Curso Online de NR10 BÁSICO - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

Curso Online de NR10 BÁSICO - SEGURANÇA EM INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

Curso de NR10: Este curso tem como diferencial a busca por associar os conceitos teóricos da NR10 com a aplicação real no ambiente de tra...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 40 horas


Por: R$ 24,90
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

Curso de NR10: Este curso tem como diferencial a busca por associar os conceitos teóricos da NR10 com a aplicação real no ambiente de trabalho. Possui a carga horária exigida por norma (40 horas).

Este curso é destinado especialmente a:

* Todos os profissionais que trabalham com elétrica ou sem suas proximidades (mecânicos, eletricistas, pedreiros, etc) precisam possuir o curso de NR10 para executar suas atividades.

* As maiores indústrias do Brasil exigem este treinamento como necessidade mínima para poder trabalhar em suas instalações.

* Engenheiros, técnicos de segurança, supervisores, também precisam do treinamento para acompanhar as atividades nestas áreas.

* Todas as pessoas interessadas na área elétrica.

Para receber o seu certificado, é necessário:

- Completar 100% do curso;
- Ser aprovado com, no mínimo, 60% na avaliação final.

Caso queira solicitar um certificado emitido pelo próprio autor ou tirar dúvidas, envie um e-mail para estrategiacursos@yahoo.com e as próximas instruções serão passadas.

Bons Estudos e Sucesso!!!

A Instrutora e Responsável Técnica pelo curso é Engenheira Eletricista e Engenheira de Segurança do Trabalho, com Pós Graduação em Gestão de Projetos e Pós Graduanda em Gerenciamento de Manutenção. Possui registro ativo no CREA/MG sob o n° 238532/D e RNP (Registro Nacional Profissional) no CONFEA n° 1418249106, tornando-a habilitada e autorizada conforme exigências do Ministério do Trabalho. É Engenheira Responsável Técnica por 3 (três) empresas, tendo atuado no gerenciamento e supervisão de obras industriais, desde a fase de mobilização até o comissionamento e start up, em unidades da Votorantim Cimentos. Nestas obras, manteve-se sempre à frente das questões relativas à Segurança do Trabalho, tendo adquirido experiência prática que transborda nos conteúdos dos treinamentos elaborados, associando sempre que possível a teoria à prática. É Instrutora de treinamento NR10 básico e NR10 complementar SEP, já tendo treinado e autorizado mais de 200 profissionais.



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • TREINAMENTO
    NR 10

  • Quando se fala em eletricidade, os principais termos envolvidos são:
    Tensão Elétrica, Corrente Elétrica e Resistência Elétrica.

    De forma simples e clara, a corrente elétrica é formada por elétrons (pequenas partículas, invisíveis a olho nu)
    que percorrem um condutor (um fio, por exemplo). A força que impulsiona os elétrons a se movimentarem
    é a tensão elétrica. A resistência que o condutor oferece à passagem dos elétrons é chamada de resistência elétrica.

    Analogia Prática: Tensão, Corrente e Resistência Elétrica

    1. INTRODUÇÃO À SEGURANÇA COM ELETRICIDADE
    1.1 Informações Básicas sobre Eletricidade e Principais Cuidados a serem Tomados
    Pode-se pensar na tensão elétrica como a pressão da água na tubulação
    Veja a figura ao lado. Imagine que a tubulação é o fio ou o cabo elétrico e que a água são os “elétrons”. Assim sendo:
    Observação: Quando fala-se que um aparelho é de 127V ou 220V (a pronúncia correta é Voltz),
    trata-se da tensão elétrica do aparelho. Muitos profissionais ainda falam em tensão de 110V.
    Essa tensão era utilizada no passado, mas atualmente não é mais usada pelas concessionárias,
    tendo dado lugar para a tensão de 127V.

  • 1. INTRODUÇÃO À SEGURANÇA COM ELETRICIDADE
    Pode-se pensar na corrente elétrica como o fluxo de água que passa pela tubulação;
    Pode-se pensar na resistência elétrica como a espessura do tubo por onde a água passa. Como mostra a figura ao lado, o tubo mais grosso
    representa a menor resistência e a o tubo mais fino representa a maior resistência.

  • 1. INTRODUÇÃO À SEGURANÇA COM ELETRICIDADE
    Interpretando a analogia...

    Quando a espessura do tubo é maior, ou seja, quando o tubo é mais grosso, ele permite que passe uma quantidade maior de água, correto?

    Logo, uma menor resistência permite que flua uma corrente maior.

    A figura ao lado é a resistência de um chuveiro elétrico. Como aprendemos, a resistência menor deixa passar mais corrente elétrica, assim a água esquenta mais. É essa a resistência por onde passa a corrente elétrica quando colocamos o chuveiro na posição “quente”. A resistência maior deixa passar menos corrente elétrica, assim, a água esquenta menos. É essa a resistência por onde passa a corrente elétrica quando colocamos o chuveiro na posição “morno”.

