Curso Online de Avaliação Renal - Parte II

Curso Online de Avaliação Renal - Parte II

Avaliação Renal parte II

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 4 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Mais de 0 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Avaliação Renal parte II

Pós Graduanda em Biortomolecular e Envelhecimento Saudável - ISEEC/RS Especializ. Biomédicina Estética - Incursos/GO Biomédica - FPM/Patos de Minas



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • Avaliação da Função Renal

    avaliação da função renal

    parte ii

  • Determinação de Ácido Úrico

    determinação de ácido úrico

    é derivado de três fontes: (1) catabolismo de nucleoproteínas ingeridas (300mg/dia), (2) catabolismo de nucleoproteínas endógena (400mg/dia) e (3) transformação direta de purina-nucleotídeos endógenos.

    rna, dna

    purinas

    hipoxantina

    ácido ùrico

  • Determinação de Ácido Úrico

    determinação de ácido úrico

    é sintetizado no fígado e na mucosa intestinal onde tem a enzima xantina-oxidase.

    75% excretado na urina e 25% pelas fezes.
    adulto médio com dieta pobre em proteínas secreta 275 a 600 mg/dia de ác.urico na urina.

    purinas

    xantina oxidase

    ácido ùrico

  • Catabolismo de ácido úrico

    catabolismo de ácido úrico

  • Determinação de Ácido Úrico: técnicas analíticas

    determinação de ácido úrico: técnicas analíticas

    oxidação em alantoína. métodos químicos e enzimáticos.
    método de caraway (utilizado no passado): oxidação do ácido úrico pelo fosfotungstia alcalino em solução livre de proteínas. o ác. fosfotungstato é reduzido a azul de tungstênio, que é determinado fotometricamente em 700 nm. mas possui muitos interferentes, inclusive precipitação do ácido úrico com as proteínas.

  • Determinação de Ácido Úrico: técnicas analíticas

    determinação de ácido úrico: técnicas analíticas

    método com a enzima uricase: cataliza a oxidação do ácido ùrico em alantoína, utilizando a enzima uricase.fomando peróxido de hidrogênio . fornece um cromógeno cereja.
    valores de referência: homens: 2,5 a 7,0 mg/dl e mulheres: 1,5 a 6,0 mg/dl.

  • Determinação de Ácido Úrico: técnicas analíticas – Pela enzima uricase

    determinação de ácido úrico: técnicas analíticas – pela enzima uricase

    ácido úrico + 2 h2o uricase → alantoína + co2 + h2o2
    2 h2o2 + dhbs + 4-aminoantipirina peroxidase→ cromógeno cereja + 4 h2o

    a intensidade da cor cereja formada é diretamente proporcional à concentração de ácido úrico na amostra.

  • Hiperuricemia Patológica

    hiperuricemia patológica

    defeitos na eliminação:
    - insuficiência renal aguda e crônica.
    - uso de medicamentos(redução da secreção tubular distal) – furosemida.
    - drogas nefrotóxicas – gentamicina, indapamida.
    - chumbo, álcool, hipotireoidismo e hiperparatireoidismo.
    aumento de ácidos nucléicos:
    - estados hipercatabólicos.
    - terapia com fármacos citotóxicos.
    - psoríase.
    - neoplasmas.

  • Hiperuricemia Patológica

    hiperuricemia patológica

    defeitos enzimáticos: indução da enzima xantina oxidase. deficiência da hgprt (hipoxantina-guanina fosforribosil transferase)=a síndrome de lesch-nyahan (movimentos involuntários e auto-mutilação ligada ao cromossomo x -sexo masculino) onde as purinas não são reconvertidas a nucleosídios;
    deficiência de glicose 6 -fosfatase. a doença de von gierke resulta no acúmulo de glicogênio hepático e renal, hipoglicemia em jejum, acidose láctica, hipertrigliceridemia e hiperuricemia promovidos pela deficiência da enzima glicose 6-fosfatase.

  • Hiperuricemia Patológica

    hiperuricemia patológica

    gota: desordem clínica caracterizada por deposição de cristais de urato monossódico insolúveis nas articulações das extremidades corpóreas.

  • Hiperuricemia Patológica

    hiperuricemia patológica

    consequências: nefrolitíase (cálculos), nefropatia por urato (insuficiência renal crônica) e nefropatia por ácido ùrico (insuficiência renal aguda).
    ingestão de etanol piora as crises.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Avaliação da Função Renal
  • Determinação de Ácido Úrico
  • Catabolismo de ácido úrico
  • Determinação de Ácido Úrico: técnicas analíticas
  • Determinação de Ácido Úrico: técnicas analíticas – Pela enzima uricase
  • Hiperuricemia Patológica
  • Hipouricemia
  • Valores de Referência Ácido ùrico
  • Proteína urinária
  • Exames de Proteinúria
  • Doenças Renais e suas Alterações Laboratoriais
  • Doenças Renais e suas Alterações Laboratoriais e Clínicas
  • Doenças Renais e suas Alterações Laboratoriais: Azotemia Pré-Renal
  • Doenças Renais – Síndromes Glomerulares: Lesão Glomerular.
  • Doenças Renais – Síndromes Glomerulares: Lesão Glomerular por Síndrome Nefrótica
  • Doenças Renais – Síndromes Glomerulares: Lesão Glomerular por Síndrome Nefrítica
  • Síndromes Glomerulares: Lesão Glomerular por Síndrome Nefrítica
  • Doenças Renais – Síndromes Tubulares: Lesão Tubular
  • Doenças Renais – Uropatia Obstrutiva
  • Doenças Renais - Pielonefrite
  • Cálculos Renais