Curso Online de CONDUTOR DE VEÍCULOS DE EMERGÊNCIA E ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR - RESGATE

Curso Online de CONDUTOR DE VEÍCULOS DE EMERGÊNCIA E ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR - RESGATE

Dois cursos em um, com a finalidade de preparar o profissional para a atividade de conduzir com prudência e obediência os veículos de eme...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 170 horas


Por: R$ 39,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Dois cursos em um, com a finalidade de preparar o profissional para a atividade de conduzir com prudência e obediência os veículos de emergência com o correto transporte de pessoas que necessitam de atendimento médico hospitalar e promover conhecimentos específicos no atendimento pré-hospitalar, para prestar assistência nos primeiros socorros as urgências e emergências.

Expert Saúde Cursos é formado por profissionais de saúde com experiência em atendimento de urgência, emergência e trauma. Pós- Graduação Unidade de Terapia Intensiva adulto e Atenção Primária a Saúde e UTI adulto. Capacitação em Urgências Vasculares. Treinamento " Uso da Simulação realística do Instituto Albert Einstein, Curso de Classificação de Risco, Protocolo de Manchester . ACLS ( Suporte de Vida em Cardiologia, entre outros.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • CERTIFICADO 170 H
    CONDUTOR e APH

  • “A vida tem pressa.”.
    Zeni Muniz

  • OLÁ!
    BEM VINDO AO CURSO!!!

  • É UMA ALEGRIA E SATISFAÇÃO RECEBÊ-LO NESSE AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM.

    ESTAREI A DISPOSIÇÃO, CASO TENHA DÚVIDAS!

  • BOM ESTUDOS !!!

    PRESTE BASTANTE ATENÇÃO!
    VAMOS AS AULAS?

  • OBJETIVOS DO CURSO:

    Preparar o profissional para a atividade de conduzir com prudência e obediência a sinalização os veículos de emergência com o correto transporte de pessoas que necessitam de atendimento médico hospitalar e promover conhecimentos específicos no atendimento pré-hospitalar, para prestar assistência as urgências e emergências.

  • MÓDULO I

  • LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO

    REGULAMENTAÇÃO DO TRÂNSITO BRASILEIRO

    O trânsito brasileiro é regulamentado pela Lei 9.503/97 Código de Trânsito Brasileiro CTB, e pelas Resoluções complementares. O estado complementam a legislação por meio de Portarias e Decretos. Os órgãos de trânsito municipais também têm autonomia para normatizar detalhes do trânsito, que não são os mesmos em todas as cidades, exigindo atenção por parte dos condutores.

  • CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO (CTB)

    O Código define atribuições das diversas autoridades e órgãos ligados ao trânsito, fornece diretrizes para a Engenharia de Tráfego e estabelece normas de conduta, infrações e penalidades para diversos usuários deste complexo sistema.
    Art. 1º: “O trânsito de qualquer natureza nas vias terrestres do território nacional, abertas a circulação, rege-se por este Código”.

  • § 2º- “O trânsito, em condições seguras, é um direito de todos e dever dos órgãos e entidades competentes do Sistema Nacional de Trânsito, a estes cabendo, no âmbito das respectivas competências, adotar as medidas destinadas a assegurar esse direito”

    Art. 5° “Sistema Nacional de Trânsito (SNT) é um conjunto de órgãos e entidades que tem por finalidade o exercício das atividades de planejamento, administração, normatização, pesquisa, registro e licenciamento de veículos, formação, habilitação e reciclagem de condutores, educação, engenharia, operação do sistema viário, policiamento, fiscalização, julgamento de infrações e de recursos e aplicação das penalidades”.

  • De acordo com o Art. 1º, os órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de trânsito (SNT) respondem, no âmbito das respectivas competências, objetivamente, por danos causados aos cidadãos em virtude de ação, omissão ou erro na execução e manutenção de programas, projetos e serviços que garantam o exercício do direito do trânsito seguro


