Curso Online de Diabetes Mellitus
4 estrelas 4 alunos avaliaram

Curso Online de Diabetes Mellitus

Relata o conceito do Diabetes Mellitus, Classificação, tratamento. Curso Completo

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 9 horas

Por: R$ 55,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Relata o conceito do Diabetes Mellitus, Classificação, tratamento. Curso Completo

Sou enfermeira formada pela Universidade do Estado do Pará e atuo na saude publica (posto de saude) em Belém do Pará atualmente estou terminando pos-graduação em enfermagem do trabalho e iniciei outra pós-graduação em Saúde publica com ênfase na atenção básica.


"Trouxe até mim conhecimentos os quais foram de muita utilidade para administrar melhor os problemas de glicemia existentes na minha família."

- Walter Andrade De Sá

- José Dantas De Lima

- Ana Maria Bezerra Dos Santos

"Atingiu os meus propósitos . Valeu . Muito obrigada . Com certeza em fututro próximo estarei cursando outros cursos ."

- Carlos Eduardo Lupo

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • DIABETES MELLITUS

    diabetes mellitus

    diabetes mellitus

  • CONCEITO

    conceito

    o diabetes é um grupo de doenças metabólicas caracterizadas por hiperglicemia e associadas a complicações, disfunções e insuficiência de vários órgãos, especialmente olhos, rins, nervos, cérebro, coração e vasos sangüíneos.
    pode resultar de defeitos de secreção e/ou ação da insulina envolvendo processos patogênicos específicos, por exemplo, destruição das células beta do pâncreas (produtoras de insulina), resistência à ação da insulina, distúrbios da secreção da insulina, entre outros.

  • CLASSIFICAÇÃO DO DIABETES

    classificação do diabetes

    os tipos de diabetes mais freqüentes são o diabetes tipo 1, anteriormente conhecido como diabetes juvenil, que compreende cerca de 10% do total de casos, e o diabetes tipo 2, anteriormente conhecido como diabetes do adulto, que compreende cerca de 90% do total de casos. outro tipo de diabetes encontrado com maior freqüência e cuja etiologia ainda não está esclarecida é o diabetes gestacional, que, em geral, é um estágio pré-clínico de diabetes, detectado no rastreamento pré-natal.

  • outros tipos específicos de diabetes menos freqüentes podem resultar de defeitos genéticos da função das células beta, defeitos genéticos da ação da insulina, doenças do pâncreas exócrino, endocrinopatias, efeito colateral de medicamentos, infecções e outras síndromes genéticas associadas ao diabetes.

  • o termo tipo 1 indica destruição da célula beta que eventualmente leva ao estágio de deficiência absoluta de insulina, quando a administração de insulina é necessária para prevenir cetoacidose, coma e morte.
    a destruição das células beta é geralmente causada por processo auto-imune, que pode se detectado por auto-anticorpos circulantes como anti-descarboxilase do ácido glutâmico (anti-gad), anti-ilhotas e anti-insulina, e, algumas vezes, está associado a outras doenças auto-imunes como a tireoidite de hashimoto, a doença de addison e a miastenia gravis. em menor proporção, a causa da destruição das células beta é desconhecida (tipo 1 idiopático).

  • o desenvolvimento do diabetes tipo 1 pode ocorrer de forma rapidamente progressiva, principalmente, em crianças e adolescentes (pico de incidência entre 10 e 14 anos), ou de forma lentamente progressiva, geralmente em adultos, (lada, latent autoimmune diabetes in adults; doença auto-imune latente em adultos). esse último tipo de diabetes, embora assemelhando-se clinicamente ao diabetes tipo 1 auto-imune, muitas vezes é erroneamente classificado como tipo 2 pelo seu aparecimento tardio. estima-se que 5-10% dos pacientes inicialmente considerados como tendo diabetes tipo 2 podem, de fato, ter lada.

  • Diabetes tipo 2

    diabetes tipo 2

    o termo tipo 2 é usado para designar uma deficiência relativa de insulina.
    a administração de insulina nesses casos, quando efetuada, não visa evitar cetoacidose, mas alcançar controle do quadro hiperglicêmico.
    a cetoacidose é rara e, quando presente, é acompanhada de infecção ou estresse muito grave.

  • a maioria dos casos apresenta excesso de peso ou deposição central de gordura.
    em geral, mostram evidências de resistência à ação da insulina e o defeito na secreção de insulina manifesta-se pela incapacidade de compensar essa resistência.
    em alguns indivíduos, no entanto, a ação da insulina é normal, e o defeito secretor mais intenso.

