Curso Online de Eletricista Residencial

Curso Online de Eletricista Residencial

Executar e manter as instalações elétricas em edificações conforme projetos, normas técnicas vigentes e procedimentos específicos, planej...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 10 horas

De: R$ 40,00 Por: R$ 24,90
(Pagamento único)

Mais de 0 alunos matriculados no curso.

Certificado digital Com certificado digital incluído

Executar e manter as instalações elétricas em edificações conforme projetos, normas técnicas vigentes e procedimentos específicos, planejando o trabalho de forma limpa e organizada, assegurando o desenvolvimento do processo de execução das obras dentro dos prazos, com segurança, qualidade, economia e respeito ao meio ambiente.

Trabalho a 10 anos na área de Informática Formação ? TI Técnico em Redes e Manutenção Administrador de Redes Certificações ? Cisco RS e CCNA Security



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
  • Adquira certificado ou apostila impressos e receba em casa. Os certificados são impressos em papel de gramatura diferente e com marca d'água.**
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
** Material opcional, vendido separadamente.

Modelo de certificados (imagem ilustrativa):

Frente do certificado Frente
Verso do certificado Verso
  • Conteúdo Programático:

    Apresentação da Norma NBR 5410/2004

    Introdução à Eletricidade

    Energia Elétrica - Geração, Transmissão e Distribuição

    Explicando Tensão, Corrente, Resistência e Potência Elétrica

    Explicando Resistividade e Circuitos Elétricos

    Explicando o Que São Condutores, Isolantes, Resistores

    As Funções dos Capacitores e Transformadores

    Condutores Elétricos - Tipos e Classes Utilizadas

    Ferramentas Ideais para o Eletricista

    Multímetro - Definição e Leitura de Medições

    As Definições Corretas de Instalações e Alimentação

    Elementos Que Compõem as Instalações Elétricas

    Entendendo o Projeto de Uma Instalação Elétrica - Parte 01

    Entendendo o Projeto de Uma Instalação Elétrica - Parte 02

    Eletrodutos - Instalação e Dimensionamento

    Aterramento - Tipos e Dimensionamento

    Motores Elétricos Monofásicos

    Funcionamento do Motor Bomba e Chave Boia

    O Que São Disjuntores Termomagnéticos?

    Funcionamento e Instalação de Interruptores, Dimmers e Minuteiras

    Tomadas Elétricas

    Lâmpadas

    Como Efetuar a Correta Emenda de Fios e Condutores

    Instalação de Torneiras Elétricas e Chuveiros Elétricos

    Choques Elétricos - Tipos

    Efeitos do Choque Elétrico - Contrações Musculares

    Efeitos do Choque Elétrico - Queimaduras

    Causas Determinantes de Choques Elétricos

    Os Perigos do Arco Elétrico

    Campos Eletromagnéticos

    Causas Diretas de Acidentes com Eletricidade

    Causas Indiretas de Acidentes com Eletricidade

    Equipamentos de Proteção Individual (EPI)

    Primeiros Socorros em Caso de Acidente com Eletricidade

    Normas ABNT sobre Instalações Elétricas

    Bibliografia

  • Apresentação da Norma NBR 5410/2004

    A

    Norma

    NBR

    5410

    estabelece

    as

    condições

    e

    padrões

    normatizados que devem ser seguidos nas instalações elétricas

    de baixa tensão, garantindo assim a segurança de pessoas e

    animais,

    o

    funcionamento

    adequado

    da

    instalação

    e

    a

    conservação dos bens.

    Este padrão normativo se aplica principalmente nas instalações

    elétricas

    de

    edificações,

    residenciais,

    comercias,

    público,

    industrial, etc.

    A versão atual da Norma NBR 5410 entrou em vigor em 31 de

    março de 2005, em substituição a versão do ano de 1997 e tem

    como principais itens que devemos destacar:

    - a atualização das disposições referentes à proteção contra

    choques elétricos.

