Curso Online de Luxações de Cotovelo

Curso Online de Luxações de Cotovelo

A luxação do cotovelo pode ocorrer em vários movimentos dentro das lutas de contato. Os mais comuns são as chaves, principalmente o "arm-...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Mais de 0 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

A luxação do cotovelo pode ocorrer em vários movimentos dentro das lutas de contato. Os mais comuns são as chaves, principalmente o "arm-lock". Nessa chave ocorre a hiperextensão do cotovelo com lesão dos músculos pronador redondo e braquial, ainda ocorre a lesão do ligamento colateral medial e da cápsula ligamentar anterior.

Fisioterapeuta formado pela Escola Superior da Amazônia (ESAMAZ), Pós-Graduando em Fisioterapia Traumato-Ortopédica (CBES).



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • Luxações de Cotovelo

    luxações de cotovelo

    dr eledilson faro

  • dr. eledilson faro

    algumas informações:

    nossos cursos não possuem avaliação;
    oferecemos tais cursos como forma de atualização e, também para ajudar os acadêmicos (carga horária) em suas atividades complementares que são exigidas pelo mec;
    esperamos contribuir no aumento de seus conhecimentos;
    este curso possui 28 slides.

  • Anatomia:

    anatomia:

    a articulação do cotovelo compõe-se de 3 articulações:
    úmero-ulnar,
    úmero-radial e
    rádio-ulnar proximal.
    a cápsula articular é extremamente importante pois mantêm a continuidade entre as 3 articulações e é altamente inervada, o que apoia o complexo e gera propriocepção articular.
    ela é frouxa e reforçada anteriormente e muito pouco posteriormente.

  • Luxações:

    luxações:

    de modo geral, as luxações do cotovelo são classificadas como anterior e posterior.
    existem vários tipos de luxações posteriores definidas pela posição do olécrano com relação ao úmero:
    posterior;
    póstero-lateral (+ comum);
    póstero-medial (- comum); e
    lateral.

  • Luxações:

    luxações:

    as luxações podem ser completas ou incompletas:

    completas: ocorre ruptura total de ligamentos e há possibilidade de ruptura da cápsula anterior com possíveis rupturas do músculo braquial ou dos tendões flexor e extensor do punho;
    incompletas: menor ruptura ligamentar, portanto, a recuperação e o período de reabilitação são mais curtos.

  • As limitações de Flexão-Extensão:

    as limitações de flexão-extensão:

    a limitação da extensão é devida a 3 fatores:

    o apoio do bico do olécrano no fundo da fossa olecraniana;
    a tensão da parte anterior da cápsula articular;
    a resistência devida aos músculos flexores (bíceps, braquial anterior e supinador longo).

    se a extensão prossegue, um destes freios deve romper-se:

    fratura do ólecrano seguida do rompimento capsular;
    o olécrano resiste, mas a cápsula e os ligamentos se rompem, e é produzida uma luxação posterior do cotovelo.

  • As limitações de Flexão-Extensão:

    as limitações de flexão-extensão:

    a limitação da flexão é diferente conforme a flexão seja ativa ou passiva.

    se a flexão é ativa:
    o contato das massas musculares do braço e antebraço, endurecidas pela contração (flexão ativa não ultrapassa 145°, o que diminui quanto mais musculoso é o sujeito);
    os fatores apoio ósseo e tendão capsular, praticamente não intervêm.

    se a flexão é passiva sob a ação de uma força que “fecha” a articulação:
    as massas musculares não contraídas podem esmagar-se uma contra a outra e a flexão passa 145°;
    é então que aparecem os outros fatores de limitação:
    apoio da cabeça radial na fossa supracondiliana e da coronóide na fossa supratrocleana;
    tensão da parte posterior da cápsula;
    tensão passiva do tríceps braquial.

    a flexão pode então atingir 160°.

  • Os fatores de Coaptação Articular:

    os fatores de coaptação articular:

    a coaptação longitudinal impede que a articulação do cotovelo em extensão se desloque:

    seja quando se exerce uma força para baixo (ex: quando se carrega um balde d’água);
    seja quando se exerce uma força para cima (ex: num tombo).

  • Os fatores de Coaptação Articular:

    os fatores de coaptação articular:

    resistência à tração longitudinal:

    a coaptação esta assegurada:
    pelos ligamentos;
    pelos músculos, não somente os do braço, mas também os do antebraço.

    a articulação côndilo-radial está mal preparada para resistir aos esforços de tração: a cabeça radial se luxa para baixo em relação ao ligamento anular. o único elemento anatômico que impede a “descida” do rádio em relação à ulna é a membrana interóssea.

  • Os fatores de Coaptação Articular:

    os fatores de coaptação articular:

    resistência à pressão longitudinal:

    somente a resistência óssea intervém mecanicamente:

    por parte do rádio, é a cabeça que transmite os esforços de pressão e se fratura;
    por parte da ulna, é a coronóide que transmite as pressões e se fratura sob os efeitos do choque, o que permite a luxação posterior da ulna.

  • Os fatores de Coaptação Articular:

    os fatores de coaptação articular:

    na posição de flexão a 90°, a ulna está perfeitamente estável, pois a grande cavidade sigmóide está enquadrada pelas duas potentes inserções musculares do tríceps e do braquial anterior, que mantém o contato entre as superfícies articulares.

    o rádio, pelo contrário, tem tendência a se luxar para cima sob a tração do bíceps. somente o ligamento anular impede esta luxação.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Luxações de Cotovelo
  • Anatomia:
  • Luxações:
  • As limitações de Flexão-Extensão:
  • Os fatores de Coaptação Articular:
  • Mecanismo do Trauma:
  • Diagnóstico:
  • Inspeção:
  • Testes Especiais:
  • Tratamento:
  • Caso Clínico:
  • Referências:
  • FIM!!!