Curso Online de Comandos Elétricos
4 estrelas 28 alunos avaliaram

Curso Online de Comandos Elétricos

OBJETIVO DO CURSO: Preparar profissionais para compreender o funcionamento e executar instalações e manutenção em circuitos e Comandos E...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 44 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 23,00
(Pagamento único)

Mais de 1900 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

OBJETIVO DO CURSO:

Preparar profissionais para compreender o funcionamento e executar instalações e manutenção em circuitos e Comandos Elétricos.

Comandos elétricos são dispositivos elétricos ou eletrônicos usados para acionar motores elétricos , como também outros equipamentos elétricos.

São compostos de uma variedade de peças e elementos como contatores, botões temporizadores, relés térmicos e fusíveis.

Uma grande parte das máquinas em oficinas e na industria é acionada por motores elétricos.

Para manejar essas máquinas são necessários dispositivos que permitem um controle sobre motores elétricos.

Esses dispositivos de controle são, nos casos mais simples , interruptores, também chamados chaves manuais.

Para motores de maior potência e para máquinas complexas usam-se comandos elétricos, automáticos, e muitas vezes sofisticados.

Os comandos elétricos permitem um controle sobre o funcionamento das máquinas , evitando, ao mesmo tempo, manejo inadequado pelo usuário e, além disso, dispõe de mecanismos de proteção para a máquina e para o usuário.

Melhoram o conforto para manejar máquinas, usando simples botões. Permitem também controle remoto das máquinas.

Comandos elétricos eliminam a comutação manual de linhas de alimentação de motores e cargas de alta potência por meio de interruptores de grandes dimensões.

Formação: Ensino Superior Incompleto - Engenharia Elétrica - Eletrotécnico - CIP - Cursos Extras: Informática - Micronews & Informática - Montagem e Manutenção de Microcomputadores -AF- Eletricista Instalador Predial - SENAI - Eletricista Instalador e Mantenedor Industrial - SENAI - Comandos elétricos para eletricistas - SENAI - Eletricista de instalações veiculares - SENAI - Enrolamento de motor - IUB - NR10 Segurança em instalações e Serviços com Eletricidade - SENAI - Segurança no trabalho - SENAI - Curso de eletricidade - BAAN


- Danilo Pereira Soares

- Bruno Luiz Raposo

- Rui Fernando Cardoso Almeida

- Gessan Dos Reis Cardoso

- Murilo Henrique Pereira

- João Antônio Veronez

- Jose Carlos Bezerra

- Reginaldo De Oliveira

- José Nicolau Salgado Junior

- Rogério Dias

- Joao Dionisio Ferreira

- Djalma Firmino De Oliveira Filho

- Hóstio De Farias Neves

- Dionatan Pinheiro Nunes

- Marcos De Oliveira Nascimento

- Sandro Ricardo Soares Da Silva

- Alex Dos Santos Nunes

- Eduardo José Duran

- Marino Luiz Monteiro

- Joel De Jesus

- Ruy Teixeira

- Cristiano Silva Oliveira

- Frederico Costa Vigolvino

- Pedro Lopes De Oliveira

- Claudiney Bispo Pereira

- Antonio De Padua Carneiro Da Silva

- Ritiele Oliveira Silveira

- Augusto Cesar De Moraes Souza

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • “No final do curso daremos a você um programa pra realizar comandos
    elétricos e mais um super brinde sobre acionamentos elétricos”

    CURSO COMANDOS ELÉTRICOS

  • Introdução

    Comandos elétricos são dispositivos elétricos ou eletrônicos usados para acionar motores elétricos , como também outros equipamentos elétricos. São compostos de uma variedade de peças e elementos como contatores, botões temporizadores, relés térmicos e fusíveis.
    Uma grande parte das máquinas em oficinas e na industria é acionada por motores elétricos. Para manejar essas máquinas são necessários dispositivos que permitem um controle sobre motores elétricos. Esses dispositivos de controle são, nos casos mais simples , interruptores, também chamados chaves manuais.

    Para motores de maior potência e para máquinas complexas usam-se comandos elétricos, automáticos, e muitas vezes sofisticados.

    Os comandos elétricos permitem um controle sobre o funcionamento das máquinas , evitando, ao mesmo tempo, manejo inadequado pelo usuário e, além disso, dispõe de mecanismos de proteção para a máquina e para o usuário. Melhoram o conforto para manejar máquinas, usando simples botões. Permitem também controle remoto das máquinas.
    Comandos elétricos eliminam a comutação manual de linhas de alimentação de motores e cargas de alta potência por meio de interruptores de grandes dimensões.

  • Circuito Elétrico

    O circuito elétrico mais simples é composto por um gerador (ou fonte), por um receptor (ou carga do circuito) e pelos condutores que os interligam.

  • Tensão elétrica

    Um dos terminais fica então eletricamente energizado em relação ao outro terminal.
    A energia entregue à cada unidade de carga eletrica (joule por coulomb) é medida em volt –V- e é chamada de tensão ou voltagem – simbolizada por E (para os geradores ) e U (para os circuitos).Às vezes a tensão é simbolizada por V. A tensão é também denominada diferença de potencial elétrico – ddp-

    Se um circuito elétrico externo interliga os terminais do gerador, a energia das cargas elétricas dos terminais do gerador se propaga para as cargas elétricas desse circuito que,

    energizadas, pôe-se em movimento através do circuito. Pelo fato de colocar as cargas em movimento a tensão do gerador é chamada também força eletromotriz (fem).

  • Corrente elétrica

    À medida que se movem, as cargas transferem ao circuito receptor a energia que receberam no gerador. No receptor essa energia é transformada em outra forma de energia.
    O citado movimento é a corrente elétrica, e sua intensidade, também chamada amperagem (quantidade de cargas que passam por segundo; coulombs por segundo) –simbolizada por I -, é medida em ampère- A-.
    A movimentação das cargas é tanto maior quanto mais energia recebem. Ou seja quanto maior for a tensão aplicada maior é a corrente.

  • Resistência elétrica

    A constituição física do circuito de corrente facilita ou dificulta o movimento das cargas.
    Se os elétrons de valência dos átomos que compôem o circuito estão muito presos ao átomos então o circuito apresenta grande dificuldade à movimentação das cargas.
    Quanto maior for a quantidade de energia necessária para por em movimento as cargas elétricas do circuito, maior é a chamada resistência elétrica de tal circuito.
    A movimentação das cargas é portanto menor, quanto maior for a dificuldade ou resistência – R- imposta pelo circuito à passagem das cargas.

  • Para se conseguir a movimentação das cargas é necessária diferença de potencial de valor tanto maior quanto maior for a movimentação desejada e também quanto maior for a resistência do circuito:

    Tal equação denomina-se lei de Ohm.
    A razão entre tensão e corrente tem como unidade o ohm – Ω -

  • A equação mostrada pode é claro ser reescrita :

    A energia elétrica no receptor pode ser calculada por:

  • Potência Elétrica

    A velocidade de transferência ou conversão da energia elétrica por unidade de tempo, - a energia por segundo - é denominada potência elétrica
    A potência elétrica –P - é medida em watts - W- e pode ser calculada pelo produto da tensão (V) pela corrente (I).

  • Obs.: Tal fórmula é válida para circuitos onde as variações da tensão provocam proporcionais e simultânea variação da corrente. Alguns circuitos chamados reativos não apresentam tal simultaneidade e par tais circuitos a fórmula acima não pode ser aplicada.
    Cada receptor tem a função de converter a energia elétrica em um determinado tipo de energia.

    Por exemplo:

    motor elétrico -> mecânica
    lâmpada -> luminosa
    bateria em recarga -> química
    resistores -> térmica

  • Como não se podem construir condutores práticos com materiais supercondutores (resistência zero) já que isso além de caro necessita de temperatura muito baixa menor que 150 graus celcius negativos, todos os circuitos elétricos apresentam resistência não só no receptor (seria o ideal) como também nos condutores e até no gerador.
    As cargas perdem energia para transpor a resistência do circuito. Essa energia é convertida em energia térmica, que produz aquecimento.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 23,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • SOFTWARE DE SIMULAÇÃO
  • CIRCUITO ELÉTRICO
  • TENSÃO ELÉTRICA
  • CORRENTE ELÉTRICA
  • RESISTÊNCIA ELÉTRICA
  • POTÊNCIA ELÉTRICA
  • PERDA DE ENERGIA NOS CONDUTORES
  • DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES
  • CIRCUITOS E DIAGRAMAS ELÉTRICOS
  • TIPOS DE DIAGRAMA
  • MOTORES ELÉTRICOS
  • MOTORES DE CORRENTE CONTÍNUA
  • MOTORES DE CORRENTE ALTERNADA
  • MOTOR TRIFÁSICO
  • MOTOR TRIFÁSICO DE 9 TERMINAIS
  • MOTOR 12 TERMINAIS
  • PLACA DE IDENTIFICAÇÃO
  • ACIONAMENTO E PROTEÇÃO DE MOTORES
  • DIAGRAMAS UNIFILARES E MULTIFILARES
  • DISPOSITIVOS DE COMANDO, PROTEÇÃO E SINALIZAÇÃO
  • BOTOEIRAS
  • CHAVE AUXILIAR TIPO FIM DE CURSO
  • CHAVE SECCIONADORA
  • CHAVE MAGNÉTICA OU CONTATOR MAGNÉTICO
  • SINALIZAÇÃO
  • RELÉS
  • RELÉ DE TEMPO OU TEMPORIZADOR
  • RELÉ TÉRMICO OU DE SOBRECARGA
  • RELÉ DE SOBRETENSÃO E DE SUBTENSÃO
  • RELÉ DE FALTA DE FASE
  • SÍMBOLOS DOS RELÉS
  • TRANSFORMADORES PARA COMANDOS
  • ELÉTRICOS
  • AUTOTRANSFORMADOR
  • TRANSFORMADOR DE CORRENTE (TC)
  • DISJUNTORES
  • DISJUNTOR MOTOR
  • FUSÍVEIS
  • DIMENSIONAMENTO DO FUSÍVEL
  • DIMENSIONAMENTO DE PARTIDAS
  • DIMENSIONAMENTO DE RELÉ TÉRMICOS
  • DISJUNTORES MOTORES E CONTATORES
  • PARTIDA DIRETA
  • PARTIDA ESTRELA TRIÂNGULO
  • PARTIDA CHAVE COMPENSADORA
  • CHAVE MAGNÉTICA DE POTÊNCIA E CHAVE MAGNÉTICA AUXILIAR
  • COMANDOS ELÉTRICOS
  • ASSOCIAÇÕES DE CHAVES SÉRIE
  • PARALELO
  • COMANDOS PARA MOTORES
  • LIGA DESLIGA MONOFÁSICA
  • LIGA DESLIGA TRIFÁSICA
  • REVERSORA TRIFÁSICA
  • REVERSORA MONOFÁSICA
  • ESTRELA TRIÂNGULO COM REVERSÃO
  • COMPENSADORA COM REVERSÃO
  • 3 MOTORES 1 COMPENSADORA
  • PARTIDA DAHLANDER
  • DAHLANDER COM REVERSÃO
  • MOTOR 2 ENROLAMENTOS
  • PARTIDA ROTÓRICA
  • PARTIDA ROTÓRICA COM REVERSÃO
  • PARTIDA SÉRIE PARALELA
  • PARTIDA CONSECUTIVA
  • INTERRUPTOR FIM-DE-CURSO
  • PARTIDA DIRETA COM RELÊ FALTA DE FASE
  • CHAVE BÓIA
  • RELÊ DE NÍVEL
  • SENSOR DE APROXIMAÇÃO
  • FRENAGEM POR CORRENTE CONTÍNUA
  • CÁLCULO DOS ALIMENTADORES
  • CÁLCULO DE CONVERSÃO DE POTÊNCIA
  • GRAU DE PROTEÇÃO
  • CATEGORIA DE MOTORES
  • FATOR DE POTÊNCIA
  • CORREÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA
  • FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA DO FATOR DE POTÊNCIA
  • CÁLCULO FATOR DE POTÊNCIA
  • CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
  • LAY-OUT INDUSTRIAL
  • ESTIMATIVA DE CARGA
  • DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES E PROTEÇÃO
  • LOCAÇÃO DOS PONTOS DE FORÇA
  • PROJETO DE QUADROS
  • ELABORAÇÃO DE PROJETO
  • ORÇAMENTO
  • LEVANTAMENTO DE MATERIAL
  • NORMAS DE FORNECIMENTO