    Resistência menor (água quente)
    Resistência maior (água morna)

  •  
    1. INTRODUÇÃO À SEGURANÇA COM ELETRICIDADE
    Pronuncia-se 15 Watts. Este valor é a potência elétrica da lâmpada. A potência elétrica pode ser entendida como a interação entre a corrente e a tensão elétrica. É a potência quem dá a informação sobre o consumo (ou gasto) da lâmpada. Assim, se uma lâmpada é de 30W, significa que ela consome o dobro de uma lâmpada de 15W.

  • Com tudo que já aprendemos, podemos dizer, com segurança, que NÃO,
    um aparelho em 220V não gasta menos que um aparelho em 127V.
    Nós sabemos que o consumo tem a ver com a potência elétrica e não com a tensão elétrica.
    Assim, se um chuveiro é de 2000W e 127V, e outro chuveiro é de 2000W e 220V,
    ambos têm o MESMO CONSUMO.

    A não ser que...

    A instalação elétrica não tenha sido dimensionada corretamente!
    Se acontecer do eletricista responsável ter instalado cabos muito finos (a ponto de não serem adequados
    para o consumo real dos aparelhos), os fios podem aquecer mais (no caso da instalação estar ligada em 127V), o que causa perda de energia. Neste caso, sim, em 220 V o gasto seria menor, mas simplesmente porque a instalação elétrica teria sido feita de forma incorreta, inclusive colocando em risco a vida dos moradores do local.
    1. INTRODUÇÃO À SEGURANÇA COM ELETRICIDADE
    É verdade que 220V gasta menos que 127V?

  • 1. INTRODUÇÃO À SEGURANÇA COM ELETRICIDADE
    Você já ouviu falar sobre Potência Ativa, Potência Reativa e Potência Aparente?

    A Potência Ativa é aquela medida em Watts, que vemos na ficha técnica de todos os equipamentos elétricos que compramos. Esta é a potência que faz a lâmpada brilhar, que faz o motor girar, que faz o chuveiro aquecer a água, enfim, é potência que realiza resultados visíveis. Fazendo uma analogia com um copo de cerveja (como mostra a figura abaixo), a potência ativa seria a parte líquida da cerveja, ou seja, a parte da qual conseguimos observar o efeito.

  • 1. INTRODUÇÃO À SEGURANÇA COM ELETRICIDADE

    A Potência Reativa surge apenas em casos onde estão presentes cargas indutivas e capacitivas. Não pretendemos entrar a fundo neste assunto (para isto seria necessário um curso específico de circuitos elétricos), mas podemos esclarecê-lo um pouco mais através de exemplos. Um motor elétrico é um exemplo de carga indutiva. Um Banco de Capacitores (equipamento normalmente usado em indústrias para reduzir o custo com energia elétrica, mostrado na figura abaixo) é um exemplo de carga capacitiva. Assim, na sua casa, se você ligar apenas o chuveiro elétrico, não haverá consumo de potência reativa. Já se você acionar a máquina de lavar, haverá consumo de potência reativa (pois ela usa motor elétrico). Na analogia com o copo de cerveja, a potência reativa seria a parte da espuma, ou seja, a parte que aparentemente não gera qualquer efeito visível, mas é essencial para que o conteúdo exista.

    A Potência Aparente é a totalidade entre a potência ativa e a potência reativa.

    Banco de Capacitores

  • 1. INTRODUÇÃO À SEGURANÇA COM ELETRICIDADE

    A NR10 estabelece CONDIÇÕES MÍNIMAS, a partir da aplicação de MEDIDAS DE CONTROLE E SISTEMAS PREVENTIVOS, buscando garantir a SAÚDE E SEGURANÇA de todos os trabalhadores que interajam direta ou indiretamente com ELETRICIDADE E INSTALAÇÕES ELÉTRICAS.

    É importante frisar que as condições estabelecidas são MÍNIMAS, ou seja, é o mínimo de cuidado possível a ser tomado. É preciso analisar caso a caso e, quando necessário, adotar medidas ainda mais profundas.

    O trabalhador que trabalha DIRETAMENTE com eletricidade é o eletricista profissional e seu ajudante. Trabalhadores que interagem INDIRETAMENTE com a eletricidade podem ser, por exemplo, mecânicos que trabalham nas proximidades das instalações elétricas. As premissas da NR10 buscam proteger ambos os tipos de trabalhadores. Além disso, ambos precisam obrigatoriamente realizar o curso de NR10.

    Até aqui, já é possível perceber que o propósito da NR10 não é capacitar, ou seja, não é ensinar a trabalhar com circuitos elétricos, realizar montagens, testes elétricos, etc. O intuito da NR10 é orientar sobre medidas de segurança que devem ser obrigatoriamente tomadas nas atividades com eletricidade.
    1.2 Conceitos básicos para a compreensão do capítulo
    Objetivo da NR10

  • 1. INTRODUÇÃO À SEGURANÇA COM ELETRICIDADE

    A NR10 se aplica em instalações elétricas que operem acima da extra baixa tensão. A extra baixa tensão é toda tensão inferior a 50V, no caso de circuito de corrente alternada, e toda tensão inferior a 120V, no caso de circuito de corrente contínua.

