Curso Online de Nefropatia Diabética

Curso Online de Nefropatia Diabética

Constitui-se por alterações nos vasos dos rins, fazendo com que haja a perda de proteína na urina. É uma situação em que o órgão pode red...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 3 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Mais de 0 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Constitui-se por alterações nos vasos dos rins, fazendo com que haja a perda de proteína na urina. É uma situação em que o órgão pode reduzir sua função lentamente, porém de forma progressiva, até a paralisação total. Contudo, esse quadro é controlável e existem exames para detectar o problema ainda no inicio.

Fisioterapeuta formado pela Escola Superior da Amazônia (ESAMAZ), Pós-Graduando em Fisioterapia Traumato-Ortopédica (CBES).



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • nefropatia diabética

  • algumas informações:

    nossos cursos não possuem avaliação;
    oferecemos tais cursos como forma de atualização e, também para ajudar os acadêmicos (carga horária) em suas atividades complementares que são exigidas pelo mec;
    esperamos contribuir no aumento de seus conhecimentos;
    este curso possui 28 slides.

  • INTRODUÇÃO:

    introdução:

    no brasil estima-se que existam 5 milhões de diabéticos, dos quais metade desconhece o diagnóstico.
    a prevalência do diabetes, na população urbana de 30 a 69 anos é de 7,6%, magnitude semelhante a países desenvolvidos. é uma doença particularmente no idoso, com ate 50% das pessoas com mais de 65 anos sofrendo algum tipo de intolerância à glicose.

    segundo o ministério da saúde, o diabetes mellitus vem sendo reconhecido como um serio problema de saúde pública em praticamente todos os países. independente do seu grau de desenvolvimento sócio-econômico. afeta cerca de 15 milhões de pessoas, das quais 5 milhões não tem diagnóstico.

  • NEFROPATIA DIABÉTICA:

    nefropatia diabética:

    a evolução do diabetes, rumo às complicações crônicas, esta inteiramente relacionada com o mau controle da doença e, conseqüentemente, com a manutenção de níveis glicêmicos elevados.
    as microangiopatias diabéticas são complicações devidas ao comprometimento de vasos capilares, atingindo principalmente os rins (nefropatia diabética) e retina ocular (retinopatia diabética).
    as nefropatias ou doença renal secundaria, estima-se que nos diabéticos do tipo i, cerca de 30 a 40% irão desenvolver a complicação num período de 10 a 30 anos após o inicio da doença. no tipo ii, após 20 anos de doença, 5 a 10% dos pacientes precisarão submeter-se a hemodiálise, diálise peritoneal freqüentes ou transplante para sobreviver.

  • NEFROPATIA DIABÉTICA:

    nefropatia diabética:

    5 a 10%

    30 a 40%

  • História natural da nefropatia diabética:

    história natural da nefropatia diabética:

    estágio 1:
    hiperfiltração, com aumento da taxa de filtração glomerular (tfg), taxa de excreção albumina (tea) e hipertrofia renal.
    a tfg retorna ao normal após varias semanas a meses. este fenômeno esta associado a um aumento da pressão intraglomerular, o que pode contriubuir para o desenvolvimento de proteinúria no futuro se persistir.

  • História natural da nefropatia diabética:

    história natural da nefropatia diabética:

    estágio 2:
    clinicamente silencioso, alterações histológicas (espessamento da membrana basal e aumento do volume mesangial relativo)
    a excreção de albumina permanece normal (<20mg ou 30mg/24h). alguns ainda apresentam, sobretudo aqueles com mau controle glicêmico, continuam a ter hiperfiltração, o que encerra um risco aumentado para o futuro desenvolvimento de nefropatia diabética.

  • estágio 3:
    nefropatia incipiente – presença de microalbuminúria
    esta é definida como uma taxa de excreção de albumina de 20 a 200mg/min. (30 a 3000mg/24h). durante esta fase da nefropatia , no inicio, os pacientes costumam ter uma tfg normal, que começa a cair a medida que a microalbuminúria aumenta. cerca de 80% dos pacientes com microalbuminúria continuada desenvolverão nefroaptia clínica durante os próximos 7 a 14 anos.

  • estágio 4:
    início e estabelecimento da nefropatia diabética
    aumento progressivo da proteinúria e diminuição de albumina (tea) >200mg/min. ou 300mg/24h.
    durante esta fase, há uma queda progressiva da tfg e hipertensão é comum.
    estágio 5
    doença renal crônica terminal que acabam por afetar a maioria dos pacientes que desenvolvem proteinúria devida a nefropatia diabética.

  • FATORES DE RISCO:

    fatores de risco:

    sexo:
    maior incidência em homens
    idade de início do dm
    dm tipo 1: > 12 anos de idade
    dm tipo 2: > 50 anos de idade

    etnia:
    maior incidência em índios pima, latinos e afro americanos quando comparados com caucasianos

  • Fatores de risco:

    fatores de risco:

    polimorfismo genético
    gene da eca (genótipo dd)
    pressão arterial (pam >95)
    dislipidemia
    microalbuminúria
    mau controle glicêmico (hba1 >8.1)
    sendo um fator acelerador de agravamento da nefropatia
    retinopatia
    tabagismo


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • INTRODUÇÃO:
  • NEFROPATIA DIABÉTICA:
  • História natural da nefropatia diabética:
  • FATORES DE RISCO:
  • Fatores de risco:
  • FATORES AGRAVANTES:
  • Microalbuminúria:
  • Patogênese:
  • Patologia:
  • DM X biópsia renal:
  • Biópsias renais em diabéticos: resultados em 80 pacientes do RPG, com suspeita de nefropatia não-diabetica (1999-2005):
  • Tratamento:
  • Tratamento multifatorial:
  • BIBLIOGRAFIA: