Curso Online de Soldagem MIG/MAG
4 estrelas 12 alunos avaliaram

Curso Online de Soldagem MIG/MAG

Modos de transferência de metal Equipamentos Suprimento de Energia Gases de proteção Arames Segurança Técnicas de parâmetros de sol...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 27 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 24,90
(Pagamento único)

Mais de 150 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Modos de transferência de metal
Equipamentos
Suprimento de Energia
Gases de proteção
Arames
Segurança
Técnicas de parâmetros de soldagem
Condições de soldagem
Defeitos de Solda Causas e soluções
Soldagem MIG/MAG pontual.

Trabalho a 10 anos na área de Informática Formação ? TI Técnico em Redes e Manutenção Administrador de Redes Certificações ? Cisco RS e CCNA Security


- Felipe Santana De Araujo

- Welington Bueno Da Silva

"Eu acho o curso excelente, porque mostra uma apostila bem montada e didática dando tempo para que o aluno estude com tranquilidade. Como eu trabalho na área de mécânica industrial, para mim é importante cursos nessa área de atuação;abrindo possibilidade para que eu possa fazer outros. Só acho que essa apostila poderia ser mais compácta diminuindo o número de páginas,ou talvês até mais resumida. Um abraço."

- José Benedito Galhardo

"ótimo"

- Vitor Emanuel Do Nascimento

"muito bom me aprimorei mais,isso vai me ajuda muito na minha profisção."

- Marcelo Batista Dos Santos

"exelente"

- César Augusto Reis Veloso

- Manoel Luiz Dos Santos Monteiro

- Ruan Daniel Vieira

"o curso é bom mais falta incluir vídeos para melhorar o aprendizado."

- Everton Rodrigo Coutinho Sposito

"Senhores, Não foi bem o que eu esperava do curso. Talvez por falta de orientação, eu necessito de um curso para iniciante de soldagem. Gostaria de apreender a soldar arames. A SOLDAGEM MIG/MAG, acredito que seja para um já profissional. Daí a razão da Avaliação. Pedro Silva"

- Pedro Rocha Silva

"muito bom estou super feliz."

- Ana Lucia Ximenez Siqueira

"sem conteudo"

- JosÉ Eduardo Mendes Pires

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • soldagem
    mig/mag

  • INTRODUÇÃO MODOS DE TRANSFERÊNCIA DE METAL EQUIPAMENTOS SUPRIMENTO DE ENERGIA GASES DE PROTEÇÃO ARAMES SEGURANÇA TÉCNICAS E PARÂMETROS DE SOLDAGEM CONDIÇÕES DE SOLDAGEM DEFEITOS DE SOLDA — SUAS CAUSAS E SOLUÇÕES SOLDAGEM MIG/MAG PONTUAL BIBLIOGRAFIA .

    introdução
    modos de transferência de metal
    equipamentos
    suprimento de energia
    gases de proteção
    arames
    segurança
    técnicas e parâmetros de soldagem
    condições de soldagem
    defeitos de solda — suas causas e soluções
    soldagem mig/mag pontual
    bibliografia .

  • introdução

    na soldagem ao arco elétrico com gás de proteção (gmaw –
    gas metal arc welding), também conhecida como soldagem
    mig/mag (mig – metal inert gas e mag – metal active gas), um arco
    elétrico é estabelecido entre a peça e um consumível na forma de
    arame. o arco funde continuamente o arame à medida que este é alimentado
    à poça de fusão. o metal de solda é protegido da atmosfera
    pelo fluxo de um gás (ou mistura de gases) inerte ou ativo. a figura
    1 mostra esse processo e uma parte da tocha de soldagem.

  • figura 1 – processo básico de soldagem mig/mag

  • o conceito básico de gmaw foi introduzido nos idos de 1920, e
    tornado comercialmente viável após 1948. inicialmente foi empregado
    com um gás de proteção inerte na soldagem do alumínio. conseqüentemente,
    o termo soldagem mig foi inicialmente aplicado e ainda

    é uma referência ao processo. desenvolvimentos subseqüentes acrescentaram
    atividades com baixas densidades de corrente e correntes
    contínuas pulsadas, emprego em uma ampla gama de materiais,
    e o uso de gases de proteção reativos ou ativos (particularmente o
    dióxido de carbono, co2) e misturas de gases. esse desenvolvimento
    posterior levou à aceitação formal do termo gmaw – gas metal arc
    welding para o processo, visto que tanto gases inertes quanto reativos
    são empregados. no entanto, quando se empregam gases reativos,
    é muito comum usar o termo soldagem mag (mag – metal
    active gas).

  • o processo de soldagem funciona com corrente contínua (cc),
    normalmente com o arame no pólo positivo. essa configuração é conhecida
    como polaridade reversa. a polaridade direta é raramente
    utilizada por causa da transferência deficiente do metal fundido do arame
    de solda para a peça. são comumente empregadas correntes
    de soldagem de 50 a até mais que 600 a e tensões de soldagem de
    15 v até 32 v. um arco elétrico autocorrigido e estável é obtido com o
    uso de uma fonte de tensão constante e com um alimentador de arame
    de velocidade constante.
    melhorias contínuas tornaram o processo mig/mag aplicável à
    soldagem de todos os metais comercialmente importantes como os
    aços, o alumínio, aços inoxidáveis, cobre e vários outros. materiais
    com espessura acima de 0,76 mm podem ser soldados praticamente
    em todas as posições.
    é simples escolher equipamento, arame, gás de proteção e condições
    de soldagem capazes de produzir soldas de alta qualidade
    com baixo custo.

  • vantagens

    o processo de soldagem mig/mag proporciona muitas vantagens
    na soldagem manual e automática dos metais para aplicações
    de alta e baixa produção. suas vantagens combinadas quando comparado
    ao eletrodo revestido, arco submerso e tig são:
    a soldagem pode ser executada em todas as posições;
    não há necessidade de remoção de escória;
    alta taxa de deposição do metal de solda;
    tempo total de execução de soldas de cerca da metade do tempo
    se comparado ao eletrodo revestido;
    altas velocidades de soldagem; menos distorção das peças;
    largas aberturas preenchidas ou amanteigadas facilmente, tornando
    certos tipos de soldagem de reparo mais eficientes;
    não há perdas de pontas como no eletrodo revestido.

  • modos de transferência de metal

    basicamente o processo mig/mag inclui três técnicas distintas
    de modo de transferência de metal: curto-circuito (short arc), globular
    (globular) e aerossol (spray arc). essas técnicas descrevem a maneira
    pela qual o metal é transferido do arame para a poça de fusão. na
    transferência por curto-circuito — short arc, dip transfer, microwire —
    a transferência ocorre quando um curto-circuito elétrico é estabelecido.
    isso acontece quando o metal fundido na ponta do arame toca a
    poça de fusão. na transferência por aerossol — spray arc — pequenas
    gotas de metal fundido são desprendidas da ponta do arame e
    projetadas por forças eletromagnéticas em direção à poça de fusão. a
    transferência globular — globular — ocorre quando as gotas de metal
    fundido são muito grandes e movem-se em direção à poça de fusão
    sob a influência da gravidade. os fatores que determinam o modo de
    transferência de metal são a corrente de soldagem, o diâmetro do arame,
    o comprimento do arco (tensão), as características da fonte e o
    gás de proteção (veja a figura 2).

  • transferência por curto-circuito

    na soldagem com transferência por curto-circuito são utilizados
    arames de diâmetro na faixa de 0,8 mm a 1,2 mm, e aplicados pequenos
    comprimentos de arco (baixas tensões) e baixas correntes de
    soldagem. é obtida uma pequena poça de fusão de rápida solidifica

  • ção. essa técnica de soldagem é particularmente útil na união de materiais
    de pequena espessura em qualquer posição, materiais de
    grande espessura nas posições vertical e sobrecabeça, e no enchimento
    de largas aberturas. a soldagem por curto-circuito também deve
    ser empregada quando se tem como requisito uma distorção mínima
    da peça.

    figura 2 – modos de transferência do metal de solda

  • o metal é transferido do arame à poça de fusão apenas quando
    há contato entre os dois, ou a cada curto-circuito. o arame entra em
    curto-circuito com a peça de 20 a 200 vezes por segundo.
    a figura 3 ilustra um ciclo completo de curto-circuito. quando o
    arame toca a poça de fusão (a), a corrente começa a aumentar para
    uma corrente de curto-circuito. quando esse valor alto de corrente é
    atingido, o metal é transferido. o arco é então reaberto. como o arame
    está sendo alimentado mais rapidamente que o arco consegue
    fundi-lo, o arco será eventualmente extinguido por outro curto (i). o
    ciclo recomeça. não há metal transferido durante o período de arco
    aberto, somente nos curtos-circuitos.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 24,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • INTRODUÇÃO
  • MODOS DE TRANSFERÊNCIA DE METAL
  • EQUIPAMENTOS
  • SUPRIMENTO DE ENERGIA
  • GASES DE PROTEÇÃO
  • ARAMES
  • SEGURANÇA
  • TÉCNICAS E PARÂMETROS DE SOLDAGEM
  • CONDIÇÕES DE SOLDAGEM
  • DEFEITOS DE SOLDA — SUAS CAUSAS E SOLUÇÕES
  • SOLDAGEM MIG/MAG PONTUAL
  • BIBLIOGRAFIA .