Curso Online de Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida: Conviver e Conhecer, Caminhos para a Inclusão

Curso Online de Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida: Conviver e Conhecer, Caminhos para a Inclusão

O curso Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida: Conviver e Conhecer, Caminhos para a Inclusão apresenta uma temática bem relevante...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 14 horas

Por: R$ 90,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

O curso Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida: Conviver e Conhecer, Caminhos para a Inclusão apresenta uma temática bem relevante, porque a inclusão de pessoas com deficiência nos diversos ambientes sociais tem sido o desafio da sociedade atual. As pessoas com deficiência não aceitam mais apenas serem aceitas no meio social, elas querem igualdade de acesso e oportunidade, assim poderão exercer sua cidadania com autonomia e independência.
Embora as experiências pioneiras em inclusão tenham sido feitas na segunda metade dos anos 80, foi no início da década de 90 que o mundo da educação tomou conhecimento de um novo caminho para uma relação social baseada na qualidade e verdadeiramente aberta para todas as pessoas.
Esse caminho, conhecido como inclusão, difere substancialmente das formas antigas de inserção social de pessoas com deficiência e/ou com outros tipos de condições atípicas, no sentido de que a inclusão requer mudanças na perspectiva pela qual a sociedade deve ser entendida.
Naturalmente que qualquer mudança social requer a participação escolar no movimento em que se atua e por isso não podemos propor ideia sem passar pelo debate educativo.
O objetivo principal do curso é conduzir o aluno para esse universo, fazê-lo entender que a diversidade humana está presente em todas as relações sociais e assim devemos preparar a sociedade para todos.
Nesse contexto o curso em tela age como facilitador do processo, dando aos alunos subsídios textuais, legais e sociais para que eles possam compreender o dinamismo da inclusão.

Meu nome é Ariovaldo Vieira, ou simplesmente Ari Vieira, como sou conhecido. Sou graduado em Ciências Sociais e Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e especializado em Educação para crianças com deficiência, também pela PUCSP. Dissemino questões relacionadas à inclusão pelas Redes Sociais. Faço um convite para conhecerem meu blog http://arivieiracet.blogspot.com.br Se quiserem podem me adicionar no facebook, assim vamos nos conhecendo melhor e posso responder suas dúvidas. facebook.com/ari.vieira.7 Meu email pessoal é arisol@uol.com.br



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • CURSO – PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E MOBILIDADE REDUZIDA: CONVIVER E CONHECER – CAMINHOS PARA A INCLUSÃO

    CURSO – PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E MOBILIDADE REDUZIDA: CONVIVER E CONHECER – CAMINHOS PARA A INCLUSÃO

    arisol@uol.com.br

  • Apresentação do curso

    Apresentação do curso

    A inclusão de pessoas com deficiência nos diversos ambientes sociais tem sido o desafio da sociedade atual. As pessoas com deficiência não aceitam mais serem apenas inseridas nos meios sociais, elas querem igualdade de acesso e oportunidade, assim poderão exercer sua cidadania com autonomia e independência.
    Embora as experiências pioneiras em inclusão tenham sido feitas na segunda metade dos anos 80, foi no início da década de 90 que o mundo tomou conhecimento de um novo caminho para uma relação social baseada na qualidade e verdadeiramente aberta para todas as pessoas.
    Esse caminho, conhecido como inclusão, difere substancialmente das formas antigas de inserção social de pessoas com deficiência e/ou com outros tipos de condições atípicas, no sentido de que a inclusão requer mudanças na perspectiva pela qual a sociedade deve ser entendida.
    Nesse contexto o curso em tela age como facilitador do processo, dando aos alunos subsídios textuais, legais e sociais para que eles possam compreender o dinamismo da inclusão. Para que isso seja alcançado elaborei o curso em quatro módulos de 20 horas cada, assim distribuídos:

    arisol@uol.com.br

  • Apresentação dos Módulos 1 e 2

    Apresentação dos Módulos 1 e 2

    Módulo – 1

    Processo histórico das pessoas com deficiência e Quem são as pessoas com deficiência .

    Neste módulo vamos estudar o processo histórico da Pessoa com Deficiência inserida no contexto social. O estudo vai nos permitir entender a dinâmica da exclusão e como a sociedade pode inserir um novo modelo de relações sociais, baseada no respeito à diversidade. Além disso, vamos abordar a terminologia correta a ser usada para se referir à pessoa com deficiência, sob a ótica da lei. O uso do termo correto é fundamental para que todos possam se relacionar com afetividade e igualdade. E ainda vamos observar quem são realmente as pessoas consideradas com deficiência.

