Curso Online de CURSO TÉCNICO ELETRÔNICA INDUSTRIAL

Curso Online de CURSO TÉCNICO ELETRÔNICA INDUSTRIAL

CURSO TÉCNICO ELETRÔNICA INDUSTRIAL

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 4 horas

Por: R$ 49,99
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

CURSO TÉCNICO ELETRÔNICA INDUSTRIAL

NOME:BRUNO CHARLES FERREIRA LIMA INFORMÁTICA TÉCNICO SOFTWARE HARDWARE ETC. OUTROS CURSOS SUPERIORES



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • Curso Técnico em Eletrônica Eletrônica Industrial Modulação PWM

    Curso Técnico em Eletrônica Eletrônica Industrial Modulação PWM

    Professor:Bruno Charles

  • INTRODUÇÃO

    INTRODUÇÃO

    Os controles de potência, inversores de frequência, conversores para servomotor, fontes
    chaveadas e muitos outros circuitos utilizam a tecnologia do PWM (Pulse Width Modulation)

  • ou Modulação de Largura de Pulso como base de seu funcionamento.
    A maneira tradicional, ou mais simples de se controlar uma carga de potência é através de um
    reostato em série, conforme mostra a figura 1.
    Variando-

  • Variando-se a resistência apresentada pelo reostato pode-se modificar a corrente na carga e,
    portanto, a potência aplicada a ela. Este tipo de controle ainda é encontrado nas lâmpadas de

  • painéis de alguns carros mais antigos.
    A grande desvantagem deste tipo de controle, denominado “linear”, é que a queda de tensão no
    reostato multiplicada pela corrente que ele controla representa uma grande quantidade de calor
    gerada.

  • O controle passa a dissipar (e pedir) mais potência que a aplicada na própria carga em
    determinadas posições do ajuste. Além desta perda ser inadmissível, ela faz com que o componente
    usado no controle seja capaz de dissipar elevadas potências, ou seja, torna-se caro e grande

  • (normalmente reostatos ou potenciômetros de fio, mesmo para potências relativamente baixas).
    O uso de transistores ou circuitos integrados em um controle mais elaborado, que ainda varie
    linearmente a potência aplicada pelo controle direto da corrente, pode ser feito conforme ilustra a
    figura 2.

  • Embora o potenciômetro usado no controle dissipe pequena potência, pois a corrente nele é menor, este tipo de controle ainda tem um problema: a potência dissipada pelo dispositivo que controla a corrente principal é elevada.
    Esta potência depende da corrente e da queda de tensão no dispositivo e, da mesma forma, em certas posições do ajuste, pode ser maior que a própria potência aplicada ao dispositivo.
    Na eletrônica moderna, o rendimento com pequenas perdas e a ausência de grandes dissipadores que ocupem espaço é fundamental, principalmente quando circuitos de alta potência estão sendo
    controlados.
    Desta forma, este tipo de controle de potência linear não é conveniente, sendo requisitadas outras configurações de maior rendimento como as que fazem uso das tecnologias PWM.

  • Na matéria “Fontes Chaveadas” é explicado como funcionam as fontes chaveadas, que justamente
    usam a tecnologia PWM, mas os motores de corrente contínua ou alternada e outras cargas como
    solenóides, aquecedores e lâmpadas incandescentes também podem usá-la. Como tal tecnologia
    funciona é o que passamos a ver agora.

  • PWM

    PWM

    PWM é a abreviação de Pulse Width Modulation ou Modulação de Largura de Pulso.
    Para que se entenda como funciona esta tecnologia no controle de potência, partimos de um
    circuito imaginário formado por um interruptor de ação muito rápida e uma carga que deve ser
    controlada, de acordo com a figura 3.

  • Quando o interruptor está aberto não há corrente na carga e a potência aplicada é nula.
    No instante em que o interruptor é fechado, a carga recebe a tensão total da fonte e a potência aplicada é máxima.
    Como fazer para obter uma potência intermediária, digamos 50%, aplicada à carga?
    Uma idéia é fazermos com que achave seja aberta e fechada rapidamente de modo a ficar 50% do tempo aberta e 50% fechada. Isso significa que, em média, teremos metade do tempo com corrente e metade do tempo sem corrente, veja a figura 4.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 49,99
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Curso Técnico em Eletrônica Eletrônica Industrial Modulação PWM
  • INTRODUÇÃO
  • PWM
  • NA PRÁTICA
  • TIPOS DE PWM
  • VANTAGENS DO PWM
  • CIRCUITOS INTEGRADOS
  • CONCLUSÃO