Curso Online de INTRODUÇÃO Á ALFABETIZAÇÃO INFANTIL
5 estrelas 2 alunos avaliaram

Curso Online de INTRODUÇÃO Á ALFABETIZAÇÃO INFANTIL

CURSO APOSTILADO_ SOBRE O CURSO: A alfabetização poder ser definida como um processo no qual a criança constrói a gramática e suas varia...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 37 horas

Por: R$ 25,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

CURSO APOSTILADO_

SOBRE O CURSO: A alfabetização poder ser definida como um processo no qual a criança constrói a gramática e suas variações. Entretanto, esse processo não se resume apenas na aquisição das habilidades mecânicas (codificação e decodificação) próprias do ato de ler, mas também na capacidade de interpretar, compreender, criticar, resinificar e produzir conhecimento.

Com este curso de Introdução à Alfabetização Infantil, o aluno aprenderá:

- As origens da escrita e do alfabeto;
- As propostas pedagógicas mais conhecidas e utilizadas;
- As diferenças nos saberes docente;
- O lúdico no contexto escolar;
- Os níveis conceptuais linguísticos;
e muito mais!

PÚBLICO ALVO: Curso muito indicado para estudantes de Letras e Pedagogia, professores da educação infantil e fundamental, e demais interessados na área da Educação.

PRÉ-REQUISITOS: não há pré-requisitos para esse curso, sugere-se ter Ensino Médio completo (não obrigatório).

OBJETIVOS: curso livre para Capacitação Profissional, onde o aluno aprenderá os fundamentos da Alfabetização Infantil, a história da escrita, a prática do professor na Ed. Infantil, ideias e propostas pedagógicas dos principais teóricos da educação, lúdico no contexto escolar, memória da alfabetização, psicogênese da língua escrita, níveis conceptuais linguísticos, concepções sobre a língua e a prática docente, o tempo de aprender e de ensinar a ler, a formação de professores de Educação Infantil.

VANTAGENS EM ADQUIRIR O CURSO:
- Atualizar seu Currículo, aumentando suas chances para conquistar um bom emprego;
- Aumentar suas chances de promoção no emprego (atual);
- Completar horas em atividades Extracurriculares (geralmente exigidas em Faculdades);

Fernanda Mário Brentegani é formada em Psicologia pela PUC-MG, especialista em Psicopedagogia, Acupuntura, Terapias Naturais e Transtornos Alimentares.É Coordenadora, autora e tutora de Cursos EAD. Conheça minhas páginas: BLOG:http://praxiscursosead.blogspot.com.br/ Facebook: https://www.facebook.com/FernandaBrentegani


- Daniela Da Silva Dielle

- Renato Lucas Rodrigues

  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • INTRODUÇÃOÀ ALFABETIZAÇÃO INFANTIL

    CURSO APOSTILADO

    INTRODUÇÃOÀ ALFABETIZAÇÃO INFANTIL

  • Caro (a) aluno(a),
    Seja bem vindo (a) ao curso de Introdução a Alfabetização. È um imenso prazer dividir conhecimento com todos aqueles que que estão dispostos de dele partilhar.
    A autora se encontra a sua disposição em caso de dúvidas e perguntas sobre o curso, como também, no final do curso não deixe de solicitar sua apostila gratuita em pdf pelo e-mail:clinicamultiterapia@gmail.com

  • Bom Curso!
    Fernanda Mário Brentegani

  • Introdução

    Introdução

    A alfabetização tem sido, através dos tempos, motivo de estudos e pesquisas. Nas últimas três décadas maior atenção foi dedicada à construção do processo da escrita, a psicogênese da escrita e da leitura, baseado nos estudos de Emilia Ferreiro e Ana Teberosky (1979). Após essa pesquisa e baseado nos resultados apresentados, mudou-se a concepção sobre o processo de alfabetização e construção da escrita, através da comprovação das fases que a criança atravessa no processo de aquisição da escrita, as perspectivas e características de cada uma delas. A partir dessa constatação, passa-se a perceber que vários são os fatores que podem influenciar os avanços e retrocessos dos alunos nesse processo.