    - a obrigatoriedade do uso de DPS (Dispositivos contra surtos

    responsáveis por garantir a integridade física da pessoa e também

    em equipamentos e instalações elétricas na ocorrência de

    sobretensão na rede).

    - os requisitos específicos para locais de habilitação (em particular

    a distribuição de pontos e a divisão de circuitos).

    - o dimensionamento de cabos condutores suscetíveis à presença

    de

    correntes

    harmônicas,

    especificando

    a

    instalação

    de

    eletrodutos e sua verificação.

    - a inspeção da instalação antes de iniciar o uso.

    Introdução à Eletricidade

  • A eletricidade é a forma de energia mais utilizada na sociedade

    atual; a facilidade em ser transportada dos locais de geração para

    os pontos de consumo e sua transformação normalmente simples

    em outros tipos de energia, como mecânica, luminosa, térmica,

    contribui em muito para o desenvolvimento industrial.

    Com características adequadas à moderna economia, facilmente

    disponibilizada aos consumidores, a eletricidade sob certas

    circunstâncias, pode comprometer a segurança e a saúde das

    pessoas.

    A eletricidade não é vista, é um fenômeno que escapa aos nossos

    sentidos, só se percebem suas manifestações exteriores, como a

    iluminação, sistemas de calefação, entre outros.

    Em consequência dessa invisibilidade, a pessoa é, muitas vezes,

    exposta a situações de risco ignoradas ou mesmo subestimadas.

    Não se trata simplesmente de atividades de treinamento, mas

    desenvolvimento de capacidades especiais que o habilitem a

    analisar o contexto da função e aplicar a melhor técnica de

    execução em função das características de local, de ambiente e

    do próprio processo de trabalho. O objetivo deste curso é permitir

    ao aluno o conhecimento básico dos riscos a que se expõe uma

    pessoa que trabalha com instalações ou equipamentos elétricos,

    incentivar o desenvolvimento de um espírito crítico que lhe permita

    medir tais riscos e apresentar de forma abrangente sistemas de

    proteção coletiva e individual, que deverão ser utilizados na

    execução de suas atividades. Desta forma, portanto, o treinamento

    dirigido à prevenção de acidentes em nenhuma hipótese vai

    substituir treinamentos voltados à execução de tarefas específicas

    dos eletricistas, permitindo, isto sim, ampliar a visão do trabalhador

    para garantir sua segurança e saúde.

    Neste curso, serão apresentados de forma sucinta, entre outros,

    os conceitos básicos da eletricidade, o comportamento do corpo

    humano quando é exposto a uma corrente elétrica, as diversas

    formas de interação e possíveis lesões nos pontos de contato e no

    interior do organismo, bem como informações sobre primeiros

    socorros e atendimento em emergências.

    A passagem de corrente elétrica, em função do efeito (Joule), é

    fonte de calor que, nas proximidades de material combustível na

    presença do ar, pode gerar um princípio de incêndio, e informações

  • gerais sobre o assunto devem ser abordadas, sempre visando

    melhor preparar o trabalhador para analisar os possíveis riscos da

    sua atividade.

    Os trabalhos nas áreas de geração, transmissão e distribuição de

    energia elétrica apresentam riscos diferenciados em relação ao

    consumidor

    final,

    e

    um

    conhecimento

    geral

    das

    diversas

    metodologias de análise de riscos é fundamental para permitir a

    esperada avaliação crítica das condições de trabalho, sem a qual

    é praticamente impossível garantir a aplicação dos meios de

    controle colocados à disposição dos trabalhadores.

    A Segurança é um DEVER de Todos. Destacam-se que o

    ferramental, EPI‘s, EPC‘s, componentes para sinalização e outros

    citados

    neste

    trabalho

    são

    apenas

    alguns

    dos

    materiais/ferramentas

    necessárias

    para

    a

    execução

    das

    atividades, bem como, os exemplos de passo a passo ou

    procedimentos de trabalho, análise preliminar de risco e seus

    controles exemplificados são orientativos e não representam a

    única forma para a realização das atividades com eletricidade,

    devendo cada empresa ou entidade educacional validá-los e

    adapta-los de acordo com suas particularidades.

    A Eletricidade mata. Esta é uma forma bastante brusca, porém

    verdadeira,

    de

    iniciarmos

    o

    estudo

    sobre

    segurança

    em

    eletricidade.

    Sempre que trabalhar com equipamentos elétricos, ferramentas

    manuais ou com instalações elétricas, você estará exposto aos

    riscos da eletricidade. E isso ocorre no trabalho, em casa, e em

    qualquer outro lugar. Você está cercado por redes elétricas em

    todos os lugares; aliás, todos nós estamos. É claro que no trabalho

    os riscos são bem maiores. É no trabalho que existe uma grande

    concentração

    de

    máquinas,

    motores,

    painéis,

    quadros

    de

    distribuição, subestações transformadoras e, em alguns casos,

    redes aéreas e subterrâneas expostas ao tempo. Para completar,

    mesmo os que não trabalham diretamente com os circuitos

    também se expõem aos efeitos nocivos da eletricidade ao utilizar

    ferramentas elétricas manuais, ou ao executar tarefas simples

    como desligar ou ligar circuitos e equipamentos, se os dispositivos

    de acionamento e proteção não estiverem adequadamente

    projetados e mantidos.

  • Embora todos nós estejamos sujeitos aos riscos da eletricidade, se

    você trabalha diretamente com equipamentos e instalações

    elétricas ou próximo delas, tenha cuidado. O contato com partes

    energizadas da instalação pode fazer com que a corrente elétrica

    passe pelo seu corpo, e o resultado são o choque elétrico e as

    queimaduras externas e internas. As consequências dos acidentes

    com eletricidade são muito graves, provocam lesões físicas e

    traumas psicológicos, e em muitas vezes são fatais. Isso sem falar

    nos incêndios originados por falhas ou desgaste das instalações

    elétricas. Talvez pelo fato de a eletricidade estar tão presente em

    sua vida, nem sempre você dá a ela o tratamento necessário.

    Como resultado, os acidentes com eletricidade ainda são muito

    comuns mesmo entre profissionais qualificados.

    No Brasil, ainda não temos muitas estatísticas específicas sobre

    acidentes cuja causa está relacionada com a eletricidade.

    Entretanto, é bom conhecer alguns números a esse respeito. No

    Brasil, se considerarmos apenas o Setor Elétrico, assim chamado

    aquele

    que

    reúne

    as

    empresas

    que

    atuam

    em

    geração,

    transmissão e distribuição de energia elétrica, temos alguns

    números que chamam a atenção.

    Em 2002, ocorreram 86 acidentes fatais nesse setor, incluídos

    aqueles com empregados das empreiteiras. A esse número,

    entretanto, somam-se 330 mortes que ocorreram nesse mesmo

    ano com membros da população que, de diferentes formas,

    tiveram contato com as instalações pertencentes ao Setor Elétrico.

    Como exemplo desses contatos fatais, há os casos que ocorreram

    em obras de construção civil, contatos com cabos energizados,

    ligações clandestinas, instalações de antenas de TV, entre tantas

    outras causas. Um relatório completo é divulgado anualmente pela

    Fundação COGE.

    Para completar, entre 1.736 acidentes do trabalho analisados pelo

    Sistema Federal de Inspeção do Trabalho, no ano de 2003, a

    exposição à corrente elétrica encontra-se entre os primeiros

    fatores de morbidade/mortalidade, correspondendo a 7,84% dos

    acidentes

    analisados.

    Os

    principais

    riscos

    também

    serão

    apresentados neste curso e você irá aprender a reconhecê-los e a

    adotar procedimentos e medidas de controle, previstos na

    legislação e nas normas técnicas, para evitar acidentes.