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 39,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • LEGISLAÇÃO DE TRÂNSITO
  • CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO (CTB)
  • DOCUMENTAÇÃO EXIGIDA PARA O CONDUTOR E O VEÍCULO
  • Critérios básicos de sinalização viária
  • Sinalização Vertical
  • Sinalização Horizontal
  • Dispositivos de Sinalização Auxiliar
  • Luminosos
  • Sonoros
  • Vias públicas
  • Classificação das vias
  • REGRAS DE CIRCULAÇÃO DE TRÂNSITO
  • Ultrapassagem
  • Regras de ultrapassagens
  • NORMAS DE CONDUTA
  • Manobras de conversão e mudanças de faixa
  • INFRAÇÕES, CRIMES DE TRÂNSITO E PENALIDADES
  • Crimes de trânsito
  • Suspensão do direito de dirigir
  • LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA PARA VEÍCULOS DE EMERGÊNCIA
  • RESOLUÇÃO CONTRAN 268
  • USO DA SIRENE
  • DIREÇÃO DEFENSIVA
  • Elementos da direção defensiva
  • HÁBITOS DE DIREÇÃO DEFENSIVA
  • VEÍCULO
  • MANUTENÇÃO PERIÓDICA E PREVENTIVA
  • Funcionamento do veículo
  • PNEUS
  • CINTO DE SEGURANÇA
  • CONDUTOR
  • Fator humano e os acidentes de trânsito
  • ULTRAPASSAGEM
  • Colisão misteriosa
  • Condições Adversas de Luminosidade
  • Condições Adversas de Tempo ou Clima
  • Condições Adversas da Via
  • Condições Adversas do Tráfego
  • Condições Adversas do Veículo
  • Condições Adversas da Carga
  • Condições Adversas do Motorista
  • Como evitar colisão com o veículo da frente
  • Como evitar colisão com o veículo de trás
  • Como evitar colisão frontal
  • Como evitar colisão nos cruzamentos
  • Como Evitar Acidentes com Pedestres e Outros Integrantes do Trânsito
  • Colisões na Marcha à Ré
  • Colisões com Objetos Fixos
  • Colisões com Bicicletas
  • Colisões com Animais
  • Aspectos do comportamento e de segurança no transporte de emergência
  • ACIDENTE COM VEÍCULO DE EMERGÊNCIA
  • O estresse e o trânsito
  • O estresse e condutor de emergência
  • Comportamento solidário no trânsito
  • RESPEITO AO MEIO AMBIENTE
  • Causas e consequências da poluição.
  • Os veículos e a poluição ambiental
  • Poluição atmosférica
  • Serviços de Atendimento Pré-hospitalar (APH)
  • APH ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR
  • ANO DE 2003
  • PORTARIA N.º 1863/GM, EM 29 DE SETEMBRO DE 2003
  • SAMU 192
  • MAIO DE 2012
  • UNIDADE DE SUPORTE BÁSICO
  • UNIDADE DE SUPORTE AVANÇADO (USA)
  • EQUIPE PRONTA PARA SOCORRER
  • CHECK-LIST
  • SOCORRISTA
  • Deveres do Socorrista
  • EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL
  • HIGIENIZAÇÃO DE VIATURAS, EQUIPAMENTOS E MATERIAIS
  • VIAS DE DISSEMINAÇÃO
  • EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL EPI
  • Equipamentos Básicos utilizados no socorro pré-hospitalar
  • URGÊNCIA x EMERGÊNCIA
  • PASSO A PASSO 5 C
  • SUPORTE BÁSICO DE VIDA (SBV)