  • A DIVERSIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

    A DIVERSIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

    É um requisito importante, conhecer e considerar a diversidade das crianças, para acionar conhecimentos múltiplos capazes de responder de forma apropriada às diferentes questões que surgem nesse cotidiano. Na Proposta do MEC (2000), trabalhar com a diversidade pressupõe atender, “[...] os princípios, prioridades e objetivos do projeto educativo escolar” (BRASIL, 2000, p. 50).

  • Já no Parecer 009/2001, trabalhar com a diversidade é saber “manejar diferentes estratégias de comunicação dos conteúdos, sabendo eleger as mais adequadas” na garantia da aprendizagem (BRASIL, 2001, p. 43). O exercício de uma docência que leva em conta a diversidade cultural das crianças pequenas também fez parte dos movimentos na luta por uma educação infantil que respeite a criança, “[...] seus processos de constituição como seres humanos em diferentes contextos sociais, sua cultura, suas capacidades intelectuais, criativas expressivas e emocionais”. (ROCHA, 2000, p. 231).

  • Trabalhar com a diversidade das crianças, contudo, nesses documentos não é abordado como um elemento enriquecedor da prática docente e da educação institucional, mas como um fator a ser considerado na adaptação de estratégias para viabilizar as aprendizagens pensadas na reforma da educação básica.

  • Como apareceu a escrita?

    Como apareceu a escrita?

    O pictograma
    O homem tem inerentemente uma necessidade individual de se expressar e uma necessidade social de se comunicar.
    Para Gelb (A study of writing), essas duas necessidades estão tão relacionadas que ele se pergunta se não seria melhor dizer que o homem se expressa comunicando, ou que a base de sua comunicação é sua expressão individual.

  • O desenho do homem primitivo criado sobre a superfície de algum objeto tinha para ele, de início, a função de expressar suas ideias visualmente, enquanto a fala era sua expressão auditiva.
    Com o passar do tempo, a expressão visual desenvolve-se em duas direções distintas: o desenho como arte, e o sistema pictográfico na comunicação.

  • Esse sistema pictográfico não apresenta inicialmente uma relação direta com a fala; porém, encaminha-se, posteriormente, em direção à representação da fala, passando a ser um simbolismo de segunda ordem. Assim, a fala representa ideias e a escrita representa a fala. Além do sistema pictográfico, outro precursor da escrita são os recursos de identificação mnemônicos, como os símbolos heráldicos e os símbolos usados por indígenas para registrar tempo.

  • Gelb faz um estudo minucioso e profundo do desenvolvimento da escrita através da História, focalizando, principalmente, as modificações internas nos sistemas mais do que os fatores externos. Faremos aqui um breve resumo dos pontos mais relevantes, com o objetivo de compreender melhor a natureza dos diversos sistemas.


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 25,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • Introdução
  • A diversidade na educação infantil
  • Como apareceu a escrita?
  • A prática do professor na Ed. Infantil
  • Os saberes docente
  • Os saberes da educação infantil
  • A diversidade da Ed. Infantil
  • A diversidade e a complexidade no processo pedagógico
  • A Interação creche - pré-escola, família e comunidade
  • Formação: da teoria á prática
  • Ideias e Propostas Pedagógicas de autores dos séculos XV, XVI e XVII
  • As ideias de Rosseau na prática de pedagogos (séc. XVIII e XIX)
  • Propostas Pedagógicas de Ovide Decroly (1871 ? 1932)
  • Propostas Pedagógicas de Célestin Freinet (1896-1966)
  • Propostas Pedagógicas de Emilia Ferreiro
  • Educar e o Cuidar: O específico da Ed. Infantil
  • Educar e cuidar: a dicotomia na educação infantil
  • O Lúdico no contexto escolar da Ed. Infantil
  • Memória da Alfabetização
  • Revendo a Psicogênese da Língua Escrita
  • Os níveis conceptuais linguísticos
  • As Concepções sobre a língua subjacentes à prática docente
  • Tempo de aprender e de ensinar a ler
  • O educador infantil: sua prática na acolhida
  • A formação de Professores para a Ed. Infantil
  • Bibliografia/Links Recomendados