Curso Online de Fecundação Gestação e Parto Bovino
2 estrelas 1 aluno avaliou

Curso Online de Fecundação Gestação e Parto Bovino

Fecundação Gestação e Parto Bovino

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 6 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Mais de 20 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Fecundação Gestação e Parto Bovino

PoliSeg Serviços de Segurança.


"Não tem vós explicando os slides, e eu não consigo salvar nada para eu tirar duvidas mais tarde, saiu muito caro so pra ver os slides, não vale a pena não."

- Kelyn Wentz

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.
  • Fecundação
    Gestação
    E
    Parto Bovino

  • Fecundação:

    Fecundação:

    Aspectos relevantes

    PARTE I

  • Transporte dos espermatozóides no trato genital feminino

    Transporte dos espermatozóides no trato genital feminino

    Deposição do sêmen
    Vagina (porção cranial): caninos, felinos
    Vagina (fórnix): bovinos
    Cérvix (porção caudal): ovinos, caprinos, equinos
    Cérvix (porção medial): suínos
    Útero (corpo ou corno): inseminação artificial em bovinos e equinos

    Exposição a diferentes ambientes: alteração do número e da atividade dos espermatozóides (SPTZ)

  • 1. Deposição do sêmen

    2. Cérvix
    Remoção de SPTZ anormais (ppte morfologia e motilidade);
    Presença de mucinas

    E2 : contratilidade e células de defesa

    Perda de SPTZ por movimentos retrógrados e fagocitose

    3. Útero
    Fagocitose de SPTZ
    Início da capacitação

    4. Junção útero-tubárica
    Final da capacitação
    Hiperativação da
    motilidade dos SPTZ

    5. Tuba uterina
    Reação acrossômica
    Fecundação

  • Formação de reservatórios espermáticos

    Formação de reservatórios espermáticos

    Reservatórios de espermatozóides:
    Fórnix (?): bovinos
    Cérvix
    Glândulas endometriais: caninos
    Junção útero-tubárica

    Funções principais dos reservatórios espermáticos:
    Evitar a poliespermia
    Regular os mecanismos de capacitação e hiperativação dos espermatozóides
    Manter a capacidade de fertilização dos espermatozóides

  • Capacitação dos espermatozóides

    Capacitação dos espermatozóides

    No trato genital feminino, os SPTZ sofrem alterações para se tornarem férteis

    O local onde inicia a capacitação varia entre as espécies
    Cérvix: bovinos e caninos
    Útero: equinos e suínos

  • Capacitação dos espermatozóides

    Capacitação dos espermatozóides

    Epidídimo: Maturação

    Ejaculado

    Capacitação

    Promotores da capacitação: albumina, heparina, lipoproteínas de alta densidade, glicosaminoglicanos, etc

  • Fecundação

    Fecundação

    Alterações na membrana celular e aumento da motilidade
    dos SPTZ

    Reconhecimento pela zona pelúcida e maior capacidade p/ perfurá-la

  • Ligação do espermatozóide ao oócito

    Ligação do espermatozóide ao oócito

    Membrana
    plasmática
    do SPTZ

    Superfície da
    zona pelúcida

    Membranas acrossomais
    externa e interna

    Dois sítios de ligação:
    ZBR e ARPR

  • Reação acrossômica

    Reação acrossômica

    Trata-se da fusão da membrana acrossomal externa à membrana plasmática do SPTZ

    Finalidades:
    Promover a penetração do SPTZ à zona pelúcida – liberação do conteúdo do acrossoma;
    Exposição da zona equatorial do SPTZ para posterior fusão à membrana plasmática do oócito.

  • Modificações ocorridas no SPTZ durante a reação acrossômica

    Modificações ocorridas no SPTZ durante a reação acrossômica

    Antes da reação acrossômica

    Durante a reação acrossômica

    Depois da reação acrossômica

    - Membranas intactas.

    - Fusão: membranas plasmática e acrossomal externa;
    - Extravasamento de vesículas
    contendo enzimas acrossomais.

    Membranas acrossomal
    interna e nuclear intactas


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Fecundação:
  • Transporte dos espermatozóides no trato genital feminino
  • Formação de reservatórios espermáticos
  • Capacitação dos espermatozóides
  • Fecundação
  • Ligação do espermatozóide ao oócito
  • Reação acrossômica
  • Modificações ocorridas no SPTZ durante a reação acrossômica
  • Penetração do SPTZ no oócito
  • Fusão do espermatozóide ao oócito - fase 1
  • Formação e fusão de pronúcleos
  • Gestação:
  • Fases da gestação
  • Embriogênese
  • Reconhecimento materno da gestação
  • Desenvolvimento das membranas extra-embrionárias
  • Implantação embrionária
  • Placentação em bovinos
  • Classificação da placenta
  • Classificação da placenta: padrão das vilosidades coriônicas
  • Placenta difusa
  • Placentas zonárias circular e discoidal
  • Placenta zonária cotiledonar
  • Placenta zonária cotiledonar: bovinos
  • Placenta zonária cotiledonar
  • Classificação da placenta: barreira materno fetal
  • Classificação da placenta: barreira materno fetal
  • Placenta sinepteliocorial
  • Maturação e liberação da placenta
  • Diagnóstico de gestação
  • Duração da gestação
  • parto
  • Indução do parto pelo feto
  • Alterações hormonais no periparto
  • Estágios do parto
  • 1º estágio do parto
  • 2º estágio do parto
  • Distocias
  • Distocias: causas
  • Distocias: como intervir?
  • 3º estágio do parto