  • RESSUSCITAÇÃO CARDIOPULMONAR (RCP)
  • CADEIA DE SOBREVIVÊNCIA EXTRA-HOSPITALAR
  • VERIFICAR RESPIRAÇÃO E CIRCULAÇÃO SIMULTANEAMENTE
  • Posição lateral de segurança
  • PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA
  • SEQUÊNCIA DO SUPORTE BÁSICO DE VIDA (SBV) - ADULTOS
  • C: CIRCULAÇÃO
  • C- COMPRESSÕES TORÁCICAS
  • SINAIS DE OBSTRUÇÃO DE VIAS AÉREAS
  • ABERTURA DAS VIAS AÉREAS
  • Manobra de CHIN-LIFT
  • 1.1 Manobra de CHIN-LIFT
  • 1.2 Manobra de JAW-THRUST
  • 1.2 Manobra de JAW-TRUST
  • 1.3 ABERTURA DA BOCA
  • 1.4-Posição lateral de segurança.
  • 1.5 MANOBRA DE HEIMLICH E VARREDURA DIGITAL DA OROFARINGE
  • OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS POR CORPO ESTRANHO ( OVACE)
  • DEFINIÇÃO E MECANISMO DO ENGASGO
  • OBSTRUÇÃO PARCIAL OU LEVE:
  • OBSTRUÇÃO TOTAL OU GRAVE
  • SINAL UNIVERSAL DE ASFIXIA
  • DESOBSTRUÇÃO DE VIAS AÉREAS
  • OBSTRUÇÃO POR LÍQUIDO (Rolamento de 90º)
  • OBSTRUÇÃO EM LACTENTE
  • OVACE EM BEBÊS < QUE 1 ANO
  • MANOBRA NO BEBÊ INSCONSCIENTE
  • PRIMEIROS SOCORROS NO OVACE/ ADULTO
  • ENGASGO PARCIAL
  • ENGASGO TOTAL:
  • 2.1- Aspiração das vias aéreas
  • 2.2 Cânula nasofaríngea
  • 3.1 - Combitube
  • 3.2 Máscara laríngea
  • 3.3 - Intubação Traqueal
  • LARINGOSCÓPIO E LÂMINAS
  • INTUBAÇÃO OROTRAQUEAL (IOT)
  • 3.4 - Manuseio cirúrgico de vias aéreas
  • CRICOTIREOIDOSTOMIA
  • MEMBRANA CRICOTIREÓIDEA
  • 3.4.2 TRAQUEOSTOMIA
  • CÂNULAS E MATERIAIS
  • Cricotireoidostomia x Traqueostomia
  • B BOA RESPIRAÇÃO (Oxigenação e ventilação)
  • 3. VENTILAÇÃO COM MÁSCARA DE BOLSO POCKET MASK:
  • Bolsa-Válvula-Máscara (AMBÚ)
  • TÉCNICAS DE VENTILAÇÃO COM MÁSCARA
  • VENTILAÇÃO COM VIA AÉREA AVANÇADA
  • 4. MÁSCARA COM RESERVATÓRIO
  • D - DESFIBRILAÇÃO
  • RITMOS CHOCÁVEIS
  • RITMOS NÃO CHOCÁVEIS
  • ALERTA VERBAL EMITIDO PELO DEA
  • DIFERENÇA RCP BEBÊS E CRIANÇAS
  • AVALIAR A RESPONSIVIDADE
  • SEM VIA ÁEREA AVANÇADA
  • TUBO OROTRAQUEAL COM CUFF
  • Mnemônico NAVEL:
  • ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR AO POLITRAUMATIZADO
  • EPIDEMIOLOGIA DO TRAUMA
  • PRIORIDADES NO TRAUMA
  • SEGURANÇA DA CENA E IMPRESSÃO GERAL
  • SINALIZAÇÃO DO ACIDENTE
  • Fontes Rápidas de Informação no Local da Cena:
  • CINEMÁTICA DO TRAUMA
  • TRAUMA
  • SUSPEITAR DE TRAUMATISMO GRAVE:
  • Leis da Física
  • PRIMEIRA LEI DE NEWTON
  • TRANSFERÊNCIA DE ENERGIA ENTRE UM OBJETO SÓLIDO E O CORPO HUMANO
  • CAVITAÇÃO
  • CAVITAÇÃO TEMPORÁRIA
  • CAVITAÇÃO DEFINITIVA
  • TRAUMA FECHADO
  • Impacto Frontal
  • IMPACTO POSTERIOR
  • IMPACTO LATERAL
  • CAPOTAMENTO
  • ÁREAS DE MAIOR INCIDÊNCIA DE LESÕES GRAVES:
  • IMPACTO FRONTAL
  • IMPACTO LATERAL
  • IMPACTO COM EJEÇÃO
  • QUEDAS
  • SÍNDROME DE DON JUAN
  • QUEDA PARA FRENTE
  • QUEDA DE CABEÇA
  • AVALIAÇÃO PRIMÁRIA
  • MNEMÔNICO DO TRAUMA
  • EXAME PRIMÁRIO
