Curso Online de Manutenção Mecânica
4 estrelas 12 alunos avaliaram

Curso Online de Manutenção Mecânica

A Mecânica é um dos setores industriais que absorve a maior gama de profissionais, em termos de qualificação e habilitação, se considerad...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 10 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 25,00
(Pagamento único)

Mais de 100 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

A Mecânica é um dos setores industriais que absorve a maior gama de profissionais, em termos de qualificação e habilitação, se considerada a complexidade de tarefas, que se situam desde a execução da mecânica corrente à mecânica avançada.

O perfil do técnico em Mecânica pressupõem espírito crítico, criatividade e consciência, devendo ser generalista com sólida e avançada formação tecnológica, lastreada numa cultura geral, igualmente sólida e consciente.

De um modo geral, o Técnico em Mecânica, ao final do curso, pode ser capaz de analisar, planejar, projetar, executar, supervisionar e dar manutenção a sistemas mecânicos e de produção.

Trabalho a 10 anos na área de Informática Formação ? TI Técnico em Redes e Manutenção Administrador de Redes Certificações ? Cisco RS e CCNA Security


- Edinaldo Rodrigues Da Silva Castro

- Robson Dos Santos

- Higor Leonardo Santos Madeira

- Fabio Ribeiro De Assis

- Edson Antonio Fernandes

- Donizete Cruz De Miranda

- Jose Bonfate

- Josélia Santos Da Silva

- Claudio Dos Santos Vieira

- Robson Benetoli Dos Santos

- Claudinei Darossi

- Luis Filipe Peres Braz

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • SUMÁRIO

    ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO

    INTRODUÇÃO
    HISTÓRICO DA MANUTENÇÃO
    CONCEITOS E OBJETIVOS
    SERVIÇOS DE ROTINA E SERVIÇOS PERIÓDICOS
    A ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO
    TIPOS DE ORGANIZAÇÕES DA MANUTENÇÃO
    ETAPAS INICIAIS PARA ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO EM UMA
    EMPRESA

    ESTRATÉGIAS DE MANUTENÇÃO
    MANUTENÇÃO CORRETIVA
    MANUTENÇÃO PREVENTIVA

  • FERRAMENTAS MANUAIS
    INTRODUÇÃO
    CHAVE DE BOCA E ESTRELA
    CHAVES DE FENDA E PHILIPS
    CHAVE EXAGONAL ALLEN
    CHAVE DE BOCA REGULÁVEL OU INGLESA
    SACA POLIAS
    TALHADEIRA E BEDAME
    SACA PINOS CÔNICO E PARALELO
    CHAVE PARA TUBOS
    ESPÁTULAS
    VERIFICADORES E CALIBRADORES
    TORQUÍMETRO
    MULTIPLICADORES DE TORQUE

    FERRAMENTAS PNEUMÁTICAS
    DESCRIÇÃO E INSTALAÇÃO
    TIPOS
    CUIDADOS GERAIS
    EQUIPAMENTOS DE MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS
    INTRODUÇÃO
    TIPOS DE EQUIPAMENTOS

  • MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS
    INTRODUÇÃO
    SEGURANÇA
    COMUNICAÇÃO ENTRE OPERADOR E MOVIMENTADOR
    SINAIS VISUAIS
    ACESSÓRIOS DO MOVIMENTADOR
    ISPEÇÃO EM CABOS DE AÇO E ACESSÓRIOS

    ELEMENTOS MECÂNICOS
    ACOPLAMENTOS
    CLASSIFICAÇÃO DOS ACOPLAMENTOS
    TIPOS DE ACOPLAMENTOS FEXÍVEIS
    EMBREAGENS

    FREIOS
    FREIOS DE DUAS SAPATAS
    FREIO DE DISCO
    FREIO DE SAPATA E TAMBOR
    FREIO DE SAPATAS INTERNAS OU FREIO A TAMBOR
    FREIO MULTIDISCO
    FREIO CENTRÍFUGO

  • POLIAS E CORREIAS
    RELAÇÃO DE TRANSMISSÃO
    POLIAS
    CORRENTES
    TIPOS DE CORRENTES
    EIXOS
    CONSTITUIÇÃO DOS EIXOS
    CLASSIFICAÇÃO DOS EIXOS
    TRAVAS
    CHAVETAS
    ANEL ELÁSTICO
    PINOS
    MANCAIS DE ROLAMENTO E DE DESLIZAMENTO
    MANCAIS DE ROLAMENTO
    MANCAIS DE DESLIZAMENTO
    ELEMENTOS DE VEDAÇÃO

    PARAFUSOS, PORCAS E ARRUELAS
    PARAFUSOS
    PORCAS
    ARRUELAS
    EMBREAGEM
    NOMENCLATURA
    TIPOS DE ENGRENAGENS

  • 1 - ORGANIZAÇÃO DA MANUTENÇÃO

    1.1 – INTRODUÇÃO
    Não basta uma empresa ter máquinas modernas, planos de expansão, mercado cativo, tecnologia
    de ponta, produtos de qualidade, preços competitivos, ótimos funcionários e programa de
    qualidade se ela não contar com um eficiente programa de manutenção mecânica.
    A manutenção mecânica é a alma dos setores produtivos empresariais. De fato, sem a manutenção
    mecânica das máquinas e equipamentos não será possível:
    - Cumprir os cronogramas de fabricação;
    - Obter produtos de qualidade;
    - Diminuir os custos de produção;
    - Aumentar a competitividade;
    - Manter a fidelidade dos clientes;
    - Conquistar novos clientes;
    - Reduzir as perdas de matéria-prima e energia;
    - Competir em igualdade de condições no mercado interno e externo.