  • Energia Elétrica - Geração, Transmissão e Distribuição

    No Brasil a energia elétrica que alimenta as indústrias, comércio e

    nossos lares é gerada principalmente em usinas hidrelétricas,

    onde a passagem da água por turbinas geradoras transformam a

    energia mecânica, originada pela força d‘agua, em energia elétrica.

    80% da energia elétrica é produzida a partir de hidrelétricas, 11%

    por termoelétricas e o restante por outros processos como Usinas

    Nucleares e Eólica.

    A partir da usina a energia é transformada, em subestações

    elétricas, e elevada a níveis de tensão (69/88/138/240/440 kV) e

    transportada em corrente alternada (60 Hertz) através de cabos

    elétricos, até as subestações rebaixadoras, delimitando a fase de

    Transmissão.

    Já na fase de Distribuição (11,9 / 13,8 / 23 kV), nas proximidades

    dos centros de consumo, a energia elétrica é convertida nas

    subestações, com seu nível de tensão rebaixado e sua qualidade

    controlada, sendo transportada por redes elétricas aéreas ou

    subterrâneas, constituídas por estruturas (postes, torres, dutos

    subterrâneos

    e

    seus

    acessórios),

    cabos

    elétricos

    e

    transformadores para novos rebaixamentos (110 / 127 / 220 / 380

    V), e finalmente entregue aos clientes industriais, comerciais, de

    serviços e residenciais em níveis de tensão variáveis, de acordo

    com a capacidade de consumo instalada de cada cliente.

  • Quando falamos em setor elétrico, referimo-nos normalmente ao

    Sistema Elétrico de Potência (SEP), definido como o conjunto de

    todas as instalações e equipamentos destinados à geração,

    transmissão e distribuição de energia elétrica até a medição

    inclusive.

    Com o objetivo de uniformizar o entendimento é importante

    informar que o SEP trabalha com vários níveis de tensão,

    classificadas em alta e baixa tensão e normalmente com corrente

    elétrica alternada (60 Hz).

    Conforme definição dada pela ABNT através das NBR (Normas

    Brasileiras Regulamentadoras), considera-se baixa tensão, a

    tensão superior a 50 volts em corrente alternada ou 120 volts em

    corrente contínua e igual ou inferior a 1000 volts em corrente

    alternada ou 1500 volts em corrente contínua, entre fases ou entre

    fase e terra. Da mesma forma considera-se alta tensão, a tensão

    superior a 1000 volts em corrente alternada ou 1500 volts em

    corrente contínua, entre fases ou entre fase e terra.

    Explicando Tensão, Corrente, Resistência e Potência

    Elétrica

  • Nos condutores, existem partículas invisíveis chamadas elétrons,

    que estão em constante movimento de forma desordenada. Para

    que os elétrons se movimentem de forma ordenada é preciso que

    se aplique uma força, de modo que se estabeleça um fluxo

    ordenado de elétrons.

    Assim podemos considerar que quando existir uma diferença entre

    as extremidades de um condutor de concentração de elétrons,

    existirá um potencial elétrico ou uma tensão elétrica entre esses

    dois pontos.

    Através destes conhecimentos, definimos tensão elétrica da

    seguinte maneira:

    A TENSÃO ELÉTRICA: é a força que impulsiona os elétrons livres nos

    fios. A tensão elétrica é também conhecida como diferença de

    potencial (d.d.p.).

    Unidade de medida: Volt ( V )

    Aparelho de medida de tensão elétrica: voltímetro

    Tipos De Tensão Elétrica:

    - Tensão elétrica contínua: É aquela que não varia ao longo do tempo.

    Possui a sua polaridade definida. Como exemplos de fontes de

    tensão contínua temos as pilhas e baterias.

    - Tensão elétrica

    alternada:

    É

    aquela

    que

    troca

    de

    polaridade

    constantemente, provocando nos circuitos um fluxo de corrente ora

    em um sentido, ora em outro. A tensão elétrica disponível nas

    residências é do tipo alternada, razão pela qual a maior parte dos

    equipamentos elétricos é construído para funcionar alimentado a

    partir deste tipo de corrente elétrica.

