Curso Online de UTI-Ventilação Mecânica
2 estrelas 3 alunos avaliaram

Curso Online de UTI-Ventilação Mecânica

VENTILAÇÃO MECANICA

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

De: R$ 50,00 Por: R$ 35,00
(Pagamento único)

Mais de 100 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

VENTILAÇÃO MECANICA

ESPECIALISTAS EM ENFERMAGEM; BACHAREIS EM ENFERMAGEM E OBSTETRÍCIA; Experiência em: -Urgência e Emergência, -Clinica Médica, -Clinica Círurgica, -UTI, -Oncologia, -Nefrologia e -SAÚDE PUBLICA E ETC; PROFESSORES DE CURSOS TECNICO DE ENFERMAGEM EM DIVERSAS ÁREAS.


- Valdi Feitosa Rodrigues

- Oto Sabino Da Silva Neto

- Joise Crisostomo Da Cunha

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • VENTILAÇÃO MECÂNICA

    ventilação mecânica

    enf.: marcelo neves

  • OBJETIVOS

    objetivos

    os principais objetivos a serem atingidos, no processo inicial da instalação da ventilação e em sua manutenção, têm sido alvo de sistematizações consensuais.

    os objetivos fundamentais do suporte ventilatório foram divididos em fisiológicos e clínicos.

  • OBJETIVOS FISIOLÓGICOS

    objetivos fisiológicos

    manter ou modificar a troca gasosa pulmonar
    ventilação alveolar (paco2 e ph)
    o suporte ventilatório tem como objetivo intervir na ventilação alveolar. em certas circunstâncias, o objetivo pode ser aumentar a ventilação alveolar (hiperventilação para reduzir a pressão ntracraniana) ou reduzir a ventilação alveolar de maneira controlada (hipercapnia permissiva); porém, o objetivo usualmente adotado é normalizar a ventilação alveolar.
    oxigenação arterial (pao2, sao2 e cao2)
    o objetivo é atingir e manter valores aceitáveis de oxigenação arterial (pao2 > 60 mmhg, sao2 > 90%). a oferta de oxigênio aos tecidos (d’o2) deve ser considerada, corrigindo fatores como o conteúdo arterial de oxigênio (hemoglobina) e o débito cardíaco.

  • OBJETIVOS FISIOLÓGICOS

    objetivos fisiológicos

    aumentar o volume pulmonar
    insuflação pulmonar inspiratória final
    visa prevenir ou tratar atelectasia.
    otimizar a capacidade residual funcional (crf)
    utilizar a peep em situações em que a redução na crf pode ser prejudicial (redução da pao2, maior injúria pulmonar), como na sara e em pós-operatório com dor.
    reduzir o trabalho muscular respiratório

  • OBJETIVOS CLÍNICOS

    objetivos clínicos

    reverter hipoxemia: aumentando a ventilação alveolar, aumentando o volume pulmonar, diminuindo o consumo de oxigênio e aumentando a oferta de oxigênio.
    reverter a acidose respiratória aguda.
    reduzir o desconforto respiratório.
    prevenir ou reverter atelectasias.
    reverter fadiga dos músculos respiratórios.
    permitir sedação, anestesia ou uso de bloqueadores neuromusculares.
    reduzir consumo de oxigênio sistêmico e miocárdico.
    reduzir pressão intracraniana.
    estabilizar parede torácica.

  • CRITÉRIOS OBSERVADOS PELO ANTES DE PROCEDER À EXTUBAÇÃO DO PACIENTE

    critérios observados pelo antes de proceder à extubação do paciente

    respirar espontaneamente
    reflexos protetores de vias aéreas presentes
    obedecer a ordens simples
    estabilidade hemodinâmica
    spo2 > 90% com fio2 = 0,21
    sem manifestações de bloqueio neuromuscular residual verificada pelo estimulador de nervo periférico ou prova de sustentação da cabeça > 5s

  • CRITÉRIOS OBSERVADOS PELO ANTES DE PROCEDER À EXTUBAÇÃO DO PACIENTE

    critérios observados pelo antes de proceder à extubação do paciente

    força inspiratória máxima < -25 cmh2o
    volume corrente > 7 ml/kg
    capacidade vital > 10ml/kg
    índice de fr/vt < 80
    relação pao2/fio2 > 200
    paco2 < 40 mmhg

  • PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES

    principais complicações

    diminuição do débito cardíaco
    alcalose respiratória aguda
    elevação da pressão intracraniana
    meteorismo (distensão gástrica maciça)
    pneumonia
    atelectasia
    barotrauma
    fístula broncopleural

  • RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS NA ASSISTENCIA VENTILATÓRIA MECÂNICA

    recursos fisioterapêuticos na assistencia ventilatória mecânica

    a fisioterapia constitui um recurso terapêutico eficiente para tratamento e manejo dos pacientes submetidos à assistência ventilatória mecânica artificial (avma) e, em especial, aqueles portadores de complicações provenientes da restrição prolongada no leito.

  • INDICAÇÕES

    indicações

    prevenção das complicações geradas por incapacidade de manter eficiente remoção das secreções brônquicas, incapacidade de manter o volume pulmonar adequado e imobilidade no leito.

    gerenciamento do trabalho respiratório, alternando terapeuticamente os limites de sobrecarga e repouso dos músculos respiratórios.

  • INSUFICIÊNCIA CARDÍACA

    insuficiência cardíaca

    a drenagem postural brônquica seletiva pode piorar as arritmias.

    os pacientes com insuficiência cardíaca toleram pouco o tratamento, devendo ser rigorosamente monitorizados.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 35,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • VENTILAÇÃO MECÂNICA
  • OBJETIVOS
  • OBJETIVOS FISIOLÓGICOS
  • OBJETIVOS CLÍNICOS
  • CRITÉRIOS OBSERVADOS PELO ANTES DE PROCEDER À EXTUBAÇÃO DO PACIENTE
  • PRINCIPAIS COMPLICAÇÕES
  • RECURSOS FISIOTERAPÊUTICOS NA ASSISTENCIA VENTILATÓRIA MECÂNICA
  • INDICAÇÕES
  • INSUFICIÊNCIA CARDÍACA
  • HIPERCAPNIA
  • HIPOXEMIA
  • EMBOLIA PULMONAR
  • OSTEOPOROSE E FRATURA DE ARCOS COSTAIS
  • PRESSÃO INTRACRANIANA
  • CATETERES DE SUBCLÁVIA E TUBOS TORÁCICOS
  • USO DE SONDA NASOGÁSTRICA
  • PROCEDIMENTOS DURANTE A REALIZAÇÃO DAS MANOBRAS