  • X- EXSANGUINAÇÃO
  • A: VIAS AÉREAS COM CONTROLE DA COLUNA CERVICAL
  • PRINCIPAIS INDICAÇÕES DE VIA AÉREA DEFINITIVA NO DOENTE POLITRAUMATIZADO
  • VIAS AÉREAS DEFINITIVAS :
  • INTUBAÇÃO ENDOTRAQUEAL
  • INTUBAÇÃO OROTRAQUEAL
  • DIFICULDADES PARA IOT
  • Vias aéreas e controle da coluna cervical
  • B - Respiração E Ventilação
  • B: AVALIAR VENTILAÇÃO E FREQUÊNCIA VENTILATÓRIA
  • C - Circulação + controle de hemorragia
  • PULSOS
  • HEMORRAGIA
  • Métodos de controle da hemorragia externa
  • CHOQUE ANAFILÁTICO
  • 2.5 D DISTÚRBIOS NEUROLÓGICOS
  • ESCALA DE GLASCOW
  • COMO UTILIZAR A ESCALA?
  • E: Exposição + controle ambiental:
  • PARADA CARDIORRESPIRATÓRIA NO TRAUMA
  • PCR POR TRAUMA CONTUSO OU PENETRANTE
  • TRIAGEM
  • TIPOS DE TRIAGEM
  • TRIAGEM
  • MÚLTIPLAS VÍTIMAS
  • VÍTIMAS EM MASSA
  • MÉTODO ? START ?
  • PROTOCOLO DE MÚLTIPLAS VÍTIMAS- START
  • CÓDIGO DE CORES NO PROCESSO DE TRIAGEM
  • PASSOS A SEGUIR NA APLICAÇÃO DO MÉTODO START
  • OBSERVAÇÕES
  • MOBILIZAÇÃO E TRANSPORTE DE ACIDENTADOS:
  • CONCEITOS
  • DISPOSITIVOS DE IMOBILIZAÇÃO
  • PRANCHA LONGA NO PACIENTE SENTADO
  • ELEVAÇÃO À CAVALEIRO
  • FIXAÇÃO DA VÍTIMA NA PRANCHA COM OS CINTOS
  • COLAR CERVICAL
  • EXTRICAÇÃO
  • DESENCARCERAMENTO
  • CHAVE DE RAUTECK
  • COLETE DE IMOBILIZAÇÃO DORSAL- KED
  • EXTRICAÇÃO RÁPIDA
  • RESTRIÇÃO DE MOVIMENTO NA COLUNA VERTEBRAL - RM
  • ELEVAÇÃO EM MONOBLOCO (4 Socorristas)
  • TRANSPORTE DA PRANCHA COM 03 SOCORRISTAS
  • RETIRADA DE CAPACETE:
  • - TRAUMATISMO CRANIOENCEFÁLICO (TCE)
  • MECANISMO DE LESÃO DO TCE
  • MORFOLOGIA DA LESÃO
  • LESÕES EXTRACRIANAS
  • FRATURAS DE CRÂNIO (Calota craniana)
  • Fraturas da calota craniana com afundamento
  • SINAL DE BATTLE
  • SINAL DO GUAXINIM
  • RINORRAGIA
  • OTORRAGIA
  • LESÕES INTRACRANIANAS
  • Lesões focais: CONTUSÃO
  • Lesões focais: LACERAÇÃO
  • Lesões focais: HEMORRAGIAS
  • LESÃO CEREBRAL DIFUSAS
  • Lesão cerebral difusa: CONCUSSÃO
  • LESÃO AXONIAL DIFUSA (LAD)
  • Condutas no TCE
  • LESÕES AMEAÇADORAS À VIDA RELACIONADAS AO TÓRAX
  • SINAIS DE PNEUMOTÓRAX HIPERTENSIVO
  • PNEUMOTÓRAX SIMPLES
  • HEMOTÓRAX MACIÇO
  • TAMPONAMENTO CARDÍACO
  • CLASSIFICAÇÃO E MECANISMO DAS LESÕES ABDOMINAIS
  • Sinais e sintomas do trauma abdominal
  • Sinais sugestivos de lesão medular em nível cervical
  • Avaliação do paciente
  • TRAUMA MUSCULO-ESQUELÉTICO
  • TRAUMA DE EXTREMIDADES
  • FRATURAS
  • CLASSIFICAÇÃO DAS FRATURAS
  • PERDA DE SANGUE INTERNO ASSOCIADA AS FRATURAS
  • CONDUTAS EM FRATURAS DOS MEMBROS SUPERIORES
  • CONDUTAS EM FRATURAS DOS MEMBROS INFERIORES
  • CONDUTAS EM FRATURAS EXPOSTAS
  • CONDUTAS EM FRATURA DE PELVE
  • CONDUTA
  • LUXAÇÃO
  • ENTORSE
  • CONDUTA PARA ENTORSE E LUXAÇÃO
  • AMPUTAÇÃO OU AVULSÃO COMPLETA
  • SÍNDROME COMPARTIMENTAL
  • SÍNDROME DE ESMAGAMENTO
