 11 de setembro de 2001

    resolve:

    art. 1º a presente resolução institui as diretrizes nacionais para a educação de alunos que apresentem necessidades educacionais especiais, na educação básica, em todas as suas etapas e modalidades.

    parágrafo único. o atendimento escolar desses alunos terá início na educação infantil, nas creches e pré-escolas, assegurando-lhes os serviços de educação especial sempre que se evidencie, mediante avaliação e interação com a família e a comunidade, a necessidade de atendimento educacional especializado.

  • art 2º os sistemas de ensino devem matricular todos os alunos, cabendo às escolas organizar-se para o atendimento aos educandos com necessidades educacionais especiais, assegurando as condições necessárias para uma educação de qualidade para todos.

    parágrafo único. os sistemas de ensino devem conhecer a demanda real de atendimento a alunos com necessidades educacionais especiais, mediante a criação de sistemas de informação e o estabelecimento de interface com os órgãos governamentais responsáveis pelo censo escolar e pelo

    censo demográfico, para atender a todas as variáveis implícitas à qualidade do processo formativo desses alunos.

  • QUEM NECESSITA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL

    quem necessita de educação especial

    alunos com necessidades educacionais especiais: apresentam, durante o processo educacional, dificuldades acentuadas de aprendizagem que podem ser: não vinculadas a uma causa orgânica específica ou relacionadas a condições, disfunções, limitações ou deficiências, abrangendo dificuldades de comunicação e sinalização diferenciadas dos demais alunos, bem como altas habilidades/superdotação.

    a validade da educação especial se justifica na certeza da importância da educação para todos. assim, para alguns, ela deve se desenvolver de forma especial, para atender às diferenças individuais dos alunos, através da diversificação dos serviços educacionais.

    dislexia, desvalia, disgrafia, disortografia e discalculia (não tem causa orgânica)


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • EDUCAÇÃO ESPECIAL
  • RESOLUÇÃO CNE/CEB Nº 2, DE 11 DE SETEMBRO DE 2001
  • QUEM NECESSITA DE EDUCAÇÃO ESPECIAL
  • A classificação abaixo, decorre do modelo clínico, combinado sempre que possível ao modelo educacional
  • CONSTITUIÇÃO HISTÓRICA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL
  • Deficiência Auditiva
  • Deficiência Auditiva - O que é?
  • GRAU DE SEVERIDADE DA DEFICIÊNCIA AUDITIVA
  • O que é Libras?
  • O Surdo e a História de sua Educação
  • No final do século XV:
  • Nos séculos seguintes:
  • No Século XX:
  • Deficiência Mental
  • Tipo de classificação baseado na intensidade dos apoios necessários: Intermitente:
  • Ainda baseada na capacidade funcional e adaptativa dos deficientes, existe uma outra classificação bastante interessante para a Deficiência Mental. Trata-se da seguinte:
  • Por outro lado, a classificação da OMS - CID.10 (Organização Mundial da Saúde) é baseada ainda no critério quantitativo. Por essa classificação a gravidade da deficiência seria:
  • BRAILE
  • Referencial Bibliográfico
  • Mensagem