Curso Online de DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS

Curso Online de DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS

Fomenta na sociedade um grande debate a cerca dos Programas e as Plataformas de Ação sobre os direitas reprodutivos e planejamento famili...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Fomenta na sociedade um grande debate a cerca dos Programas e as Plataformas de Ação sobre os direitas reprodutivos e planejamento familiar propostos nas conferências enfatizam a necessidade de promover-se a igualdade entre homens e mulheres, como requisito essencial para a conquista de melhores condições de saúde e de qualidade de vida, e de promover-se, de igual modo, o efetivo envolvimento e co-responsabilidade dos homens nas questões referentes à saúde sexual e reprodutiva. Os governos a propiciarem aos adolescentes informações e serviços adequados para atenção à sua saúde sexual e reprodutiva.

Sou enfermeira formada pela Universidade do Estado do Pará e atuo na saude publica (posto de saude) em Belém do Pará atualmente estou terminando pos-graduação em enfermagem do trabalho e iniciei outra pós-graduação em Saúde publica com ênfase na atenção básica.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS Enf.ª Magda Rocha

    direitos sexuais e direitos reprodutivos enf.ª magda rocha

  • os programas e as plataformas de ação propostos nas conferências acima citadas enfatizam a necessidade de promover-se a igualdade entre homens e mulheres, como requisito essencial para a conquista de melhores condições de saúde e de qualidade de vida, e de promover-se, de igual modo, o efetivo envolvimento e co-responsabilidade dos homens nas questões referentes à saúde sexual e reprodutiva. exortam, também, os governos a propiciarem aos adolescentes informações e serviços adequados para atenção à sua saúde sexual e reprodutiva.

  • estimada hoje em 2,3 filhos por mulher, a taxa de fecundidade total sofreu grande redução em relação ao patamar de 6,2 observado até meados dos anos 60. do ponto de vista regional, os maiores valores correspondem ao norte e ao nordeste, de 3,2 e 2,6, respectivamente, enquanto o centro-oeste e o sul registram 2,2 e o sudeste 2,1. todavia, as regiões norte e nordeste, em 1970, apresentavam taxas de fecundidade superiores a 8 filhos por mulher (ibge, censos demográficos 1960 a 2000).

  • atualmente, entre as mulheres mais pobres, a fecundidade é de 4,0 filhos, em contraste com a taxa referente àquelas em melhores condições socioeconômicas, de 1,6. entretanto, foi justamente nas classes menos favorecidas que a fecundidade exibiu declínio mais acentuado na última década, da ordem de 20,5% (ibge, censos demográficos 1960 a 2000).

  • A POLÍTICA DO PLANEJAMENTO FAMILIAR

    a política do planejamento familiar

    a política do planejamento familiar vem sendo desenvolvida pelo ministério da saúde em parceria com estados, municípios e sociedade civil organizada, no âmbito da atenção integral à saúde da mulher, do homem e dos(as) adolescentes, enfatizando-se a importância de juntamente com as ações de planejamento familiar promover-se a prevenção do hiv/aids e das outras doenças sexualmente transmissíveis (dst).

  • PROPOSTAS E DIRETRIZES

    propostas e diretrizes

    ampliação da oferta de métodos anticoncepcionais reversíveis no sus
    o ministério da saúde entende que as ações de anticoncepção devem ser garantidas para todas as mulheres e homens em idade reprodutiva, adultas(os) e adolescentes, que desejem ter acesso a métodos e meios para regulação da sua fecundidade.

  • Nessa perspectiva, a proposta a ser apresentada pelo Ministério da Saúde à Comissão Intergestora Tripartite (CIT), em 2005, para pactuação, é a seguinte:

    nessa perspectiva, a proposta a ser apresentada pelo ministério da saúde à comissão intergestora tripartite (cit), em 2005, para pactuação, é a seguinte:

    inclusão dos métodos anticoncepcionais no elenco de medicamentos/insumos para a atenção básica, no grupo que será de responsabilidade do nível federal para aquisição;
    aquisição para cobrir progressivamente 100% da necessidade para os 5.561 municípios da federação dos seguintes métodos: pílula combinada de baixa dosagem e pílula só de progesterona (minipílula);

  • aquisição para 5.223 municípios da federação, os municípios que até março/2004 possuíam ou equipes de saúde da família cadastradas ou estavam aderidos ao programa de humanização no pré-natal e nascimento (phpn), dos seguintes métodos: pílula anticoncepcional de emergência, anticoncepcional injetável mensal e anticoncepcional injetável trimestral;
    aquisição do diu e do diafragma para cobrir progressivamente 100% da necessidade, inicialmente, para 1.200 municípios da federação em 2005, prevendo-se incremento de aproximadamente 350 municípios/ano, para os anos de 2006 e 2007.

