Curso Online de Como Trabalhar a Lei 10.639/03 nas Escolas

Curso Online de Como Trabalhar a Lei 10.639/03 nas Escolas

Este curso tem como objetivo orientar professores trabalhar de forma adequada a Lei 10.639/03 nas escolas, mostrando desafios e apontamen...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

De: R$ 50,00 Por: R$ 29,00
(Pagamento único)

Mais de 10 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Este curso tem como objetivo orientar professores trabalhar de forma adequada a Lei 10.639/03 nas escolas, mostrando desafios e apontamentos nas relações étnico-raciais no ambiente escolar.

Possui graduação em licenciatura plena em História pela Universidade Tiradentes-UNIT. Pós-graduado em História da África e da Cultura Afro-brasileira pela Faculdade Pio Décimo. Pós-graduando em História do Brasil, Faculdade Pio Décimo.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • COMO TRABALHAR A LEI 10.639/03 Nas Escolas

    como trabalhar a lei 10.639/03 nas escolas

    prof. anselmo xavier

  • a lei 10.639/03, foi assinada e sancionada pelo então presidente do brasil, luis inácio lula da silva em 09 de janeiro de 2003.

  • O que se trata

    o que se trata

    essa lei modifica e complementa a ldb n. 9.394/96 a qual inclui nos currículos escolares da rede pública e particular de ensino em todo o país no ensino fundamental e médio a obrigatoriedade da temática “história e cultura afro-brasileira”, como também o “dia nacional da consciência negra”, o dia 20 de novembro no calendário escolar.

  • O Fator Étnico e Racial na Sociedade Brasileira

    o fator étnico e racial na sociedade brasileira

    pluralidade racial, cultural e étnica, são considerações fundamentais que devemos ter ao estudar um país como o brasil. durante muito tempo vivemos sob a ideologia do branqueamento, que legitimou o sentimento de superioridade dos brancos em relação aos negros. no entanto, admitir a diversidade não é tarefa fácil, pelo fato de estarmos inseridos numa ideologia histórica, onde vivemos e convivemos sob o legado do racismo.

  • o racismo constrói uma linha de pensamento e ação com fundamento em outros três conceitos-chave, que trazem consequências negativas para aqueles que a recebe. são eles: o preconceito, estereótipos e a discriminação. um atrelado ao outro, como definiremos a seguir.

  • preconceito. trata-se de um prejulgamento, que pode constituir-se no primeiro passo para o racismo. um conceito formado com antecipação sem nenhum rigor.
    estereótipo. idéias ou convicções produzidas a partir de uma conduta de um indivíduo – que carrega determinada característica – que passa a ser generalizada para todos os demais – que possuam essa mesma característica. por exemplo: “todo negro é burro”, todo gordo é preguiçoso” etc.
    discriminação. conduta que visa direitos das pessoas com base em critérios injustificados e injustos, como raça, sexo, idade, religião, e outros. a discriminação é a exteriorização, a manifestação, a materialização do racismo, do preconceito e do estereótipo.

  • os profissionais da educação devem considerar que a escola, da mesma forma que na sociedade, as relações são perpassadas pelo racismo e pela discriminação, o reconhecimento do racismo, ou seja, o desmantelamento da falsa ideia de democracia racial requer a valorização da história e cultura do negro.

  • de grande importância é que o professor tenha mecanismo para compreender melhor a formação das relações raciais na cultura brasileira e passa a interferir no cotidiano da instituição escolar. o docente deverá ter instrumentos para decodificar as práticas discriminatórias produzidas e reproduzidas no interior da escola.

  • o padrão hegemônico de cultura, de estética, de história é eurocêntrico, no sentido de priorizar a cultura européia e o homem branco como padrão e modelo, no qual a escola brasileira se baseia, deve ser questionada, pois valoriza os que nele se enquadram e avalia negativamente todos os que dele se afastam. ou seja, esse padrão é tomado como único, exemplar, universal e funciona como um aparelho de homogeneização.

  • estudos têm confirmado que o cotidiano na escola é atravessado pela questão racial e os efeitos disso aparecem na dificuldade que os alunos negros enfrentam, são eles que apresentam o pior desempenho escolar, as maiores taxas de evasão e de repetência. isso significa que as crianças negras encontram-se em desvantagem, e esse fato justifica e reitera um imaginário estereotipado que se tem sobre o negro, afirmando sua suposta incapacidade para tarefas intelectuais.

  • os estudos têm constatado que o rendimento escolar dos alunos negros é condicionado por processos intra-escolares, pois, mesmo quando o nível socioeconômico das famílias é equivalente, os negros, muitas vezes, apresentam uma trajetória escolar diferenciada, ou seja, o baixo rendimento escolar da criança negra não pode ser explicado apenas por fatores sócio-econômicos, mas, sim, pela questão racial ou, mais precisamente, pelo racismo manifestado nas escolas.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 29,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • COMO TRABALHAR A LEI 10.639/03 Nas Escolas
  • O que se trata
  • O Fator Étnico e Racial na Sociedade Brasileira
  • Como Trabalhar a Lei
  • A Capoeira
  • Mitologias
  • Considerações Finais
  • Referências