Curso Online de EXERCÍCIOS QUE PODEM AJUDAR NAS DISFUNÇÕES SEXUAIS

Curso Online de EXERCÍCIOS QUE PODEM AJUDAR NAS DISFUNÇÕES SEXUAIS

Venho através deste curso oportunizar exercícios que podem ajudar nas várias disfunções sexuais tanto do homem como na mulher.

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 4 horas

De: R$ 150,00 Por: R$ 100,00
(Pagamento único)

Mais de 20 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Venho através deste curso oportunizar exercícios que podem ajudar nas várias disfunções sexuais tanto do homem como na mulher.

Psicólogo e psicopedagogo clinico, atuando em consultório e escolas, bem como em programas de dependência quimica em pastoral de sobriedade.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • EXERCÍCIOS QUE PODEM AJUDAR NAS DISFUNÇÕES SEXUAIS.

    exercícios que podem ajudar nas disfunções sexuais.

  • INTRODUÇÃO: Segundo a OMS Organização Mundial de Saúde. “O individuo sexualmente saudável deve ter capacidade de desfrutar e controlar o comportamento sexual e reprodutivo, de acordo com uma ética pessoal e social;

    introdução: segundo a oms organização mundial de saúde. “o individuo sexualmente saudável deve ter capacidade de desfrutar e controlar o comportamento sexual e reprodutivo, de acordo com uma ética pessoal e social;

  • bem como estar livre de medo, vergonha, culpa, tabus e outros fatores psicológicos inibidores de resposta sexual ou que prejudiquem suas relações do sexo”.

    bem como estar livre de medo, vergonha, culpa, tabus e outros fatores psicológicos inibidores de resposta sexual ou que prejudiquem suas relações do sexo”.

  • PORTANTO: Diante destas realidades estudos na área acrescentam também que será necessário estar livre de distúrbios e deficiências orgânicas a qual interfiram nas funções sexual e reprodutiva.

    portanto: diante destas realidades estudos na área acrescentam também que será necessário estar livre de distúrbios e deficiências orgânicas a qual interfiram nas funções sexual e reprodutiva.

  • Para Wilhelm Reich: “uma humanidade que tem sido forçada, por milhares de anos a negar a sua lei biológica e que, em consequência dessa negação adquiriu uma segunda natureza. Que é uma antinatureza, podendo apenas debater–se em exaltação irracional, quando quer restaurar a sua função biológica básica e ao mesmo tempo, teme fazê-lo.”

    para wilhelm reich: “uma humanidade que tem sido forçada, por milhares de anos a negar a sua lei biológica e que, em consequência dessa negação adquiriu uma segunda natureza. que é uma antinatureza, podendo apenas debater–se em exaltação irracional, quando quer restaurar a sua função biológica básica e ao mesmo tempo, teme fazê-lo.”

  • JUSTIFICATIVA: Estudos apontam que um terço da humanidade sofrem de alguma desordem em relação aos seus impulsos sexuais, seja ela mínima, moderada ou completa.

    justificativa: estudos apontam que um terço da humanidade sofrem de alguma desordem em relação aos seus impulsos sexuais, seja ela mínima, moderada ou completa.

  • Sendo assim, qualquer desordem com estes impulsos podem influenciar na saúde física e mental, afetando o emocional e social dos sujeitos na resposta sexual e acarretando o surgimento de suas disfunções.

    sendo assim, qualquer desordem com estes impulsos podem influenciar na saúde física e mental, afetando o emocional e social dos sujeitos na resposta sexual e acarretando o surgimento de suas disfunções.

  • Na nossa sociedade, ainda grande parte dos portadores de disfunções sexuais não se apresentam de forma espontânea ao tratamento, quer por constrangimento, cultura ou por dificuldade em ir aos serviços especializados.

    na nossa sociedade, ainda grande parte dos portadores de disfunções sexuais não se apresentam de forma espontânea ao tratamento, quer por constrangimento, cultura ou por dificuldade em ir aos serviços especializados.

  • Os fatores psicológicos são os mais comuns, principalmente nas disfunções do desejo sexual e do orgasmo.

    os fatores psicológicos são os mais comuns, principalmente nas disfunções do desejo sexual e do orgasmo.

  • Entretanto se alguns problemas relacionado a sua sexualidade são fatores que contribuem para uma boa qualidade de vida conjugal ou individual. Pedir ajuda para melhorar seu relacionamento familiar, conjugal ou pessoal é um sinônimo de sabedoria.

    entretanto se alguns problemas relacionado a sua sexualidade são fatores que contribuem para uma boa qualidade de vida conjugal ou individual. pedir ajuda para melhorar seu relacionamento familiar, conjugal ou pessoal é um sinônimo de sabedoria.

  • Todavia, é sabido que esta busca, por muitas vezes não é tão simples como deveria e nesses casos a ajuda de serviços especializados passa ser o melhor caminho.

    todavia, é sabido que esta busca, por muitas vezes não é tão simples como deveria e nesses casos a ajuda de serviços especializados passa ser o melhor caminho.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 100,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • EXERCÍCIOS QUE PODEM AJUDAR NAS DISFUNÇÕES SEXUAIS.
  • INTRODUÇÃO: Segundo a OMS Organização Mundial de Saúde. “O individuo sexualmente saudável deve ter capacidade de desfrutar e controlar o comportamento sexual e reprodutivo, de acordo com uma ética pessoal e social;
  • bem como estar livre de medo, vergonha, culpa, tabus e outros fatores psicológicos inibidores de resposta sexual ou que prejudiquem suas relações do sexo”.
  • PORTANTO: Diante destas realidades estudos na área acrescentam também que será necessário estar livre de distúrbios e deficiências orgânicas a qual interfiram nas funções sexual e reprodutiva.
  • Para Wilhelm Reich: “uma humanidade que tem sido forçada, por milhares de anos a negar a sua lei biológica e que, em consequência dessa negação adquiriu uma segunda natureza. Que é uma antinatureza, podendo apenas debater–se em exaltação irracional, quando quer restaurar a sua função biológica básica e ao mesmo tempo, teme fazê-lo.”
  • JUSTIFICATIVA: Estudos apontam que um terço da humanidade sofrem de alguma desordem em relação aos seus impulsos sexuais, seja ela mínima, moderada ou completa.
  • Sendo assim, qualquer desordem com estes impulsos podem influenciar na saúde física e mental, afetando o emocional e social dos sujeitos na resposta sexual e acarretando o surgimento de suas disfunções.
  • Na nossa sociedade, ainda grande parte dos portadores de disfunções sexuais não se apresentam de forma espontânea ao tratamento, quer por constrangimento, cultura ou por dificuldade em ir aos serviços especializados.
  • Os fatores psicológicos são os mais comuns, principalmente nas disfunções do desejo sexual e do orgasmo.
  • Entretanto se alguns problemas relacionado a sua sexualidade são fatores que contribuem para uma boa qualidade de vida conjugal ou individual. Pedir ajuda para melhorar seu relacionamento familiar, conjugal ou pessoal é um sinônimo de sabedoria.
  • Todavia, é sabido que esta busca, por muitas vezes não é tão simples como deveria e nesses casos a ajuda de serviços especializados passa ser o melhor caminho.
  • Porém a parte mais difícil é admitir que o problema existe, aceitar ajuda passa ser uma questão de querer resolvê-lo.
  • No HOMEM, vem em forma de ejaculação precoce ou retardada e impotência.
  • Na MULHER, como disfunção orgásmica, vaginismo e disfunção sexual geral.
  • Tanto nos homens como nas mulheres, ambos constituem problemas no controle do orgasmo, sendo assim indivíduos com tais disfunções resultam em angustias pessoais, dificultando tanto as relações interpessoais bem como em sua qualidade de vida.
  • Portanto, apesar de ser relativamente novos, estes exercícios, podem ser um instrumento valioso no auxilio de indivíduos que tem dificuldades nessa área fundamental do relacionamento humano.
  • Neste exercício o homem deita de costas e se concentra nas sensações produzidas pela estimulação manual ou oral pela mulher ; quando sentir-se que esta próximo da ejaculação ele deverá fazer um sinal para que ela pare. Repetições deste exercício serve para fortalecer o controle da ejaculação precoce.
  • Neste segundo exercício serve como continuidade do anterior onde a mulher em posição superior será útil para o homem perceber as sensações da vagina, depois de obtido o controle pela estimulação manual ou oral.
  • Também serve como auxilio na inibição ou disfunção orgásmica feminina onde o homem pode manipular tanto manualmente como com o pênis no clitóris da mulher.
  • Neste terceiro exercício serve como continuidade dos anteriores onde a estimulação delicada ou de causar prazer um ao outro, nas áreas eróticas, livre da exigência orgásmica, o casal pode dar e receber prazer em vez de se preocupar com o ato sexual em si.
  • Neste quarto exercício a estimulação do clitóris combinada com a introdução do pênis na vagina será útil da disfunção orgásmica, bem como nas disfunções gerais feminina, onde a mulher é auto-estimulada até um ponto imediatamente antes do orgasmo.
  • Cabe ao casal fazer movimentos prazerosos e vigorosos, levando-a assim ao orgasmo. Por outro lado não deve tanto um como outro sentir-se culpado caso não alcance o efeito esperado nas primeiras tentativas.
  • ‘O amor, o trabalho e o conhecimento são fontes da nossa vida. Deveriam também governá-las.’   Wilhelm Reich