Curso Online de Prevenção das Doenças Crônicas Não Transmissíveis

Curso Online de Prevenção das Doenças Crônicas Não Transmissíveis

Explicações sobre várias doenças.

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 30 horas


Por: R$ 27,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Explicações sobre várias doenças.

Mestre em alimentos e nutrição. Professor de ciência dos alimentos, biologia, química, ciências e bioquímica. Currículo Lattes: http://lattes.cnpq.br/1141431817967324. Pesquisador de qualidade de vida, alimentação saudável e prevenção de doenças crônicas não transmissíveis. Especialista em nutrição clínica e esportiva; gerontologia e qualidade de vida. Estudo intensamente nutrição, alimentos, saúde e gerontologia, dentre outras áreas. Nestes cursos transmito informações preciosas e atualizadas sobre alimentação e saúde com total credibilidade e clareza após estudar intensamente cada conteúdo.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • Prevenção das Doenças Crônicas Não Transmissíveis

  • As doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), entre as quais: acidente vascular cerebral, infarto, hipertensão arterial, câncer, diabetes e doenças respiratórias crônicas no Brasil, essas doenças constituem o problema de saúde de maior magnitude e correspondem a cerca de 70% das causas de mortes, atingindo fortemente camadas pobres da população e grupos mais vulneráveis, como a população de baixa escolaridade e renda. Na última década, observou-se uma redução de aproximadamente 20% nas taxas de mortalidade pelas DCNT, o que pode ser atribuído à expansão da Atenção Básica, melhoria da assistência e redução do consumo do tabaco desde os anos 1990, mostrando importante avanço na saúde dos brasileiros.
    https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/biblioteca/plano-de-acoes-estrategicas-para-o-enfrentamento-das-doencas-cronicas/

  • Diabetes

  • Diabetes Mellitus (DM) é uma doença crônica não transmissível (DCNT), sendo uma das mais comuns no mundo.

    O DM caracteriza-se por ser um grupo heterogêneo de distúrbios metabólicos que apresentam em comum a hiperglicemia, resultante de defeitos na ação e/ou na secreção de insulina. A hiperglicemia crônica é associada ao desenvolvimento de complicações, disfunções e falha de diferentes órgãos, principalmente olhos, rins, nervos, coração e vasos sanguíneos.

  • A DM está se tornando uma epidemia, estima-se que a população mundial portadora da DM pode chegar a 471 milhões em 2035. Uma grande parte desses indivíduos, cerca de 80% vivem em países em desenvolvimento, que a epidemia é mais intensa e o número de jovens acometidos com a doença só cresce, as quais coincidem com o problema que as doenças infecciosas ainda representam. O aumento da população com DM está relacionado com a progressiva prevalência de sedentarismo e obesidade na população, aumento da urbanização, do crescimento e do envelhecimento populacional e também com o aumento de sobrevida dos pacientes com DM.

  • Os três principais tipos de diabetes são: DM tipo 1, DM tipo 2 e DM gestacional. O DM tipo 1 é causado por uma reação auto-imune do organismo, em que o sistema imunológico destrói as células beta-pancreáticas, produtoras de insulina. Logo, indivíduos com DM tipo 1 produzem pouca ou nenhuma insulina, e dependem de insulino-terapia. O motivo pelo qual isso ocorre ainda não é totalmente esclarecido. O diabetes tipo 1 acontece em todas as idades, mas é mais comum o diagnóstico inicial em crianças e adultos jovens.

  • O DM tipo 2, antigamente conhecido como “não-insulino dependente”, abrange 85-90% dos casos de DM e está presente principalmente em indivíduos com mais de 40 anos, que apresentam sobrepeso ou obesidade, porém, o número de crianças e adolescentes acometidos pela doença está crescendo. Indivíduos com DM tipo 2 ainda são capazes de produzir insulina, porém, ela não é suficiente para manter o controle glicêmico, uma vez que o organismo não obtém respostas/ou responde de forma deficiente ao seu efeito (resistência à insulina). Uma vez que inicialmente é uma doença assintomática, muitos indivíduos desconhecem seu diagnóstico e podem ignorar a doença por um longo período de tempo, até o início das complicações secundárias da doença.

  • O DM gestacional consiste em níveis de glicemia elevados durante a gestação. Desenvolve-se em uma a cada 25 gestações e está associado a complicações tanto na mãe (como prê-eclampsia e necessidade de cesariana), quanto no bebê (como macrossomia e problemas respiratórios). O DM gestacional frequentemente desaparece após a gestação, porém, pode reincidir em gestações futuras. Mulheres que tiveram DM gestacional apresentam sete vezes o risco de desenvolver DM tipo 2 em cinco a 10 anos após a gestação, quando comparadas àquelas que tiveram uma gestação normoglicêmica.

  • O número de casos de diabetes vem crescendo de maneira expressiva nos últimos anos. Em 1985, havia 30 milhões de adultos com DM no mundo, esse número cresceu para 382 milhões no ano de 2013, e estima-se que no ano de 2035 serão 592 milhões de indivíduos, sendo que um em cada 10 adultos terá diabetes.

    Acredita-se que esse crescimento esteja associado com o desenvolvimento econômico, envelhecimento populacional, urbanização e alterações no estilo de vida (mudanças na dieta e redução da atividade física).

  • Aproximadamente 9% da população mundial com mais de 18 anos tem diabetes, sendo que 80% dos casos (184 milhões de indivíduos) estão entre 40 e 59 anos.

    A prevalência é maior em homens quando comparados às mulheres (198 milhões versus 184 milhões, respectivamente), e maior número de indivíduos da zona urbana tem DM quando comparado àqueles da zona rural.

  • Estima-se que 175 milhões (46%) dos casos mundiais de DM não são diagnosticados, sendo que, destes, 84% vivem em países subdesenvolvidos e em desenvolvimento. Além disso, o crescimento da prevalência de diabetes no mundo ocorre principalmente nesses países.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 27,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Prevenção do Diabetes
  • Prevenção da Hipertensão Arterial
  • Prevenção da Osteoporose
  • Prevenção da Aterosclerose
  • Prevenção da Carcinogênese
  • Prevenção da Doença de Alzheimer