  • Elaboração e distribuição de manuais técnicos e de cartilhas educativas

    elaboração e distribuição de manuais técnicos e de cartilhas educativas

    •caderno nº 1 - direitos sexuais e direitos reprodutivos: uma
    prioridade do governo;
    •caderno nº 2 - cartilha sobre direitos sexuais, direitos reprodutivos
    e métodos anticoncepcionais;
    •caderno nº 3 - anticoncepção de emergência: perguntas e respostas
    para profissionais de saúde;
    •caderno nº 4 - norma técnica atenção humanizada ao abortamento;
    •caderno nº 5 - manual técnico pré-natal e puerpério: atenção qualificada e humanizada;
    •caderno nº 6 - norma técnica prevenção e tratamento dos agravos
    resultantes da violência sexual contra mulheres e adolescentes;
    •caderno nº 7 - aspectos jurídicos do atendimento às vítimas de
    violência sexual: perguntas e respostas para profissionais de saúde.

  • Capacitação dos profissionais de saúde da atenção básica para assistência em planejamento familiar

    capacitação dos profissionais de saúde da atenção básica para assistência em planejamento familiar

    foram realizadas, de 2002 até 2004, capacitações para médicos(as) e enfermeiros(as) que atuam na atenção básica, como resultado de parceria entre o ministério da saúde, a febrasgo (federação brasileira das sociedades de ginecologia e obstetrícia) e as secretarias municipais de saúde de 15 capitais das regiões norte, nordeste e centro-oeste: rio branco, manaus, macapá, porto velho, palmas, belém, teresina, são luís, fortaleza, joão pessoa, recife, natal, aracaju, maceió e goiânia.

  • Atenção em reprodução humana assistida na rede SUS

    atenção em reprodução humana assistida na rede sus

    o ministério da saúde, por meio da comissão sobre acesso e uso do genoma humano, instituída pela portaria n.º 1679/gm, de 28 de agosto 2003, vem discutindo proposta em relação à regulamentação para o emprego de técnicas de reprodução humana assistida.
    a agência nacional de vigilância sanitária (anvisa) coordenou um grupo de trabalho para elaboração de proposta de normatização para o funcionamento dos bancos de células e tecidos germinativos.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • DIREITOS SEXUAIS E DIREITOS REPRODUTIVOS Enf.ª Magda Rocha
  • A POLÍTICA DO PLANEJAMENTO FAMILIAR
  • PROPOSTAS E DIRETRIZES
  • Nessa perspectiva, a proposta a ser apresentada pelo Ministério da Saúde à Comissão Intergestora Tripartite (CIT), em 2005, para pactuação, é a seguinte:
  • Elaboração e distribuição de manuais técnicos e de cartilhas educativas
  • Capacitação dos profissionais de saúde da atenção básica para assistência em planejamento familiar
  • Atenção em reprodução humana assistida na rede SUS
  • Ampliação do acesso à esterilização cirúrgica voluntária no SUS
  • Ampliação do Programa Saúde e Prevenção nas Escolas
  • Termo de cooperação com a Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres
  • Elaboração de documento sobre saúde sexual e reprodutiva para os países do Mercosul
  • Apoio e desenvolvimento de pesquisas
  • Atenção à saúde sexual e à saúde reprodutiva de adolescentes e jovens
  • Implantação e implementação de serviços para atenção às mulheres e adolescentes vítimas de violência sexual e doméstica e para atenção humanizada às mulheres em situação de abortamento.
  • Pacto Nacional pela Redução da Mortalidade Materna e Neonatal
  • PLANEJAMENTO FAMILIAR NA PAUTA GOVERNAMENTAL
  • A atuação dos profissionais de saúde na assistência à anticoncepção envolve, necessariamente, três tipos de atividades:
  • ACONSELHAMENTO
  • Esta prática pressupõe:
  • ESCOLHA DO MÉTODO ANTICONCEPCIONAL
  • Proteção a Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e Infecção pelo HIV