Curso Online de A Língua Espanhola no Mundo

Curso Online de A Língua Espanhola no Mundo

Você sabe como surgiu a língua espanhola?, Qual o papel da língua espanhola na atualidade?, Como Devemos Ensinar?, Música para ensinar co...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

De: R$ 50,00 Por: R$ 30,00
(Pagamento único)

Mais de 0 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Você sabe como surgiu a língua espanhola?, Qual o papel da língua espanhola na atualidade?, Como Devemos Ensinar?, Música para ensinar conteúdos de espanhol e Bibliografia

Professora



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • A Língua Espanhola no Mundo Ana Patrícia Fernandes

    A Língua Espanhola no Mundo Ana Patrícia Fernandes

  • Você sabe como surgiu a língua espanhola?

    Você sabe como surgiu a língua espanhola?

  • Originou-se do Latim vulgar falado por parte da população que constituía a Península Ibérica. Mais tarde recebeu o nome de castellano (castelhano) ou língua castellana (castelhana), por ocasião da residência dos reis no reino medieval de Castilla (Castela). Nos dias de hoje, embora o nome ainda seja referência, após a constituição da Espanha como nação e a tentativa de uniformizar o idioma do país, a língua foi oficializada como “espanhol”.

    Originou-se do Latim vulgar falado por parte da população que constituía a Península Ibérica. Mais tarde recebeu o nome de castellano (castelhano) ou língua castellana (castelhana), por ocasião da residência dos reis no reino medieval de Castilla (Castela). Nos dias de hoje, embora o nome ainda seja referência, após a constituição da Espanha como nação e a tentativa de uniformizar o idioma do país, a língua foi oficializada como “espanhol”.

  • Mesmo o espanhol sendo a língua oficial, não é a única falada na Espanha. Existem outras línguas como, o catalán (catalão), o valenciano, o gallego (galego), o basco ou euskera e também inúmeros dialetos ou variações da língua oficial, entre eles o andaluz, o extremeño (extremenho), o murciano, o canario (canário).

    Mesmo o espanhol sendo a língua oficial, não é a única falada na Espanha. Existem outras línguas como, o catalán (catalão), o valenciano, o gallego (galego), o basco ou euskera e também inúmeros dialetos ou variações da língua oficial, entre eles o andaluz, o extremeño (extremenho), o murciano, o canario (canário).

  • Estas línguas e os dialetos são primitivos de diferentes regiões da Espanha e possuem grande importância para a população local, mesmo sendo tratados como segunda língua são, por vezes, mais utilizados do que o espanhol. No final do século XV, com as novas conquistas territoriais dos espanhóis, a língua expandiu-se por toda a América e sofreu inúmeras modificações, ora permanecendo dentro dos limites de uso popular e outras se propagando por todo o país.

    Estas línguas e os dialetos são primitivos de diferentes regiões da Espanha e possuem grande importância para a população local, mesmo sendo tratados como segunda língua são, por vezes, mais utilizados do que o espanhol. No final do século XV, com as novas conquistas territoriais dos espanhóis, a língua expandiu-se por toda a América e sofreu inúmeras modificações, ora permanecendo dentro dos limites de uso popular e outras se propagando por todo o país.

  • Estas ocorreram por questões geográficas, culturais e sociais de cada região, pela coexistência com as línguas indígenas locais e, ainda, pelas peculiaridades dos seus próprios falantes, na maioria soldados e imigrantes de diversas origens.

    Estas ocorreram por questões geográficas, culturais e sociais de cada região, pela coexistência com as línguas indígenas locais e, ainda, pelas peculiaridades dos seus próprios falantes, na maioria soldados e imigrantes de diversas origens.

  • Assim, com todas as suas variedades, o espanhol tornou-se a língua materna de países como: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai, Venezuela, além de língua oficial na Guiné Equatorial (por ter sido colônia Espanhola na África), Filipinas (por ter sido colônia espanhola na Ásia) e na Espanha.

    Assim, com todas as suas variedades, o espanhol tornou-se a língua materna de países como: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai, Venezuela, além de língua oficial na Guiné Equatorial (por ter sido colônia Espanhola na África), Filipinas (por ter sido colônia espanhola na Ásia) e na Espanha.

  • Qual o papel da língua espanhola na atualidade?

    Qual o papel da língua espanhola na atualidade?

  • A língua espanhola hoje é considerada a terceira língua mais falada no mundo e não se limita apenas aos falantes de língua materna, que já ultrapassa os 300 milhões de pessoas. Esse número cresce a cada ano pela quantidade de indivíduos que aprendem o idioma como uma língua estrangeira.

    A língua espanhola hoje é considerada a terceira língua mais falada no mundo e não se limita apenas aos falantes de língua materna, que já ultrapassa os 300 milhões de pessoas. Esse número cresce a cada ano pela quantidade de indivíduos que aprendem o idioma como uma língua estrangeira.

  • O inglês sustenta o primeiro lugar, seguido do mandarim, falado na China, que permanece em segundo lugar devido à quantidade de habitantes deste país, porém o espanhol se destaca no mundo comercial, principalmente na comunidade europeia, onde junto com o inglês são as línguas mais utilizadas. Outro dado interessante é que vem alcançando um número considerável de internautas, sendo atualmente a terceira língua mais utilizada na internet.

    O inglês sustenta o primeiro lugar, seguido do mandarim, falado na China, que permanece em segundo lugar devido à quantidade de habitantes deste país, porém o espanhol se destaca no mundo comercial, principalmente na comunidade europeia, onde junto com o inglês são as línguas mais utilizadas. Outro dado interessante é que vem alcançando um número considerável de internautas, sendo atualmente a terceira língua mais utilizada na internet.

  • No Brasil, a proximidade com as fronteiras de países hispanofalantes e o aumento das relações comerciais impulsionadas pelo MERCOSUL, levaram o governo brasileiro a introduzir a língua espanhola como oferta obrigatória nas escolas, através da Lei nº 11.161, em 05 de agosto de 2005.