    Assim, a NR10 se aplica para tensões acima de 50V (em corrente alternada) e para tensões acima de 120V (em corrente contínua).

    Logo, para trabalhar em um painel elétrico, cuja alimentação vem da rede de distribuição, a 110V, é ou não é necessário aplicar os princípios da NR10?

    Resposta: A tensão que vem da rede de distribuição está em corrente alternada. Logo, como 110 V é superior a 50V, sim, é obrigatório usar os princípios de segurança da NR10 para trabalhar com este painel.

    Para qual faixa de tensão a NR10 se aplica?

  • Nos trabalhos com eletricidade, são definidas ZONAS de trabalho, conforme o grau de risco que a área apresenta.

    As Zonas de Trabalho definidas em norma são:

    Zona livre: Nessa área não há restrição de quem pode circular (ou seja, podem ser até mesmo pessoas não advertidas e
    não autorizadas) e não há obrigatoriedade do uso de EPIS.

    Zona controlada: Essa área oferece grau de risco superior ao da zona livre. Logo, só podem acessá-la pessoas ADVERTIDAS e AUTORIZADAS, porém não há obrigatoriedade do uso de EPIS.

    Zona de risco: Essa área oferece grau de risco superior ao da zona controlada. Logo, só podem acessá-la pessoas
    ADVERTIDAS e AUTORIZADAS, além de ser obrigatório o uso de EPIS e técnicas adequadas.

    1. INTRODUÇÃO À SEGURANÇA COM ELETRICIDADE
    Zona controlada
    O que são as ZONAS de trabalho?


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 24,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • 1. Introdução à segurança com eletricidade.
  • 2. Riscos em instalações e serviços com eletricidade:
  • a) o choque elétrico, mecanismos e efeitos;
  • b) arcos elétricos; queimaduras e quedas;
  • c) campos eletromagnéticos.
  • 3. Técnicas de Análise de Risco.
  • 4. Medidas de Controle do Risco Elétrico:
  • a) desenergização.
  • b) aterramento funcional (TN / TT / IT); de proteção;
  • temporário;
  • c) equipotencialização;
  • d) seccionamento automático da alimentação;
  • e) dispositivos a corrente de fuga;
  • f) extra baixa tensão;
  • g) barreiras e invólucros;
  • h) bloqueios e impedimentos;
  • i) obstáculos e anteparos;
  • j) isolamento das partes vivas;
  • k) isolação dupla ou reforçada;
  • l) colocação fora de alcance;
  • m) separação elétrica.
  • 1. Introdução à segurança com eletricidade.
  • 2. Riscos em instalações e serviços com eletricidade:
  • a) o choque elétrico, mecanismos e efeitos;
  • b) arcos elétricos; queimaduras e quedas;
  • c) campos eletromagnéticos.
  • 3. Técnicas de Análise de Risco.
  • 4. Medidas de Controle do Risco Elétrico:
  • a) desenergização.
  • b) aterramento funcional (TN / TT / IT); de proteção;
  • temporário;
  • c) equipotencialização;
  • d) seccionamento automático da alimentação;
  • e) dispositivos a corrente de fuga;
  • f) extra baixa tensão;
  • g) barreiras e invólucros;
  • h) bloqueios e impedimentos;
  • i) obstáculos e anteparos;
  • j) isolamento das partes vivas;
  • k) isolação dupla ou reforçada;
  • l) colocação fora de alcance;
  • m) separação elétrica.
  • 5. Normas Técnicas Brasileiras ?
  • NBR da ABNT: NBR-5410, NBR 14039 e outras;
  • 6. Regulamentações do MTE:
  • a) NRs;
  • b) NR-10 (Segurança em Instalações e Serviços com
  • Eletricidade);
  • c) qualificação; habilitação; capacitação e
  • autorização.
  • 7. Equipamentos de proteção coletiva.
  • 8. Equipamentos de proteção individual.
  • 9. Rotinas de trabalho ? Procedimentos.
  • a) instalações desenergizadas;
  • b) liberação para serviços;
  • c) sinalização;
  • d) inspeções de áreas, serviços, ferramental e
  • equipamento;
  • 10. Documentação de instalações elétricas.
  • 11. Riscos adicionais:
  • a) altura;
  • b) ambientes confinados;
  • c) áreas classificadas;
  • d) umidade;
  • e) condições atmosféricas.
  • 12. Proteção e combate a incêndios:
  • a) noções básicas;
  • b) medidas preventivas;
  • c) métodos de extinção;
  • d) prática;
  • 13. Acidentes de origem elétrica:
  • a) causas diretas e indiretas;
  • b) discussão de casos;
  • 14. Primeiros socorros:
  • a) noções sobre lesões;
  • b) priorização do atendimento;
  • c) aplicação de respiração artificial;
  • d) massagem cardíaca;
  • e) técnicas para remoção e transporte
  • de acidentados;
  • f) práticas.
  • 15. Responsabilidades.