    CORRENTE ELÉTRICA: Os elétrons livres dos átomos de uma certa

    substância normalmente se deslocariam em todas as direções.

    Quando, em um condutor, o movimento de deslocamento de

    elétrons livres for mais intenso em um determinado sentido, diz-se

    que existe uma corrente elétrica ou um fluxo elétrico no condutor.

  • A intensidade da corrente elétrica é caracterizada pelo número de

    elétrons livres que atravessa uma determinada seção do condutor

    na unidade de tempo.

    Através destas informações definimos corrente elétrica da seguinte

    forma :

    Corrente elétrica é o movimento ordenado dos elétrons livres nos

    condutores, quando existe uma diferença de potencial (tensão)

    elétrico entre suas extremidades.

    Unidade de medida: ampére (A);

    Aparelho de medida de corrente elétrica: amperímetro.

    Tipos De Corrente Elétrica:

    - Corrente contínua (CC): Corrente Contínua é aquela cuja intensidade é

    constante e sempre no mesmo sentido.

    Exp: pilhas comuns e baterias.

    - Corrente alternada (CA): Corrente Alternada é aquela cuja intensidade

    varia

    senoidalmente

    com

    o

    tempo

    e

    cujo

    sentido

    inverte

    periodicamente.

    Ex. : corrente utilizada nas residências.

    RESISTÊNCIA ELÉTRICA (R): É a dificuldade encontrada pela corrente

    elétrica ao atravessar um corpo.

    - Unidade de medida: ohm ( W );

    - Aparelho de medida de resistência elétrica: ohmmímetro;

    *Obs.: para medir a resistência de um aparelho a rede deve estar

    desligada,

    caso

    contrário

    poderá

    danificar

    o

    equipamento

    (ohmmímetro).

    Todos os materiais apresentam resistência elétrica, desta forma

    podemos classificá-lo em 3 grupos: condutores, isolantes e

    resistores.

    a) condutores: oferecem relativa facilidade à passagem da corrente

    elétrica (baixa resistência);

  • b) isolantes: oferecem muita dificuldade, sendo quase impossível a

    passagem da corrente elétrica (alta resistência);

    c) resistores: permitem a passagem de corrente elétrica, mas

    oferecem uma certa resistência. Transformam energia elétrica em

    calor.

    A resistência elétrica de um condutor depende ainda de quatro

    fatores:

    material,

    comprimento,

    área

    da

    seção

    (bitola)

    e

    temperatura, e será estudado em um tópico à parte (Resistividade)

    onde serão analisados cada uma destas características.

    POTÊNCIA ELÉTRICA (P): É definida como sendo o trabalho efetuado

    na unidade de tempo. Assim como a potência hidráulica é dada

    pelo produto do desnível energético pela vazão, a potência

    elétrica, para um circuito com resistência, é obtida pelo produto da

    tensão E pela corrente elétrica I:

    P = E * I

    Unidade de medida: watt (W)

    Aparelho de medida de potência elétrica: wattímetro

    Como vimos anteriormente a tensão (E) faz movimentar os

    elétrons, dando origem a corrente elétrica (I). Existindo corrente

    ocorrerá algum tipo de fenômeno.

    Exp: circuito simples onde uma lâmpada é acesa. O que ocorre?

    Quais os fenômenos que são percebidos? Luz e calor.

    Na introdução ao estudo da potência elétrica definimos que

    potência elétrica é o produto de uma tensão elétrica E por uma

    corrente I, onde obtemos como unidade de medida o watt (W). No

    entanto, este produto fornece “na realidade” uma unidade de

    potência expressa em volt - ampère (VA), a qual denominamos

    Potência Aparente.

    Esta diferenciação, para fins de entendimento, existe pelo fato de

    trabalharmos com dois tipos de tensão elétrica (contínua e

    alternada).

