Curso Online de Cirrose hepática

Curso Online de Cirrose hepática

Nosso Curso buzzero de cirrose hepática, tem o objetivo de trazer a nossos alunos um ensino de qualidade.Neste curso abordaremos: Cirrose...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 9 horas

Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Nosso Curso buzzero de cirrose hepática, tem o objetivo de trazer a nossos alunos um ensino de qualidade.Neste curso abordaremos: Cirrose hepática,Fígado,Cirrose hepática e regeneração
 Causas,Sintomas,Tratamento e muito mais.
Inclui quadro clínico, diagnóstico, etiologias e tratamento de cirrose. Ênfase especial será dada às complicações de cirrose hepática.

Professor das Técnicas Radiológicas, Graduado em Radiodiagnóstico - Técnico e Tecnólogo em Radiologia, primeiros socorros,gestão e organização.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • CURSO Cirrose hepática

    CURSO Cirrose hepática

    THIAGO SANTOS

  • Conteúdo programático

    Conteúdo programático

    Cirrose hepática
    Fígado
    Cirrose hepática e regeneração
     Causas
     Sintomas
     Tratamento

    Hepatite
    Hepatites Virais
    Hepatite A
    Hepatite B
    Hepatite C
    Hepatopatia

  • Cirrose hepática pode ser definida, sob o ponto de vista anátomo-patológico, como uma doença hepática caracterizada pela formação de nódulos de hepatócitos envoltos por fibrose difusa.

    Cirrose hepática

    Cirrose é o nome dado à patologia que afeta um órgão, transformando o tecido formado pelas suas células originais em tecido fibroso, por um processo habitualmente chamado fibrose ou esclerose. Geralmente o termo cirrose é utilizado para designar a fibrose no fígado.

  • formação de nódulos de hepatócitos

    Os nódulos de hepatócitos podem ser formados pela penetração de septos fibrosos em lóbulos pré-existentes ou pela atividade regenerativa dos hepatócitos, que se segue à necrose.

  •  fibrose difusa.

    A fibrose corresponde à cicatrização que se segue à destruição de hepatócitos e ao colapso da trama de reticulina que sustenta os hepatócitos.

  • É muito importante lembrar que esta doença é difusa, atingindo todo o fígado.

  • Etiologia:

    São diversas as causas da cirrose e, sob o ponto de vista etiológico, elas podem ser classificadas em:
    1. Alcoólica - causada pelo alcoolismo crônico; é a mais freqüente. 2. Pós-necrótica (ou pós-hepatite) - causada principalmente pelos vírus B e C. 3. Biliar (primária e secundária) - a primeira de origem auto-imune e a segunda por obstrução das vias biliares (cálculos, tumores, estenoses). 4. Pigmentar - por acúmulo de hemossiderina (pigmento derivado do metabolismo da hemoglobina. 5. Doença de Wilson - por acúmulo de cobre. 6. Deficiência da alfa-1-anti-tripsina - por defeito genético. 7. Criptogenica - quando não se consegue determinar a sua causa.

  • Podemos também classificar morfologicamente as cirroses de acordo com o tamanho dos nódulos. Assim a cirrose é chamada de cirrose micronodular quando os nódulos medem até 0,3 cm de diâmetro e de cirrose macronodular quando os nódulos medem mais de 0,3 cm de diâmetro. Quando encontramos nódulos pequenos e grandes no mesmo fígado dizemos que a cirrose émista. Esta classificação carece de importância clínica.

  • Alcoolismo crônico

    O alcoolismo crônico causa lesões progressivamente mais graves no fígado: a esteatose, a hepatite alcoólica e finalmente a cirrose.

  • A esteatose é uma lesão potencialmente reversível, presente em 90% dos alcoólatras crônicos. É caracterizada macroscópicamente pelo aumento do fígado, que se torna mais pesado, amarelo e mole.

  • Microscopicamente aparece sob a forma de vacúolos que ocupam quase todo o citoplasma do hepatócito, deslocando o seu núcleo para a periferia. Nas preparações histológicas rotineiras estes vacúolos mostram-se vazios, pois os lipídeos são dissolvidos pelo xilol usado na feitura das lâminas. Em preparações especiais pode-se conservar os lipídeos e demonstrá-los pela coloração com o Sudan III.

    .Este acúmulo de lipídeos deve-se aos seguintes mecanismos: .aumento da mobilização dos triglicerídeos periféricos,
    .diminuição da oxidação dos ácidos graxos no fígado,
    .diminuição da síntese de proteínas necessárias para a mobilização dos triglicerídeos do fígado.

    A esteatose não costuma causar sintomas clínicos.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Conteúdo programático
  • Cirrose hepática
  • Fígado
  • Cirrose hepática e regeneração
  •  Causas
  •  Sintomas
  •  Tratamento
  • Hepatite
  • Hepatites Virais
  • Hepatite A
  • Hepatite B
  • Hepatite C
  • Hepatopatia