    No Brasil, a proximidade com as fronteiras de países hispanofalantes e o aumento das relações comerciais impulsionadas pelo MERCOSUL, levaram o governo brasileiro a introduzir a língua espanhola como oferta obrigatória nas escolas, através da Lei nº 11.161, em 05 de agosto de 2005.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 30,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • A Língua Espanhola no Mundo Ana Patrícia Fernandes
  • Você sabe como surgiu a língua espanhola?
  • Originou-se do Latim vulgar falado por parte da população que constituía a Península Ibérica. Mais tarde recebeu o nome de castellano (castelhano) ou língua castellana (castelhana), por ocasião da residência dos reis no reino medieval de Castilla (Castela). Nos dias de hoje, embora o nome ainda seja referência, após a constituição da Espanha como nação e a tentativa de uniformizar o idioma do país, a língua foi oficializada como “espanhol”.
  • Mesmo o espanhol sendo a língua oficial, não é a única falada na Espanha. Existem outras línguas como, o catalán (catalão), o valenciano, o gallego (galego), o basco ou euskera e também inúmeros dialetos ou variações da língua oficial, entre eles o andaluz, o extremeño (extremenho), o murciano, o canario (canário).
  • Estas línguas e os dialetos são primitivos de diferentes regiões da Espanha e possuem grande importância para a população local, mesmo sendo tratados como segunda língua são, por vezes, mais utilizados do que o espanhol. No final do século XV, com as novas conquistas territoriais dos espanhóis, a língua expandiu-se por toda a América e sofreu inúmeras modificações, ora permanecendo dentro dos limites de uso popular e outras se propagando por todo o país.
  • Estas ocorreram por questões geográficas, culturais e sociais de cada região, pela coexistência com as línguas indígenas locais e, ainda, pelas peculiaridades dos seus próprios falantes, na maioria soldados e imigrantes de diversas origens.
  • Assim, com todas as suas variedades, o espanhol tornou-se a língua materna de países como: Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Cuba, Equador, El Salvador, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Paraguai, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai, Venezuela, além de língua oficial na Guiné Equatorial (por ter sido colônia Espanhola na África), Filipinas (por ter sido colônia espanhola na Ásia) e na Espanha.
  • Qual o papel da língua espanhola na atualidade?
  • A língua espanhola hoje é considerada a terceira língua mais falada no mundo e não se limita apenas aos falantes de língua materna, que já ultrapassa os 300 milhões de pessoas. Esse número cresce a cada ano pela quantidade de indivíduos que aprendem o idioma como uma língua estrangeira.
  • O inglês sustenta o primeiro lugar, seguido do mandarim, falado na China, que permanece em segundo lugar devido à quantidade de habitantes deste país, porém o espanhol se destaca no mundo comercial, principalmente na comunidade europeia, onde junto com o inglês são as línguas mais utilizadas. Outro dado interessante é que vem alcançando um número considerável de internautas, sendo atualmente a terceira língua mais utilizada na internet.
  • No Brasil, a proximidade com as fronteiras de países hispanofalantes e o aumento das relações comerciais impulsionadas pelo MERCOSUL, levaram o governo brasileiro a introduzir a língua espanhola como oferta obrigatória nas escolas, através da Lei nº 11.161, em 05 de agosto de 2005.
  • Os nomes de alguns países quando escritos na língua espanhola podem sofrer pequenas modificações, para chamar a atenção fizemos a tabela abaixo:
  • Como Devemos Ensinar?
  • O ensino de uma língua estrangeira em nosso país obedece a duas necessidades: uma legal e outra político-cultural.     A necessidade legal se apóia em uma visão de currículo, que prevê o domínio e a capacidade de assimilar as diferentes disciplinas que compõe a grade escolar e a partir desse processo inicial de escolarização garantirá a continuidade do aprendizado nas séries seguintes.  
  • Desse ponto de vista político-cultural, o ensino de uma nova língua é bem mais que um oferecimento de um simples instrumento de interação social: É uma abertura que permitirá, ao aluno a modificar seu mundo social e desempenhar-se efetivamente como um cidadão, reafirmando assim sua identidade sociocultural.    
  • Atender a essas exigências é em suma propor um conjunto de objetivos e de estratégias pedagógicas que permitem ao aluno apropriar-se gradualmente desse novo sistema lingüístico que está efetivamente aprendendo, e demonstrando habilidades especificas que compreende. E pensando no processo aprendizagem com as competências de representação e comunicação de investigação e compreensão e de contextualização sócio-cultural, baseadas nos Parâmetros Curriculares Nacionais.
  • A proposta é estimular os alunos a trabalhar de forma autônoma, de maneira que possam identificar suas possibilidades e dificuldades no processo da aquisição da língua espanhola.  