  • Com a globalização da economia, a busca da qualidade total em serviços, produtos e
    gerenciamento ambiental passaram a ser a meta de todas as empresas.
    - O que a manutenção tem a ver com a qualidade total?
    Disponibilidade de máquina, aumento da competitividade, aumento da lucratividade, satisfação
    dos clientes, produtos com defeito zero...
    - Não entendi!
    Vamos comparar. Imagine que eu seja um fabricante de rolamentos e que tenha concorrentes no
    mercado. Pois bem, para que eu venha a manter meus clientes e conquistar outros, precisarei
    tirar o máximo rendimento de minhas máquinas para oferecer rolamentos com defeito zero e
    preço competitivos.
    Deverei, também, estabelecer um rigoroso cronograma de fabricação e de entrega de meus
    rolamentos. Imagine você que eu não faça manutenção de minhas máquinas...

  • - Estou começando a compreender.
    Se eu não tiver um bom programa de manutenção, os prejuízos serão inevitáveis, pois máquinas
    com defeitos ou quebradas causarão:

  • Diminuição ou interrupção da produção;
    - Atrasos nas entregas;
    - Perdas financeiras;
    - Aumentos dos custos;
    - Rolamentos com possibilidades de apresentar defeitos de fabricação;
    - Insatisfação dos clientes;
    - Perda de mercado.

  • 2 - HISTÓRICO DA MANUTENÇÃO

    A manutenção embora despercebida, sempre existiu, mesmo nas épocas mais remotas. Começou a
    ser conhecida com o nome de manutenção por volta do século XVI na Europa Central, juntamente
    com o surgimento do relógio mecânico, quando surgiram os primeiros técnicos em montagem e
    assistência.
    Uma das primeiras ações que poderíamos chamar de “manutenção organizada” foi desenvolvida
    pelos Vickings, que dependiam do estado operacional de seus barcos para obterem sucesso em
    suas incursões marítimas. Para tanto, possuíam em suas aldeias, na Escandinávia, uma série de
    diques, onde os barcos (de até 15 toneladas) eram postos a seco e reparados com ferramentas
    especiais ao retorno da viagem.
    Com a mecanização da indústria, que marcou a 1ª revolução industrial, a manutenção foi
    intensificada, porém, não passando ainda, de meros consertos.
    A manutenção teve outro incremento com a 2ª revolução industrial, marcada pela linha de
    montagem, onde a produção programada impedia as paradas freqüentes para reparos. Novos
    métodos foram introduzidos.

  • Até esse momento, considerando a primeira geração da manutenção tivemos:
    - Equipamentos simples, superdimensionados, confiáveis e de fácil reparação.
    Manutenção executada somente após a quebra – (corretiva). Tomou corpo ao longo da Revolução
    Industrial e firmou-se como necessidade absoluta, na Segunda Guerra Mundial. No princípio da
    reconstrução pós-guerra, Inglaterra, Alemanha, Itália e principalmente o Japão alicerçaram seu
    desempenho industrial nas bases da engenharia e manutenção.
    O grande impulso da manutenção organizada e científica deu-se, principalmente, com a 2ª
    guerra mundial, que culminou com o desenvolvimento tecnológico acelerado e a necessidade de se
    manter tudo funcionando perfeitamente, onde a quantidade e a qualidade dos equipamentos
    bélicos eram fundamentais para a vitória desejada.
    Os efeitos da guerra puderam ser sentidos muitos anos depois com uma nova ordem mundial que
    pode ser caracterizada por:

  • Elevado consumo / aumento da produção.
    - Máquinas mais complexas.
    - Custos elevados.
    Tais características geraram conseqüências como:
    - Maior preocupação com as falhas e paradas de produção. (preventiva)
    - Evolução dos procedimentos administrativos – sistemas de planejamento, organização e
    controle geral da manutenção.
    Essa fase ficou denominada como 2ª geração da manutenção e vigorou até início dos anos 70.
    A partir de meados dos anos 70, novas pesquisas, novas técnicas e expectativas criaram a 3ª
    geração da manutenção.
    Exigências como: produtividade, qualidade, segurança, redução de cursos e meio ambiente,
    intensa concorrência, os prazos de entrega dos produtos passaram a ser relevantes para todas as
    empresas, tornando a manutenção inerente ao processo produtivo. Novas técnicas de manutenção
    e gerenciamento da manutenção foram introduzidas para que se obtenha maior disponibilidade e
    confiabilidade dos equipamentos.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 25,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Organização da Manutenção
  • Estratégias da Manutenção
  • Ferramentas Manuais
  • Ferramentas Pneumáticas
  • Movimentação de Cargas
  • Elementos Mecãnicos
  • Freios
  • Polias e Correias
  • Correntes
  • Eixos
  • Travas
  • Mancais de Rolamento e Deslizamento
  • Elementos de Vedação
  • Parafusos, Porcas e Arruelas
  • Embreag