Curso Online de Acesso Venoso em Hemodiálise
5 estrelas 4 alunos avaliaram

Curso Online de Acesso Venoso em Hemodiálise

- Identificar os principais tipos de acesso venoso em hemodiálise - Indicações de cada tipo - Contra-indicações - Cuidados gerais com os ...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 6 horas

Por: R$ 30,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

- Identificar os principais tipos de acesso venoso em hemodiálise
- Indicações de cada tipo
- Contra-indicações
- Cuidados gerais com os acessos
- Diagnóstico das infecções relacionadas ao acesso
- Tratamento das complicações

-Fisioterapeuta, com Especialização em Traumato-Ortopedia. -Acadêmico de Medicina (Sexto Ano), com conclusão em Dezembro de 2010


- Elenice Maria De Oliveira Francisco

- Ana Maria Silva De Jesus

- Rozimeire Fontinele Silva

- Crislaine Aparecida Bianco Borato

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • ACESSO VENOSO EM HEMODIÁLISE

    acesso venoso em hemodiálise

    rodrigo lobo silva

  • O QUE É HEMODIÁLISE?

    o que é hemodiálise?

    a hemodiálise é um procedimento através do qual uma máquina limpa e filtra o sangue, ou seja, faz o trabalho que o rim doente não pode fazer. o procedimento libera o corpo dos resíduos prejudiciais à saúde, como o excesso de sal e de líquidos. também controla a pressão arterial e ajuda o corpo a manter o equilíbrio de substâncias químicas como sódio, potássio, uréia e creatinina.
    segundo o censo brasileiro referente a pacientes em tratamento dialítico de 2008, há uma estimativa de quase 90.000 pacientes em hemodiálise. os tratamentos dialíticos não chegam a substituir integralmente a função renal, mas representam condições para manter a sobrevida da pessoa, permitindo que este retorne a uma vida normal e produtiva, prevenindo até a morte precoce.

    2

    rodrigo lobo silva - 2010

  • rodrigo lobo silva - 2010

    3

  • ACESSO VASCULAR

    acesso vascular

    desde os primórdios da diálise a limitação das opções de acesso vascular já representava motivo de grande preocupação. apesar de os avanços no tratamento da irc terminal, ainda hoje o acesso vascular continua sendo considerado por muitos o “calcanhar de aquiles” do nefrologista.
    a necessidade para acesso vascular nos pacientes com ir pode ser temporária ou permanente. a necessidade para acesso temporário pode variar de algumas horas (diálise única) a meses (se usado para dialisar enquanto se aguarda uma fístula arteriovenosa estar madura). a construção de um acesso permanente permite um acesso repetido por meses a anos.

    4

    rodrigo lobo silva - 2010

  • PRINCÍPIOS DE UM ACESSO VASCULAR ADEQUADO

    princípios de um acesso vascular adequado

    rodrigo lobo silva - 2010

    5

  • ACESSO VASCULAR

    acesso vascular

    indicações

    acesso temporário

    aqueles com ira;
    aqueles que necessitam de hemodiálise ou hemoperfusão para intoxicação ou superdosagem;
    aqueles com doença renal em estágio terminal necessitando de hemodiálise urgente, mas sem acesso maduro disponível;

    6

    rodrigo lobo silva - 2010

  • INDICAÇÕES PARA ACESSO TEMPORÁRIO

    indicações para acesso temporário

    d) aqueles em hemodiálise de manutenção que perderam o uso efetivo do seu acesso permanente e necessitam de acesso temporário até que o acesso permanente possa ser restabelecido;
    e) pacientes necessitando de plasmaféreses ou hemoperfusão;
    f) pacientes em diálise peritoneal cujo abdome está em repouso antes da colocação de novo cateter peritoneal;
    g) receptores de transplante necessitando de hemodiálise temporária durante episódios de rejeição grave.

    rodrigo lobo silva - 2010

    7

  • rodrigo lobo silva - 2010

    8

    cateter unilume para acesso venoso periférico

  • rodrigo lobo silva - 2010

    9

    cateter para acesso venoso central

  • rodrigo lobo silva - 2010

    10

    quando um paciente não tem ainda uma fistula arterio- venosa, ou se ele perdeu seu acesso vascular, seja uma fistula ou um enxerto prévio, e esse paciente necessita de submeter-se à hemodiálise, temos a opção de colocar um cateter de duas vias (duplo lúmen) em seu sistema venoso.

  • INDICAÇÕES PARA ACESSO PERMANENTE

    indicações para acesso permanente

    cateteres venosos com cuff estão evoluindo como uma forma alternativa de acesso vascular de longo prazo para pacientes nos quais o acesso av não pode ser realmente criado. principais indicações:
    crianças pequenas
    alguns pacientes diabéticos com doença vascular grave
    obesidade mórbida
    e os que fizeram múltiplos acessos vasculares e nos quais não estão disponíveis locais adicionais para a inserção de acesso vascular.
    outras indicações: pacientes com cardiomiopatias que não estão aptos para manter uma pressão de sangue adequada ou fluxo no acesso e aqueles que necessitam de acesso venoso mais frequente (hemodiálise noturna domiciliar).

    rodrigo lobo silva - 2010

    11


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 30,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • ACESSO VENOSO EM HEMODIÁLISE
  • O QUE É HEMODIÁLISE?
  • ACESSO VASCULAR
  • PRINCÍPIOS DE UM ACESSO VASCULAR ADEQUADO
  • ACESSO VASCULAR
  • INDICAÇÕES PARA ACESSO TEMPORÁRIO
  • INDICAÇÕES PARA ACESSO PERMANENTE
  • LOCALIZAÇÃO DA INSERÇÃO
  • COMPLICAÇÕES RELACIONADAS COM A INSERÇÃO
  • CUIDADO E USO DE CATETERES VENOSOS 1.Curativos
  • 2.Heparina
  • 3. Banho e uso do chuveiro
  • INFECÇÃO
  • DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DAS INFECÇÕES
  • TROCA DO CATETER
  • DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO DAS INFECÇÕES
  • COMPLICAÇÕES DE INFECÇÃO DO CATETER
  • DISFUNÇÃO DO CATETER
  • CONDUTA NA DISFUNÇÃO DO CATETER
  • COMPLICAÇÕES EMBÓLICAS
  • ACESSO ARTERIOVENOSO
  • Avaliação pré-operatória
  • Características de uma FAV
  • Localização de uma FAV
  • Maturação da fístula
  • ENXERTOS AV
  • Configuração e localização
  • COMPLICAÇÕES DO ACESSO AV
  • 1.Estenose
  • 2. Trombose
  • 3.Isquemia
  • 4. Edema
  • 5. Pseudo-aneurisma
  • 6. Infecções
  • 7. Insuficiência cardíaca congestiva
  • REFERÊNCIAS