  • O estímulo e a capacidade de ouvir, discutir, falar, escrever, descobrir, interpretar situações, pensar de modo criativo, fazer suposições, e inferências relativamente ao conteúdo, é um caminho que cremos; que vai ampliar capacidade de abstrair elementos comuns a várias situações, para que se possa fazer difundir e aperfeiçoar suas possibilidades de comunicação, criando significado por meio da língua.
  • A aprendizagem do Espanhol não é um mero exercício intelectual de memorização de um repertório de vocábulos ou de conjunto de estrutura lingüísticas. E mais; é uma experiência de vida que amplia possibilidades de interação discursiva do mundo com o mundo.
  • Toda prática está embasada em alguma teoria. Alguma concepção de mundo sempre informa nossas atitudes e orienta nossas escolhas. Diante disso, é preciso estar, como os escoteiros, sempre alertas para os pressupostos que fundamentam não apenas nossas ações, mas também nossos pensamentos, nossos valores, nossos procedimentos interpretativos diante das coisas do mundo.
  • Assim ao ensinar línguas estrangeiras, os professores e seus alunos adentram a salas de aula, munidos de uma ou várias séries de pressupostos sobre o que seja uma língua, sobre o processo de ensino-aprendizagem daquela língua, sobre seu capital cultural no contexto social em que se insere. 
  • Tais pressupostos nem sempre encontram respaldo nas teorias desenvolvidas por lingüistas renomados, mas resultam do entrecruzamento ao mesmo tempo particular e socialmente construído que dada individuo realiza entre as diferentes comunidades discursivas de que faz parte.
  • Música para ensinar conteúdos de espanhol
  • Os professores de Língua Estrangeira enfrentam muitas vezes uma dificuldade em seu trabalho: a distância entre o idioma ensinado e o cotidiano dos alunos. Haja criatividade e conhecimento didático para manter a turma focada nos conteúdos e torná-los compreensíveis e atraentes, além de mostrar a importância deles para a vida.
  • Vários docentes apostam em recursos como reportagens de jornais e revistas, textos publicitários, programas de TV e músicas. Essas últimas, em especial, costumam entusiasmar a garotada. "Muitas vezes, elas são sucesso nas rádios e fazem parte da trilha sonora de novelas que os alunos acompanham", diz Maristela Diniz, professora do Centro de Educação, Letras e Artes (Cela), da Universidade Federal do Acre (Ufac).
  • Porém usar canções para explorar algum conteúdo requer um planejamento bastante cuidadoso, evitando que a aula vire um momento de cantar, assistir a videoclipes e nada mais. Com base nas letras e na fala dos intérpretes, os estudantes podem aprender questões relacionadas a gramática, ortografia, oralidade e interpretação de texto: tudo depende dos objetivos de aprendizagem traçados. "É preciso trabalhar a canção vinculada a uma sequência didática que englobe os conteúdos selecionados de modo intencional", esclarece Maristela.
  • Depois de um curso de formação continuada, Rawllinsson da Rocha, professor de Língua Estrangeira da EE Tancredo de Almeida Neves, em Rio Branco, por exemplo, passou a recorrer a músicas cantadas em espanhol para desenvolver atividades com os alunos do 8º ano. Te Perdí, do cantor Chris Durán, foi um dos hits selecionados (leia o quadro na próxima página, com a letra da música e a análise dos tempos verbais que remetem ao passado).
  • "Escolhi essa composição porque ela proporciona um bom estudo de verbos conjugados no passado, conteúdo que estava sendo visto no momento, e é cantada lentamente, o que facilita a compreensão da letra", explica Rocha.
  • Depois de escutar o material uma vez, a garotada recebeu cópias da letra com lacunas no lugar de verbos conjugados no pretérito perfecto. Todos escutaram a música outras duas vezes para ajustar o que ouviam ao que haviam escrito e fazer as correções necessárias.
  • Durante a correção da atividade, realizada coletivamente, o docente prestou atenção nas principais dúvidas e equívocos da turma. "Alguns alunos, por exemplo, escreveram llamado com 'lh', em vez de 'll', registrando a pronúncia do espanhol falado na Espanha e usando ao mesmo tempo um critério ortográfico da língua portuguesa", notou Rocha.
  • Ele então desafiou a turma a repensar a grafia, explicando que um argentino cantaria esse trecho com sotaque diferente (falaria algo como djmado). "Conversamos sobre as diversas pronúncias de uma mesma palavra, o que não implica, no entanto, na mudança da grafia." Outra possibilidade que pode ser sugerida à turma é recorrer ao infinitivo (llamar).
  • Para que os estudantes aprendam o conteúdo, é interessante sugerir que, em dupla, escrevam um texto empregando o pasado simple e o pretérito perfecto compuesto. Assim, eles se deparam com o problema na prática, não ficando restristos somente à análise durante a leitura.
  • Bibliografia: http://www.brasilescola.com/espanhol/predominancia-da-lingua-espanhola.htm http://www.artigonal.com/linguas-artigos/a-lingua-espanhola-como-devemos-ensinar-1336125.html http://revistaescola.abril.com.br/fundamental-2/musica-ensinar-conteudos-espanhol-690620.shtml
  • Obrigado ana.fernandes4@hotmail.com