Curso Online de Alimentação Saudável e Melhor Qualidade de Vida na Terceira Idade

Curso Online de Alimentação Saudável e Melhor Qualidade de Vida na Terceira Idade

Preciosas informações sobre prevenção de várias doenças que acometem principalmente idosos. Excelente curso para quem aprecia compreende...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 100 horas

De: R$ 60,00 Por: R$ 36,90
(Pagamento único)

Mais de 0 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Preciosas informações sobre prevenção de várias doenças que acometem principalmente idosos. Excelente curso para quem aprecia compreender melhor os cuidados para a manutenção da saúde.

Transmitir informações preciosas e atualizadas sobre saúde com total credibilidade e clareza após estudar intensamente cada conteúdo. Sou professor de ciências e biologia.Pesquisador de qualidade de vida e alimentação saudável, pesquisando atualmente como doutorando o consumo de frutas vermelhas e saúde do idoso.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • Alimentação Saudável e Melhor Qualidade de Vida na Terceira Idade

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Pesquisas mostram que o principal fator determinante do potencial de longevidade é a nutrição adequada. A qualidade da alimentação está diretamente associada à qualidade de vida do indivíduo e a menor incidência de doenças. O desequilíbrio nutricional no idoso está relacionado ao aumento da mortalidade, um risco aumentado de desnutrição, à susceptibilidade a infecções e à redução da qualidade de vida.

  • A alimentação e a nutrição integram os principais fatores ambientais modificáveis do estilo de vida com potencial de interferência na modulação metabólica do processo de envelhecimento, o que é de grande relevância para a prevenção e o tratamento das doenças.

  • O envelhecimento mundial é fato incontestável no século XXI. Este fato gera maior necessidade em aprofundar a compreensão sobre o papel da nutrição na promoção e manutenção da saúde, independência e autonomia dos idosos.

  • Espera-se que, em 2030, a população com mais de 65 anos, dobre de 36 para 72 milhões, aumentando de 12,5% para 20% da população.

  • Nas três últimas décadas observou-se um aumento de 85,5% de pessoas com a idade de 65 anos ou mais e de 225% na população de 85 anos ou mais. Isso devido, principalmente, aos avanços da medicina e às alterações no estilo de vida dos indivíduos.

  • No início do século XX, a média da expectativa de vida ao nascer era cerca de 47 anos, passando para cerca de 78 anos no início do século XXI.

    Nunca antes na história da humanidade, os países haviam registrado um contingente tão elevado de idosos em suas populações. Os avanços da medicina e as melhorias nas condições gerais de vida da população repercutem no sentido de aumentar a média de vida do brasileiro. A expectativa de vida ao nascer, que era de 45,5 anos de idade em 1940, passou para 72,7 anos em 2008, ou seja, mais 27,2 anos de vida.

  • O crescimento da população de idosos é explicado por especialistas por meio da queda da taxa de fecundidade aliada à queda da taxa de mortalidade, consequência do avanço da medicina que, além de combater as epidemias que ceifavam vidas jovens, pôde (e poderá cada vez mais) controlar doenças crônicas.

  • A expectativa de vida em 1940 era de 40,5 anos; em 2007 era de 70,4 anos, e as estimativas para 2050 são de 81,3 anos.

  • Os primeiros dados do Censo 2010 do IBGE mostram que a expectativa de vida no País aumentou cerca de três anos entre 1999 e 2009, saltando para 73,1 anos. A expectativa de vida no Brasil, entretanto, ainda é menor que a da América Latina e do Caribe (73,9 anos), só ficando à frente da Ásia (69,6 anos) e da África (55 anos). Na América do Norte essa expectativa de vida fica em 79,7 anos.

  • No Brasil, a esperança de vida foi de 73,8 em 2012, seguindo essa tendência, o país, dentro de duas décadas, estará entre os dez com maior população idosa.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 36,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • INTRODUÇÃO
  • NUTRIÇÃO DO IDOSO
  • RADICAIS LIVRES
  • RELAÇÃO ENTRE ESTRESSE OXIDATIVO E ENVELHECIMENTO
  • ESTUDO CORRELACIONANDO ESTRESSE OXIDATIVO, DOENÇAS E ENVELHECIMENTO
  • ANTIOXIDANTES
  • ATIVIDADE FÍSICA E ESTRESSE OXIDATIVO
  • IDOSOS E PRÁTICAS DE ATIVIDADE FÍSICA
  • ENVELHECIMENTO CUTÂNEO
  • CAROTENOIDES
  • POLIFENÓIS
  • VITAMINA C
  • VITAMINA E
  • ENCURTAMENTO DOS TELÔMEROS
  • OSTEOPOROSE
  • CLIMATÉRIO E MENOPAUSA
  • ASPECTOS COGNITIVOS DOS IDOSOS
  • ALIMENTAÇÃO E DOENÇA DE ALZHEIMER
  • RESTRIÇÃO CALÓRICA
  • SARCOPENIA
  • FITOQUÍMICOS
  • GINKGO BILOBA
  • FIBRAS
  • CRUCÍFERAS
  • CAPSAICINA
  • GENGIBRE
  • PEIXES
  • AMENIZAÇÃO DO ENVELHECIMENTO: EFEITOS PROTETORES DOS ALIMENTOS FUNCIONAIS E DOS ANTIOXIDANTES
  • SISTEMA IMUNE
  • IMUNOSSENESCÊNCIA
  • ENVELHECIMENTO BEM SUCEDIDO
  • CONSIDERAÇÕES FINAIS
  • ATEROSCLEROSE
  • SÍNDROME METABÓLICA
  • COLESTEROL
  • ALIMENTOS FUNCIONAIS
  • ALIMENTOS FUNCIONAIS E ATEROSCLEROSE
  • DIETA MEDITERRÂNEA
  • DEFINIÇÃO DA DOENÇA DE ALZHEIMER
  • DEMÊNCIA
  • POSSÍVEIS CAUSAS DA DOENÇA DE ALZHEIMER
  • PATOLOGIA DA DOENÇA DE ALZHEIMER
  • NUTRIÇÃO E DOENÇA DE ALZHEIMER
  • IMPACTOS DA DOENÇA DE ALZHEIMER NO ESTADO NUTRICIONAL
  • TRATAMENTO DA DOENÇA DE ALZHEIMER
  • SAÚDE CUTÂNEA
  • HISTOLOGIA DA PELE
  • RADIAÇÃO ULTRAVIOLETA
  • ANTIOXIDANTES
  • ENVELHECIMENTO CUTÂNEO
  • CAROTENOIDES
  • POLIFENÓIS
  • VITAMINA C
  • VITAMINA E
  • NUTRIÇÃO E CICATRIZAÇÃO
  • COBRE
  • ZINCO
  • REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS