Curso Online de HLO - HELICOPTER LANDING OFFICER EM PLATAFORMAS OFFSHORE - INTRODUÇÃO, PREPARAÇÃO E TEORIA
5 estrelas 5 alunos avaliaram

Curso Online de HLO - HELICOPTER LANDING OFFICER EM PLATAFORMAS OFFSHORE - INTRODUÇÃO, PREPARAÇÃO E TEORIA

ESTE CURSO VISA ORIENTAR E PRÉ-CAPACITAR O ALUNO ASPIRANTE A ( RADIO OPERATOR ? GMDSS ). O CONTEÚDO CONTA COM INFORMAÇÕES E VÍDEOS EXCLU...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 8 horas

Por: R$ 50,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

ESTE CURSO VISA ORIENTAR E PRÉ-CAPACITAR O ALUNO ASPIRANTE A ( RADIO OPERATOR ? GMDSS ). O CONTEÚDO CONTA COM INFORMAÇÕES E VÍDEOS EXCLUSIVOS E ENRIQUECEDORES EM TERMOS DE INFORMAÇÕES TÉCNICAS E OPERACIONAIS.

OBJETIVO DO CURSO

INTRODUZIR, ORIENTAR, CAPACITAR E PREPARAR OS FUTUROS PROFISSIONAIS DA ÁREA DE TELECOMUNICAÇÕES DE RÁDIO OPERAÇÃO MARÍTIMA, AÉRIA E TERRESTRE, NACIONAL e INTERNACIONAL. ORGANIZANDO, FORTALECENDO E UNIFICANDO UMA CATEGORIA PROFISSIONAL DE ALTÍSSIMA QUALIDADE TÉCNICA E OPERACIONAL, COM LIVRE ACESSO DEMOCRÁTICO POR UM CUSTO ACESSÍVEL PARA OS ALUNOS ASPIRANTES A ESTE CAMPO DE TRABALHO. ATENDENDO A UMA DEMANDA CRESCENTE E CADA VEZ MAIS EXIGENTE DESSES SETORES DE TRABALHO NOS MERCADOS NACIONAL E INTERNACIONAL OFF-SHORE e ON-SHORE.

CONTEÚDO DO CURSO

TRANSMITIR E RECEBER MENSAGENS ENTRE HELICÓPTEROS E PLATAFORMA ? COMUNICAÇÕES COM OS PILOTOS DE CONDIÇÕES DE TEMPO, VENTO E MAR ? COMPREENÇÃO DAS OPERAÇÕES NO HELIPONTO E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA ? ASSEGURAR E COMUNICAR AO PILOTO DA AERONAVE COMO ESTÃO GARANTIDAS AS CONDIÇÕES DE SEGURANÇA RELACIONADAS A OPERAÇÃO ? SUPERVISIONAR O EMBARQUE E DESEMBARQUE DE PASSAGEIROS E BAGAGEM E OPERAÇÕES DE CARGA E DESCARGA DA AERONAVE ? FAMILIARIZAÇÃO COM OPERAÇÕES DE DIFERENTES TIPOS DE AERONAVES E SEUS PROCEDIMENTOS DE EMERGENCIA ? INFORMAR AS DIVERSAS INSTALAÇÕES OS MOVIMENTOS DA AERONAVE, HORA ESTIMADA DE CHEGADA (ETA), E A HORA DA PARTIDA (ETD) E DETALHES DO MANIFESTO ? ASSEGURAR A ADEQUADA PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS A CADA DECOLAGEM E ATERRAGEM ? FAMILIARIZAÇÃO COM O GERENCIAMENTO DE CARGAS PERIGOSAS ? PROCEDIMENTOS DE ABASTECIMENTOS DE AERONAVES ? SINAIS CONVENCIONAIS DE OPERAÇÕES COM AERONAVES ? SEGURANÇA E CONTROLES DE PANES NO HELIPONTO ? ABASTECIMENTO DE AERONAVE EM FUNCINAMENTO ? PADRÕES DE SEGURANÇA EXIGIDOS PARA FUNCINAMENTO E OPERAÇÕES DO HELIPONTO ? INTRODUÇÃO A SERVIÇOS ESPECIALIZADOS ( BUSCA ? SALVAMENTO ? RESGATE ? ASSISTENCIA MEDICA ? OPERAÇÕES NOTURNAS )


? ACREDITAMOS QUE FACILITANDO OS CAMINHOS, ABRIMOS NOVOS HORIZONTES E OPORTUNIDADES ! ?

Carlos Demétrius Rolim Figueiredo - AUTOR E CRIADOR DOS CURSOS OFFSHORE. Técnico em segurança do Trabalho, Bombeiro Civil / Brigadista de Incêndios, Resgatista e Socorrista em Trabalhos em alturas e Espaços confinados no COMPERJ - PETROBRAS - RJ Ex-Sub-oficial-Instrutor de BUSHCRAFT e Técnicas de Sobrevivência Humana do CFPMA-Comando de Formação Pré-Militar de Patrulheiros Ambientais do Rio de Janeiro - RJ, Lider e diretor do movimento Sobrevivencialista e Preparador de catastrofes e contigências: Quimicas, Biologicas, Atômicas , Naturais e Ameças Urbanas e Guerras. Técnico em Meio Ambiente e Qualificado em Segurança do Trabalho, Técnico em Administração de Empresas, Ex-Gerente de Negócios e Consultor do GRUPO BERIT - Treinamento & Consultoria Marítima ltda. RJ, Rádio Operador-Telefonista de Sistemas de Rastreamento via satélite de frotas de veículos na Brasil Track - RJ, atuou como Operador Executivo do Projeto da Academia do 1º Emprego no Grupo ABECE - Academia Brasileira de Ensino Cultura e Empregabilidade, projeto este de criação e implantação de uma escola de ensino profissionalizante com 8 cursos de formação profissional da HOLDING DE FACULDADES, ESCOLAS E CURSOS - ABECE - RJ. Em Brasília-DF, atuou também como Coordenador Pedagógico e Gerente de Recursos Humanos de Encaminhamento ao Mercado de Trabalho e Instrutor de Técnicas Administrativas da REDE MICROLINS e Instrutor da Unidade CECAPI - Planaltina - DF, ambas de ensino profissionalizante no Distrito Federal. Engenheiro, Especialista em Segurança Física e Patrimonial e Automação Predial formado pela CUFD-INTELSEI - SP em 2004. Responsável pela formação de mais de 2.000 alunos desde 2001. A maioria já está trabalhando e fazendo a diferença em seus locais de trabalho. Como Gerente de Recursos Humanos no seu último empenho encaminhou mais de 2.000 pessoas nos últimos 6 meses naquela instituição. Ex-Sócio-Gerente de Recursos Humanos da APEE - Agência de Preparação & Encaminhamento ao Emprego LTDA - DF. Professor em mais de 15 matérias profissionalizantes, Palestrante em 9 matérias de beneficiamento profissional e consultor de Recolocação de Profissionais Plenos e Iniciantes no mercado de trabalho ( Head Hunter ), Analista de Carreira Profissional para candidatos ao Mercado de Trabalho, Orientador Profissional ao Trabalho e Instrutor de suas relações. Coach - Treiner - formado pelo ICC-EUA em Brasília-DF em 2003. Criador e Mentor dos CURSOS EM CD OFFSHORE em sistema EAD - Educação Agenciada a Distância, onde hoje já supre uma demanda de mais de 1.500 alunos já atendidos em todo o Brasil e inclusive brasileiros com residência nos EUA, Portugal, Itália, Canadá, Irlanda, México, Panamá e outros países do globo. Tecnólogo em Engenharia de Segurança Patrimonial e Pessoal, Especialista em Segurança eletrônica integrada local e remota para prédios, instalações industriais, embaixadas, oligarquias governamentais, VIPs e Dignatários.


- Usimar Pereira Da Cunha

"Excelente, muito bom, esta de parabéns."

- Railton Pereira Pena

- Augusto Ferreira De Almeida Junior

- Robson Faria Da Silva

- Reginaldo Pereira Da Rocha

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • CURSO DE INTRODUÇÃO, TEORIA E PREPARAÇÃO
    AO HLO – HELICOPTER LANDING OFFICER
    OFICIAL DE POUSOS E DECOLAGENS DE HELICÓPTEROS
    EM PLATAFORMAS OFFSHORE DE PETRÓLEO E GÁS

    HLO

  • TRANSMISSÃO E RECEPÇÃO DE MENSAGENS POR RÁDIO ENTRE HELICÓPTEROS E PLATAFORMAS OFFSHORE

  • Fonte : ICA 100-4/2007 11
    1.4 ABREVIATURAS DE TERMOS USADOS
    ACC – Centro de Controle de Área
    AGL – Acima do Nível do Solo
    ANAC – Agência Nacional de Aviação Civil
    ATC – Controle de Tráfego Aéreo
    ATS – Serviço de Tráfego Aéreo
    ATZ – Zona de Tráfego de Aeródromo
    CTR – Zona de Controle
    DA – Altitude de Decisão
    DECEA – Departamento de Controle do Espaço Aéreo
    HEL – Helicóptero
    ICA – Instrução do Comando da Aeronáutica
    IFR – Regras de Vôo por Instrumentos
    KT – Nós (unidade de velocidade)
    LDG – Pouso

    PAR – Radar de Aproximação de Precisão
    RCC – Centro de Coordenação de Salvamento
    REH – Rota Especial de Helicóptero
    SAR – Busca e Salvamento
    SISCEAB – Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro
    TMA – Área de Controle Terminal
    TWR – Torre de Controle
    VFR – Regras de Vôo Visual
    VHF – Freqüência Muito Alta

    FRASEOLOGIA DE RADIO COMUNICAÇÃO AERONÁUTICA

  • Fonte : ICA 100-4/2007
     
    7 FRASEOLOGIA DE RADIO COMUNICAÇÃO AERONÁUTICA
    7.1 A expressão “táxi” será utilizada para o movimento do helicóptero na superfície do aeródromo, via pistas de táxi ou outras trajetórias previstas. Tal expressão é usada, primariamente, para helicópteros equipados com rodas ou em resposta a uma solicitação do piloto. Esse tipo de procedimento deverá ser utilizado, preferencialmente, pelos helicópteros sempre que for necessário minimizar os efeitos de turbulência causados pelos mesmos.
    7.2 A expressão “taxiamento aéreo” será usada para o movimento de helicóptero em baixa velocidade sobre a superfície do aeródromo, normalmente a menos de 37 km/h (20 kt) e com o efeito do solo.
    7.3 A expressão “deslocamento aéreo” será usada para o movimento de helicóptero sobre a superfície do aeródromo e em rota de deslocamento aéreo, quando as operações de solo e as condições assim o permitirem. Nessa situação, os helicópteros permanecem abaixo de 100 pés e com velocidade relativa ao solo superior a 37 km/h (20 kt).

  • 7.4 FRASEOLOGIA GERAL
    NOTA 1: Os exemplos a seguir são apresentados nos idiomas português, na primeira coluna, e inglês na segunda coluna.
    NOTA 2: O símbolo * dos exemplos a seguir representa uma mensagem transmitida pelo piloto.
    7.4.1 Solicitação de taxiamento aéreo
    PT HAL, solicito taxiamento aéreo do hangar principal para o pátio número 5.
    *PT HAL, request air-taxiing from main hangar to apron number 5.
    PT HAL, autorizado taxiamento aéreo via taxiway “B” para o pátio número 5.
    Cautela devido aos homens trabalhando próximo a taxiway “B”.
    PT HAL, air-taxi approved via “B” taxiway to apron number 5. Caution, personnel working near taxiway “B”.

  • 7.4.2 Solicitação de deslocamento aéreo
    PT HAX, solicito deslocamento aéreo para o pátio da PETROBRÁS.
    PT HAX, request air-transiting to PETROBRÁS apron.
    PT HAX, autorizado deslocamento aéreo via rota “R” para o pátio da PETROBRÁS.
    PT HAX, air-transit approved via “R” route to PETROBRÁS apron.

    7.4.1 Solicitação de taxiamento aéreo
    PT HAL, solicito taxiamento aéreo do hangar principal para o pátio número 5.
    *PT HAL, request air-taxiing from main hangar to apron number 5.
    PT HAL, autorizado taxiamento aéreo via taxiway “B” para o pátio número 5.
    Cautela devido aos homens trabalhando próximo a taxiway “B”.
    PT HAL, air-taxi approved via “B” taxiway to apron number 5.
    Caution, personnel working near taxiway “B”.

  •  
     
    A- Bom dia P-57, aqui é PH-ER9943 da
    lider taxi aério, pedindo autorização
    de aproximação e pouso, QSA na
    escuta ?
      
    B- Sim, bom dia PH-ER9943 ! Aqui é a P-
    57, peço que ao chegar a 1000 mts de
    aproximação faça orbital no de teto 400
    mts e aguarde autorização de pouso em
    helideck. COPIADO !!!
      
    C- OK P-57 ! Entendido confirmado
    instrução de orbital a 1000 mts e
    aguardar autorização de pouso,
    seguindo rota conforme plano de vôo.
    Cambio Final !
      
     
     

    E- Atenção PH-ER43 lider TXA ! Pouso no helideck autorizado e equipe de HLO apostos, Ventos de sul para norte a 10 nós, adernagem de 5 graus a boreste.
    Bom pouso QSL, copiado !!!
     
      
    F-OK P-57 copiado !!!
    Inciando aproximação e pouso Cambio Final !!!!

    FRASEOLOGY OF OFFSHORE RADIO OPERATION EXEMPLES:
    SITUATION 1
     APPROACH FOR A TAXI AERIE HELICOPTER LANDING AND LANDING OF PASSENGERS AND CARGO.

  • COMUNICAÇÃO COM OS PILOTOS PARA INFORME DE CONDIÇÕES METEOROLÓGICAS DE TEMPO, VENTOS E MAR

    AFS - Serviço Fixo Aeronáutico
    AFTN - Rede Telecomunicações Fixas Aeronáuticas
    Ap - Aplicação
    Apt - Aula Prática
    ATS - Serviço de Tráfego Aéreo
    COMAER - Comando da Aeronáutica
    CCAM - Centro de Comutação Automática de Mensagem
    CH - Carga Horária
    CINDACTA - Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo
    CMA - Centro Meteorológico de Aeródromo

    CMM - Centro Meteorológico Militar
    CMV - Centro Meteorológico de Vigilância
    Cn - Conhecimento ou memorização
    CNMA - Centro Nacional de Meteorologia Aeronáutica
    Cp - Compreensão
    DECEA - Departamento do Controle do Espaço Aéreo
    Dem - Demonstração
    DEP - Mensagem ATS de Decolagem
    DLA - Mensagem ATS de Atraso
    EMA - Estação Meteorológica de Altitude
    EMS - Estação Meteorológica de Superfície
    GEIV - Grupo Especial de Inspeção em Vôo

  • hPa - Hectopascal
    ICA - Instrução do Comando da Aeronáutica
    ICEA - Instituto de Controle do Espaço Aéreo
    IEPV - Impresso Especial de Proteção ao Vôo
    IFR - Regras de Vôo por Instrumentos
    INFRAERO - Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária
    INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Especiais
    ISA - Atmosfera Padrão da OACI
    ITE - Instrução Técnica
    Kt - Nó
    MCA - Manual do Comando da Aeronáutica
    METAR - Informação Meteorológica Aeronáutica Regular
    OACI - Organização de Aviação Civil Internacional

    OMM - Organização Meteorológica Mundial
    OPMET - Banco de Internacional de Dados Meteorológicos
    Pot - Prática Orientada
    PUD - Plano de Unidades Didáticas
    QFE - Pressão Atmosférica ao nível da pista de pouso
    QFF - Pressão Atmosférica ao nível médio do mar
    QNH - Ajuste do Altímetro
    RACAM - Rede Administrativa de Comutação Automática de Mensagem
    SIGMET - Informação Meteorológica Aeronáutica Significativa
    SIG WX PROG - Prognóstico de Tempo Significativo
    SISCEAB - Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro
    SPECI - Informação Meteorológica Aeronáutica Especial
    SRPV - Serviço Regional de Proteção ao Vôo
    STCA Sistema de Telecomunicações do Comando da Aeronáutica
    SYNOP - Observação à Superfície Procedente de Estação Terrestre para fins sinóticos
    TAF - Previsão de Aeródromo
    Tec - Técnica
    UIT - União Internacional de Telecomunicações

    Va - Valorização
    Vis - Visita
    VFR - Regras de Vôo Visuais
    VOLMET - Radiodifusão Meteorológica

  • METEOROLOGIA AERONÁUTICA
    Fonte : ICEA – DECEA – CNS- 014
    INTRODUÇÃO À METEOROLOGIA AERONÁUTICA
    Parte da história da Terra pode, sem dúvida, ser conhecida a partir de
    instrumentos meteorológicos desde a época em que estes foram inventados. Infelizmente, este
    período é muito pequeno, chegando a 300 anos em poucas regiões e há algumas décadas na
    maior parte do mundo. Além disso, as séries de dados obtidas no passado a partir de antigos
    instrumentos acabam sendo comparadas com os dados de modernos instrumentos utilizados
    atualmente, o que gera uma série de problemas.
    O barômetro e o termômetro foram inventados na Itália, por Torricelli e
    Galileu, respectivamente, na primeira metade do século XVII. O anemômetro e o pluviômetro
    são mais antigos, mas as medições de chuva mais antigas datam do final dos anos 1600.
    Desde o início da vida humana, a Meteorologia se fez presente, mas só
    recentemente é que se pode fazer a cobertura meteorológica completa da Terra incluindo os
    oceanos do hemisfério sul e a Antártica. Este fato relevante só foi possível a partir da era do
    satélite, em 1960.
    O homem, o instrumento, a ciência meteorológica, nos mostram que temos
    ainda muito a percorrer com os estudos, pesquisa e desenvolvimento.
    Dentro deste contexto, a presente apostila destinada aos alunos do Curso de
    Radioperador em Plataforma Marítima – EPTA CAT “M” (CNS 014), tem por finalidade
    apresentar conhecimentos básicos essenciais para o aprendizado da Meteorologia Aeronáutica
    nas atividades fundamentais do Serviço de Proteção ao Vôo.

  • ESCALA INTERNACIONAL SAFFIR – SIMPSON
    DE MAGNITUDE DE TEMPESTADES E TEMPO

    Herbert Saffir

    Robert Simpson

    METEOROLOGIA AERONAUTICA E MARITIMA


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 50,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • TRANSMITIR E RECEBER MENSAGENS ENTRE HELICÓPTEROS E PLATAFORMA ? COMUNICAÇÕES COM OS PILOTOS DE CONDIÇÕES DE TEMPO, VENTO E MAR ? COMPREENÇÃO DAS OPERAÇÕES NO HELIPONTO E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA ? ASSEGURAR E COMUNICAR AO PILOTO DA AERONAVE COMO ESTÃO GARANTIDAS AS CONDIÇÕES DE SEGURANÇA RELACIONADAS A OPERAÇÃO ? SUPERVISIONAR O EMBARQUE E DESEMBARQUE DE PASSAGEIROS E BAGAGEM E OPERAÇÕES DE CARGA E DESCARGA DA AERONAVE ? FAMILIARIZAÇÃO COM OPERAÇÕES DE DIFERENTES TIPOS DE AERONAVES E SEUS PROCEDIMENTOS DE EMERGENCIA ? INFORMAR AS DIVERSAS INSTALAÇÕES OS MOVIMENTOS DA AERONAVE, HORA ESTIMADA DE CHEGADA (ETA), E A HORA DA PARTIDA (ETD) E DETALHES DO MANIFESTO ? ASSEGURAR A ADEQUADA PROTEÇÃO CONTRA INCÊNDIOS A CADA DECOLAGEM E ATERRAGEM ? FAMILIARIZAÇÃO COM O GERENCIAMENTO DE CARGAS PERIGOSAS ? PROCEDIMENTOS DE ABASTECIMENTOS DE AERONAVES ? SINAIS CONVENCIONAIS DE OPERAÇÕES COM AERONAVES ? SEGURANÇA E CONTROLES DE PANES NO HELIPONTO ? ABASTECIMENTO DE AERONAVE EM FUNCINAMENTO ? PADRÕES DE SEGURANÇA EXIGIDOS PARA FUNCINAMENTO E OPERAÇÕES DO HELIPONTO ? INTRODUÇÃO A SERVIÇOS ESPECIALIZADOS ( BUSCA ? SALVAMENTO ? RESGATE ? ASSISTENCIA MEDICA ? OPERAÇÕES NOTURNAS