  • Estágios de desenvolvimento do diabetes

    estágios de desenvolvimento do diabetes

    é reconhecido que o diabetes passa por estágios em seu desenvolvimento.
    é importante ao clínico perceber que os vários tipos de diabetes podem progredir para estágios avançados de doença, em que é necessário o uso de insulina para o controle glicêmico.
    além disso, antes do diabetes ser diagnosticado, já é possível observar alterações na regulação glicêmica (tolerância à glicose diminuída e glicemia de jejum aterada), e o seu reconhecimento pelo clínico permite a orientação de intervenções preventivas.

  • RASTREAMENTO E PREVENÇÃO DO DIABETES

    rastreamento e prevenção do diabetes

    • idade >45 anos.
    • sobrepeso (índice de massa corporal imc >25).
    • obesidade central (cintura abdominal >102 cm para homens e >88 cm para mulheres, medida na altura das cristas ilíacas).
    • antecedente familiar (mãe ou pai) de diabetes.
    • hipertensão arterial (> 140/90 mmhg).
    • colesterol hdl d”35 mg/dl e/ou triglicerídeos e”150 mg/dl.
    • história de macrossomia ou diabetes gestacional.
    • diagnóstico prévio de síndrome de ovários policísticos.
    • doença cardiovascular, cerebrovascular ou vascular periférica definida.

  • DIAGNÓSTICO DE DIABETES E DA HIPERGLICEMIA INTERMEDIÁRIA

    diagnóstico de diabetes e da hiperglicemia intermediária

    os sintomas clássicos de diabetes são: poliúria, polidipsia, polifagia e perda involuntária de peso (os “4 ps”).
    outros sintomas que levantam a suspeita clínica são: fadiga, fraqueza, letargia, prurido cutâneo e vulvar, balanopostite e infecções de repetição.
    algumas vezes o diagnóstico é feito a partir de complicações crônicas como neuropatia, retinopatia ou doença cardiovascular aterosclerótica.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 55,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • DIABETES MELLITUS
  • CONCEITO
  • CLASSIFICAÇÃO DO DIABETES
  • Diabetes tipo 2
  • Estágios de desenvolvimento do diabetes
  • RASTREAMENTO E PREVENÇÃO DO DIABETES
  • DIAGNÓSTICO DE DIABETES E DA HIPERGLICEMIA INTERMEDIÁRIA
  • Exames laboratoriais para o diagnóstico de diabetes e de regulação glicêmica alterada
  • Critérios para o diagnóstico de diabetes e de regulação glicêmica alterada
  • Interpretação dos resultados da glicemia de jejum e do teste de tolerância à glicose.
  • AVALIAÇÃO INICIAL
  • Avaliação clínica inicial de pacientes com diabetes.
  • Avaliação laboratorial de pacientes com diabetes recém-diagnosticado.
  • Avaliação clínica inicial de complicações do diabetes tipo 2.
  • PLANO TERAPÊUTICO
  • Hiperglicemia Intermediária
  • Diabetes Tipo 2
  • Avaliação clínica inicial de complicações do diabetes tipo 2.
  • Metas de controle glicêmico, metabólico e cardiovascular, e a periodicidade do monitoramento.
  • Alimentação
  • Atividade Física
  • As seguintes informações são importantes para pacientes com diabetes menos estável, especialmente casos de diabetes tipo 1:
  • TRATAMENTO FARMACOLÓGICO DA HIPERGLICEMIA NO DIABETES TIPO 2
  • Fármacos para o tratamento da hiperglicemia do diabetes tipo 2.
  • Fluxograma de escolhas medicamentosas no tratamento farmacológico.
  • Metformina
  • Sulfoniluréias
  • Insulina
  • Os ajustes de dose são baseados nas medidas de glicemias.
  • Nas seguintes condições clínicas é recomendado o tratamento imediato com insulina sem necessidade de passar pela etapa inicial com metformina:
  • PREVENÇÃO E MANEJO DAS COMPLICAÇÕES AGUDAS DO DIABETES TIPO 2
  • Detecção precoce da cetoacidose diabética.
  • Instruções para o paciente como diabetes tipo 1 “Como Proceder Quando Estiver Doente” (gripe, resfriado, diarréia, “ressaca de festa”).
  • Avaliação e tratamento da descompensação aguda do diabetes tipo 1(pronto-atendimento pela equipe de saúde).
  • Prevenção da Síndrome Hiperosmolar Não-Cetótica
  • Hipoglicemia
  • Controle dos Fatores de Risco
  • Instruções para tratamento da hipoglicemia.
  • Conteúdo de programa educativo sobre hipoglicemia.
  • PREVENÇÃO E MANEJO DAS COMPLICAÇÕES CRÔNICAS DO DIABETES TIPO 2
  • Doença cardiovascular
  • Controle da hipertensão arterial
  • Controle da dislipidemia
  • Uso de agentes antiplaquetários
  • Controle do tabagismo
  • Retinopatia diabética
  • Nefropatia diabética
  • Neuropatia diabética
  • Saúde Bucal