    Módulo – 2

    Direitos das pessoas com deficiência, Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência

    O reconhecimento dos direitos das pessoas com deficiência constitui importante conquista desse segmento da sociedade. Os direitos são colocados não como privilégios, mas como forma de equiparar acessos, oportunidades e melhores condições de exercer a plena cidadania. Serão feitas abordagens sobre o pacto internacional que culminou na Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência da ONU

    arisol@uol.com.br

  • Apresentação do Módulo 3

    Apresentação do Módulo 3

    Módulo – 3

    Tecnologias Assistivas, Desenho Universal e Audiolivro

    Tecnologia Assistiva é um termo ainda novo, utilizado para identificar todo o arsenal de Recursos e Serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas com deficiência e consequentemente promover Vida Independente e Inclusão. É também definida como "uma ampla gama de equipamentos, serviços, estratégias e práticas concebidas e aplicadas para minorar os problemas encontrados pelos indivíduos com deficiências”.

    Como condição precípua para o exercício desses direitos, é importante conceituar o
    Desenho Universal como prática a ser implantada nas edificações, comunicações e acessos de qualquer natureza e para isso conhecer o conceito universal de acessibilidade é fundamental.

    Nesta aula vamos abordar mais uma forma de tecnologia assistiva, o audiolivro, que nada mais que um livro gravado em áudio, e que pode ser encontrado em CD ou em outros formatos como MP3. Muitos audiolivros encontram-se em domínio público e podem ser baixados gratuitamente na internet. É um produto que não se destina exclusivamente a pessoas com deficiência visual, embora tenha nelas um público fiel; destina-se também a pessoas que enxergam e que gostam de escutar o livro enquanto dirigem ou fazem outras atividades. Fundamental principalmente para a inclusão de alunos surdos.


     

    arisol@uol.com.br

  • Apresentação do Módulo 4

    Apresentação do Módulo 4

    Módulo – 4

    Pessoas com deficiência e o mercado de trabalho

    O objetivo principal deste módulo é conduzir o aluno à refletir sobre a importância da inclusão profissional na vida da pessoa com deficiência, possibilitando a ela a oportunidade de trabalhar e garantir seu sustento próprio e da sua família. É fundamental abordar a Lei de Cotas e como esse processo modifica a vida da pessoa e da sociedade. Pelo trabalho, a pessoa com deficiência deixa de receber benefícios sociais e passa a ser sujeito da sua própria história.

    arisol@uol.com.br

  • Apresentação do tutor

    Apresentação do tutor

    Olá pessoal, sejam todos bem-vindo ao curso. Meu nome é Ariovaldo Vieira, ou simplesmente Ari Vieira, como sou conhecido. Elaborei este curso e vou ser o tutor do seu processo de aprendizagem, entretanto, nossas atividades compreende a troca de informações, ideias, conhecimentos e experiências. Assim aprenderemos juntos.
    Sou graduado em Ciências Sociais e Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo e especializado em Educação para crianças com deficiência, também pela PUCSP.
    Dissemino questões relacionadas à inclusão pelas Redes Sociais. Faço um convite para conhecerem meu blog http://arivieiracet.blogspot.com.br
    Se quiserem podem me adicionar no facebook, assim vamos nos conhecendo melhor e posso responder suas dúvidas. facebook.com/ari.vieira.7
    Meu e-mail encontra-se no rodapé. Vamos ao curso:

    arisol@uol.com.br

  • Módulo 1 Breve histórico social das Pessoas com Deficiência

    Módulo 1 Breve histórico social das Pessoas com Deficiência

    De acordo com informações históricas não se têm indícios de como os primeiros grupos de humanos na Terra se comportavam em relação às pessoas com deficiência. Tudo indica que essas pessoas não sobreviviam ao ambiente hostil da Terra. Basta lembrar que não havia abrigo satisfatório para dias e noites de frio intenso e calor insuportável; não havia comida em abundância, era preciso ir à caça para garantir o alimento diário e, ao mesmo tempo, guardá-lo para o longo inverno.
    Segundo a pesquisadora Maria Aparecida Gugel, no Egito Antigo há evidências arqueológicas, com mais de cinco mil anos, que a pessoa com deficiência integrava-se nas diferentes e hierarquizadas classes sociais (faraó, nobres, altos funcionários, artesãos, agricultores, escravos). “A arte egípcia, os afrescos, os papiros, os túmulos e as múmias estão repletos dessas revelações”.
    Todavia, na Grécia Antiga, Platão, no livro A República, e Aristóteles, no livro A Política, trataram do planejamento das cidades gregas indicando as pessoas nascidas “disformes” para a eliminação. A eliminação era por exposição, ou abandono ou, ainda, atiradas do aprisco de uma cadeia de montanhas chamada Taygetos, na Grécia. O filme “300” expõe de forma clara esse procedimento. Pelos costumes espartanos, os nascidos com deficiência eram eliminados, só os fortes sobreviviam para servir ao exército de Leônidas.