    Portanto,

    sempre

    que

    trabalharmos

    em

    tensão

    contínua

    deveremos nos referir a uma potência, cuja unidade de medida é

  • o Watt (W), e quando trabalharmos em tensão alternada (na

    maioria dos casos), utilizaremos o volt - ampère (VA) - potência

    aparente, a qual é composta de duas parcelas: potência ativa (W)

    e potência reativa (Var).

    Potência ativa: é a parcela efetivamente transformada em outras

    formas de potência: potência mecânica, potência térmica e

    potência luminosa, ou seja é a energia que realmente produz

    algum tipo de trabalho. Em termos práticos é a energia que

    consumimos e pagamos. A unidade de medida desta forma de

    potência é o Watt (W).

    Potência reativa: é a parcela transformada em campo magnético,

    necessário

    por

    exemplo

    ao

    funcionamento

    de

    motores,

    transformadores e reatores. Este tipo de energia não gera trabalho

    nenhum (desperdício).

    Logo, é uma energia que não consumimos mas pagamos.

    A unidade de medida da potência reativa é o volt-ampère-reativo

    (Var).

    A relação entre a potência ativa (W) e a potência aparente (VA)

    nos fornece o que chamamos de fator de potência, muito

    importante para as indústrias e concessionárias de energia

    elétrica.

    Explicando Resistividade e Circuitos Elétricos

    RESISTIVIDADE: Todos os materiais, em sua constituição física,

    facilitam, dificultam ou até mesmo impedem à passagem da

    corrente elétrica.

    A facilidade encontrada pela corrente elétrica ao passar pelos

    materiais é denominada CONDUTÂNCIA (G).

    Porém, em contrapartida à condutância, os materiais sempre

    oferecem certa oposição à passagem da corrente elétrica.

    A essa dificuldade encontrada pela corrente elétrica ao percorrer

    um material é denominada RESISTÊNCIA ELÉTRICA (R).


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 24,90
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...

Desejo receber novidades e promoções no meu e-mail:


  • Apresentação da Norma NBR 5410/2004
  • Introdução à Eletricidade
  • Energia Elétrica - Geração, Transmissão e Distribuição
  • Explicando Tensão, Corrente, Resistência e Potência Elétrica
  • Explicando Resistividade e Circuitos Elétricos
  • Explicando o Que São Condutores, Isolantes, Resistores
  • As Funções dos Capacitores e Transformadores
  • Condutores Elétricos - Tipos e Classes Utilizadas
  • Ferramentas Ideais para o Eletricista
  • Multímetro - Definição e Leitura de Medições
  • As Definições Corretas de Instalações e Alimentação
  • Elementos Que Compõem as Instalações Elétricas
  • Entendendo o Projeto de Uma Instalação Elétrica - Parte 01
  • Entendendo o Projeto de Uma Instalação Elétrica - Parte 02
  • Eletrodutos - Instalação e Dimensionamento
  • Aterramento - Tipos e Dimensionamento
  • Motores Elétricos Monofásicos
  • Funcionamento do Motor Bomba e Chave Boia
  • O Que São Disjuntores Termomagnéticos?
  • Funcionamento e Instalação de Interruptores, Dimmers e Minuteiras
  • Tomadas Elétricas
  • Lâmpadas
  • Como Efetuar a Correta Emenda de Fios e Condutores
  • Instalação de Torneiras Elétricas e Chuveiros Elétricos
  • Choques Elétricos - Tipos
  • Efeitos do Choque Elétrico - Contrações Musculares
  • Efeitos do Choque Elétrico - Queimaduras
  • Causas Determinantes de Choques Elétricos
  • Os Perigos do Arco Elétrico
  • Campos Eletromagnéticos
  • Causas Diretas de Acidentes com Eletricidade
  • Causas Indiretas de Acidentes com Eletricidade
  • Equipamentos de Proteção Individual (EPI)
  • Primeiros Socorros em Caso de Acidente com Eletricidade
  • Normas ABNT sobre Instalações Elétric