Curso Online de DIREITO DO CONSUMIDOR
3 estrelas 1 aluno avaliou

Curso Online de DIREITO DO CONSUMIDOR

CARO ALUNO, O CURSO É DESTINADO A TODOS QUE BUSCAM CONHECIMENTO NA ÁREA DE DIREITO FOCANDO NO DIREITO DO CONSUMIDOR.

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 6 horas

Por: R$ 30,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

CARO ALUNO,

O CURSO É DESTINADO A TODOS QUE BUSCAM CONHECIMENTO NA ÁREA DE DIREITO FOCANDO NO DIREITO DO CONSUMIDOR.

ORGANIZAÇÃO QUE BUSCA APRESENTAR CURSOS EM DIVERSAS ÁREAS DE ATUAÇÃO E FORMAÇÃO POR UM BAIXO CUSTO PARA OS USUÁRIOS.


- Silvana Luiz Severo

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • DIREITO DO CONSUMIDOR

    DIREITO DO CONSUMIDOR

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Considerando um marco em 1991 o Código de Defesa do Consumir um fato importante para a construção da vigência de uma nova era na concepção de direito.
    Ao normatizar padrões para o comportamento do consumidor, desencadeia uma série de transformação social.

  • EVOLUÇÃO DO DIREITO DO CONSUMIDOR

    EVOLUÇÃO DO DIREITO DO CONSUMIDOR

    O progresso material da humanidade ocorrido nos últimos dois séculos superou tudo o que se havia criado em milhões de anos.

    Surgido há três milhões e quinhentos mil anos, o homem levou mais de dois milhões de anos para inventar o machado de punho, que se tornou a sua principal ferramenta e arma durante mais de um milhão de anos. Só muito tempo depois, há 35 mil anos, foi que criou o arco e flecha. Passaram-se mais trinta mil anos até que o homem inventasse a roda, o arado, a vela de iluminação e erigisse a primeira grande civilização do planeta, na Mesopotâmia.

  • Uma fantástica revolução tecnológica estava sendo engendrada desde o século XIV, no coração da Europa. Durante toda a Idade Média e boa parte da Idade Moderna, os povos europeus conviveram com governos absolutistas e não raro despóticos. Ao absolutismo dos monarcas se agregava a imensa influência da Igreja Católica para compor núcleos de força que ditavam as normas e moldavam a realidade social da época.

  • Os cidadãos praticamente não tinham meios de influir na administração do Estado, muito menos de fiscalizá-la ou impor-lhe algum controle. Em regra, também não Lhes era permitido defender seus pontos de vista livremente, sobretudo quando estes divergissem da opinião dos governantes ou dos sacerdotes. Muitos foram condenados à morte pelo simples fato de defenderem suas idéias.

  • Como reação ao absolutismo estatal e religioso, inicia-se no norte da Itália, em fins do século XIV, o Renascimento, que resgata o humanismo dos antigos filósofos g regos pré-helenísticos, sobretudo Sócrates (470-399 a.C.), Platão (427-347 a.C.) e Aristételes (364-322 a.C.). Prenunciando o liberalismo, o humanismo sustenta que o homem vem ao mundo não apenas para servir a Deus, mas para desenvolver livremente as suas possibilidades e desfrutar a vida.

  • Graças a Locke, restaura-se o método empírico aristotélico, que conduzirá à futura doutrina positivista. Oempirismo filosófico — compreendido como o método da busca prática e experimental das soluções para os problemas humanos — estrutura-se ao longo do século XVIII, sustentado no fenomenismo do filósofo escocês David 1-lume (1711-1776) e no imaterialismo do irlandês George Berkeley (1665-1753). Por trás dos fenômenos existe uma realidade que deve ser analisada e apreendida:

  • Ao longo do século XIX, o novo método científico empírico produz seus frutos. Em 1825 é inaugurada a primeira estrada de ferro do mundo, de Stockton a Darlington, na Escócia. Em 1838 é construído o primeiro navio de ferro, o Great Britain. Em 1856, Bessemerdescobre o aço.
    O primeiro poço petrolífero o mundo é aberto na Pensilvãnia em 1859 e em 1870 começa a se erguer o grande truste americano dos Rockefeller.

  • Em 1895, contudo, surge um concorrente para ameaçar o poderio britânico: a metalurgia inglesa é ultrapassada pela alemã.
    Daí surge a disputa que constitui o embrião da primeira guerra mundial.

  • Até meados do século XVIII, consumidor e fornecedor encontravam-se em condições de igualdade. A atividade produtiva era artesanal e envolvia apenas os membros da família ou alguns poucos operários.
    As relações de consumo eram singelas e modestas: o consumidor final, por via de regra, adquiria as mercadorias diretamente do produtor.
    Os bens eram manufaturados de forma quase individualizada para cada consumidor, o que contribuía para diminuir sensivelmente a margem de vícios ou defeitos.

  • Com a Revolução Industrial e a explosão demográfica, houve nítida separação entre as atividades de produção e de comercialização.
    A demanda aumentou incrivelmente e gerou o chamado consumo de massa, ou consumo em larga escala.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 30,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • DIREITO DO CONSUMIDOR
  • INTRODUÇÃO
  • EVOLUÇÃO DO DIREITO DO CONSUMIDOR
  • VULNERABILIDADE DO CONSUMIDOR
  • QUEM É O CONSUMIDOR?
  • QUEM É FORCENECEDOR?
  • O QUE É PRODUTO?
  • O QUE É SERVIÇO?
  • DIREITOS DO CONSUMIDOR
  • PROTEÇÃO A SAÚDE E SEGURANÇA
  • RESPONSABILIDADE
  • RESPOSABILIDADE POR VÍCIO
  • COMUNICAÇÃO
  • OFERTA
  • PUBLICIDADE
  • PRÁTICAS ABUSIVAS
  • OBRIGAÇÃO DO FORNECEDOR
  • COBRANÇA DE DÍVIDAS
  • BANCO DE DADOS
  • PROTEÇÃO CONTRATUAL
  • CLÁUSULAS ABUSIVAS
  • CONTRATO DE ADESÃO
  • SANÇÕES ADMINISTRATIVAS
  • NORMAS ESPECÍFICAS
  • NORMAS ESPECÍFICA
  • NORMAS ESPECÍFICAS
  • AGRADECIMENTO