    arisol@uol.com.br

    Cena do filme 300

  • Breve histórico social das Pessoas com Deficiência

    Breve histórico social das Pessoas com Deficiência

    Todavia, na Grécia Antiga, Platão, no livro A República, e Aristóteles, no livro A Política, trataram do planejamento das cidades gregas indicando as pessoas nascidas “disformes” para a eliminação. A eliminação era por exposição, ou abandono ou, ainda, atiradas do aprisco de uma cadeia de montanhas chamada Taygetos, na Grécia.
    As leis romanas da Antiguidade não eram favoráveis às pessoas que nasciam com deficiência. Aos pais era permitido matar as crianças com deformidades físicas, pela prática do afogamento. Relatos nos dão conta, no entanto, que os pais abandonavam seus filhos em cestos no Rio Tibre, ou em outros lugares sagrados. Os sobreviventes eram explorados nas cidades por “esmoladores”, ou passavam a fazer parte de circos para o entretenimento dos abastados.
    Os períodos marcados pelo fim do Império Romano (Século V, ano 476) e a Queda de Constantinopla (Século XV, em 1453), marcam o início da Idade Média, que é marcada por precárias condições de vida e de saúde das pessoas. A população ignorante encarava o nascimento de pessoas com deficiência como castigo de Deus. Os supersticiosos viam nelas poderes especiais de feiticeiros ou bruxos. As crianças que sobreviviam eram separadas de suas famílias e quase sempre ridicularizadas. A literatura da época coloca os anões e os corcundas como focos de diversão dos mais abastados.
    Os Séculos XVI e XVII em toda a Europa foram marcados pela massa de pobres, mendigos e pessoas com deficiência. Alguns verdadeiros, muitos falsos, reuniam-se em confrarias (organizações), em locais e horas determinadas, para mendigar, com divisão de lucros e cobranças de taxas entre os participantes do grupo. Paul Lacroix, escritor e jornalista francês, dedicou-se a escrever sobre esses grupos de pessoas.

    arisol@uol.com.br

  • Breve histórico social das Pessoas com Deficiência

    Breve histórico social das Pessoas com Deficiência

    No Século XIX, em 1819, Charles Barbier (1764-1841), um capitão do exército francês atendeu a um pedido de Napoleão e desenvolveu um código para ser usado em mensagens transmitidas à noite durante as batalhas. Em seu sistema uma letra, ou um conjunto de letras, era representada por duas colunas de pontos que por sua vez se referiam às coordenadas de uma tabela. Cada coluna podia ter de um a seis pontos, que deveriam estar em relevo para serem lidos com as mãos. O sistema foi rejeitado pelos militares, que o consideraram muito complicado.
    Barbier então apresentou o seu invento ao Instituto Nacional dos Jovens Cegos de Paris. Entre os alunos que assistiram a apresentação encontrava-se Louis Braille (1809- 1852), então com quatorze anos, que se interessou pelo sistema e apresentou algumas sugestões para seu aperfeiçoamento. Como Barbier se recusou a fazer alterações em seu sistema, Braille modificou totalmente o sistema de escrita noturna criando o sistema de escrita padrão – o BRAILLE – usado por pessoas cegas até aos dias de hoje.
    O Século XX trouxe avanços importantes para as pessoas com deficiência, sobretudo em relação às ajudas técnicas ou elementos tecnológicos assistivos. Os instrumentos que já vinham sendo utilizados - cadeira de rodas, bengalas, sistema de ensino para surdos e cegos, dentre outros - foram se aperfeiçoando. A sociedade, não obstante as sucessivas guerras, organizou-se coletivamente para enfrentar os problemas e para melhor atender a pessoa com deficiência.
    Por volta dos anos de 1902 até 1912, cresceu na Europa a formação e organização de instituições voltadas para preparar a pessoa com deficiência. Levantaram-se fundos para a manutenção dessas instituições, sendo que havia uma preocupação crescente com as condições dos locais onde as pessoas com deficiência se abrigavam. Já começavam a perceber que as pessoas com deficiência precisavam participar ativamente do cotidiano e integrarem-se na sociedade.

    arisol@uol.com.br

  • Breve histórico social das Pessoas com Deficiência

    Breve histórico social das Pessoas com Deficiência

    O 32º Presidente dos Estados Unidos, Franklin Delano Roosevelt (foto abaixo), em 1933, com o programa político New Deal, atrelado a assistência social, ajudou a minimizar os efeitos da depressão econômica. Roosevelt que era paraplégico, embora não gostasse de ser fotografado em sua cadeira de rodas, contribuiu para uma nova visão da sociedade americana e mundial de que a pessoa com deficiência, com boas condições de reabilitação, pode ter independência pessoal. Ele foi um exemplo seguido por muitos americanos com deficiência que buscavam vida independente e trabalho remunerado.

    arisol@uol.com.br

  • INFORMAÇÃO IMPORTANTE

    INFORMAÇÃO IMPORTANTE

    arisol@uol.com.br


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 90,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • CURSO – PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E MOBILIDADE REDUZIDA: CONVIVER E CONHECER – CAMINHOS PARA A INCLUSÃO
  • Apresentação do curso
  • Apresentação dos Módulos 1 e 2
  • Apresentação do Módulo 3
  • Apresentação do Módulo 4
  • Apresentação do tutor
  • Módulo 1 Breve histórico social das Pessoas com Deficiência
  • Breve histórico social das Pessoas com Deficiência
  • INFORMAÇÃO IMPORTANTE
  • Breve histórico social das Pessoas com Deficiência - Brasil
  • Links para vídeos de apoio ao módulo 1
  • Referências Bibliográficas:
  • Quem são as Pessoas com Deficiência
  • Pessoas com Mobilidade Reduzida
  • Pessoa com deficiência física
  • Pessoa Deficiência Auditiva
  • Pessoa com Deficiência Visual
  • Pessoa com Deficiência Intelectual
  • Pessoa com Deficiência Múltipla
  • Surdocegueira
  • Autismo
  • Referências Bibliográficas:
  • O uso da terminologia correta para se referir às pessoas com deficiência
  • Evolução da terminologia
  • Para saber mais: Censo 2010 e as pessoas com deficiência
  • Retrato da Deficiência no País
  • Quadro Geral Censo 2010 – IBGE
  • Referências Bibliográficas:
  • Vídeo Dicas de Relacionamento 1
  • Proposta de atividade
  • EDUARDO GALEANO, ESCRITOR URUGUAIO
  • Elaboração
  • Módulo – 2 Direitos das pessoas com deficiência, Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência
  • Aspectos relevantes sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência
  • INFORMAÇÃO IMPORTANTE
  • Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência
  • Bases da Convenção
  • Os Princípios (segunda base)
  • Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência
  • Acessibilidade
  • A ONU e as pessoas com deficiência
  • Links para vídeos de apoio ao módulo 2
  • Referências Bibliográficas:
  • Vídeo Dicas de Relacionamento 2
  • Proposta de atividade
  • Bertold Brecht
  • Elaboração
  • Módulo – 3 Tecnologias Assistivas, Desenho Universal e Audiolivro
  • Tecnologia Assistiva  
  • Objetivos da Tecnologia Assistiva
  • Categorias de Tecnologia Assistiva (TA)
  • Audiodescrição
  • Para saber mais sobre Audiodescrição:
  • Desenho Universal
  • Altura média
  • Desenho Universal
  • Desmistificar a existência do Homem Padrão
  • Desenho Universal
  • Sete princípios do Desenho Universal
  • Desenho Universal
  • Audiolivro
  • Vídeo Dicas de Relacionamento 3
  • Proposta de atividade
  • Referências Bibliográficas:
  • Professora Maria Teresa Mantoan
  • Elaboração
  • Módulo – 4 A inclusão de Pessoas com Deficiência no Mercado de Trabalho
  • Pessoas com deficiência e o mercado de trabalho
  • O trabalho e a pessoa com deficiência
  • Vídeo de apoio
  • Inclusão de pessoas com deficiência nas empresas
  • Vídeo de apoio
  • Lei de Cotas
  • Vídeo de apoio
  • Conceito de Pessoa com Deficiência e seu impacto no mercado de trabalho
  • Vídeo de apoio
  • Proposta de atividade
  • Referências Bibliográficas:
  • Mensagem final
  • Paulo Freire
  • Elaboração