  • Curativos e Bandagens
  • Classificação
  • EXTENSÃO DA QUEIMADURA
  • QUEIMADURA LEVE
  • QUEIMADURA MODERADA
  • QUEIMADURA GRAVE
  • Boate Kiss, em Santa Maria, Rio Grande do Sul
  • LESÕES POR INALAÇÃO DE FUMAÇA
  • SINAIS DE LESÃO POR INALAÇÃO
  • QUEIMADURA ELÉTRICA
  • CHOQUE ELÉTRICO
  • AVALIAÇÃO DO QUEIMADO
  • ATENDIMENTO PRÉ -HOSPITALAR
  • Queimadura (ocular)
  • TRANSPORTE DA VÍTIMA
  • INTERVENÇÕES DA EQUIPE DE APH
  • FERIMENTO POR ARMA DE FOGO
  • EPIDEMIOLOGIA DO AFOGAMENTO
  • AFOGAMENTO
  • CLASSIFICAÇÃO
  • AtENDIMENTO DO PACIENTE COM AFOGAMENTO( PHTLS)
  • URGÊNCIA X EMERGÊNCIA
  • Sinais e sintomas
  • CONDUTA NA URGÊNCIA HIPERTENSIVA:
  • CONDUTA NA EMERGÊNCIA HIPERTENSIVA:
  • ACIDENTE VASCULAR ENCEFÁLICO
  • ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA NO PRÉ-HOSPITALAR AVE
  • AVE ISQUÊMICO
  • AVE HEMORRÁGICO
  • SINAIS E SINTOMAS DO AVE
  • AVC: FATORES DE RISCO
  • Tratamento pré-hospitalar
  • CONVULSÕES
  • AGRAVOS RENAIS EM URGÊNCIA E EMERGÊNCIA
  • CÓLICA NEFRÉTICA
  • LITÍASE RENAL
  • HIPERVENTILAÇÃO
  • HIPOVENTILAÇÃO
  • ASMA
  • MEDIDAS INICIAIS NA SUSPEITA DE CRISE ASMÁTICA AGUDA DO ADULTO ( APH)
  • EMBOLIA PULMONAR ( EP)
  • TROMBOSE VENOSA PROFUNDA ( TVP)
  • DIAGNÓSTICO DE TROMBOEMBOLISMO PULMONAR- TEP
  • EDEMA AGUDO DE PULMÃO( EAP)
  • DIABETES MELLITUS - HIPERGLICEMIA
  • HIPOGLICEMIA
  • CETOACIDOSE DIABÉTICA
  • FATORES DESENCADEANTES ESENCADEANTES
  • FISIOPATOLOGIA
  • Assistência ao parto no APH
  • PARAMENTAÇÃO E PREPARAÇÃO DO AMBIENTE
  • 1ª fase DILATAÇÃO OU APAGAMENTO DO COLO DO ÚTERO
  • CUIDADOS DE EMERGÊNCIA
  • 2ª fase Expulsão
  • SAÍDA DO BEBÊ
  • CORTE DO CORDÃO UMBILICAL
  • Fases do parto 3a Fase: DEQUITAÇÃO
  • Fases do parto 4a Fase: GREENBERG
  • INTOXICAÇÃO EXÓGENA (IE)
  • INTOXICAÇÃO
  • ESTATÍSTICAS
  • ATENDIMENTO INICIAL DAS INTOXICAÇÕES AGUDAS
  • AVALIAÇÃO INICIAL
  • DIAGNÓSTICO DA INTOXICAÇÃO
  • História da exposição
  • EXAME FÍSICO
  • TRATAMENTO
  • DESCONTAMINAÇÃO
  • DESCONTAMINAÇÃO GASTROINTESTINAL
  • LAVAGEM GÁSTRICA (LG)
  • CONTRA-INDICAÇÃO DA LAVAGEM GÁSTRICA
  • CARVÃO ATIVADO(CA)
  • ANIMAIS VENENOSOS
  • ESCORPIANISMO
  • Fatores de risco para infestação por escorpiões:
  • OFÍDISMO
  • ARANEÍSMO
  • Tratamento de acidente por aranha marrom
  • URGÊNCIAS PSIQUIÁTRICAS
  • AGITAÇÃO E SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA
  • SINAIS DE ALERTA PARA RISCO DE VIOLÊNCIA
  • ATENDIMENTO PRÉ HOSPITALAR
  • COMUNICAÇÃO TERAPÊUTICA
  • IMOBILIZAÇÃO
  • IMOBILIZAÇÕES
  • INDICAÇÕES PARA USO DE CONTENÇÃO:
  • OUTROS CUIDADOS NO USO DE CONTENÇÃO:
  • CONTENÇÃO QUIMÍCA
  • MANEJO FARMACOLÓGICO
  • FÁRMACOS
  • Ocorrência com VÍTIMA DESARMADA
  • Ocorrência com VÍTIMA suspeita de estar portando arma (ARMADA)
  • REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS