Curso Online de Jornalismo da Cultura pós-moderna

Curso Online de Jornalismo da Cultura pós-moderna

TÓPICO: I Acordo de períodos culturais TÓPICO: II Etnia do Movimento pós-moderno O Jornalismo cultural TÓPICO III Coordenação literária...

Continue lendo

Autor(a):

Carga horária: 7 horas

Por: R$ 30,00
(Pagamento único)

Certificado digital Com certificado digital incluído

TÓPICO: I
Acordo de períodos culturais

TÓPICO: II
Etnia do Movimento pós-moderno
O Jornalismo cultural

TÓPICO III
Coordenação literária
A dificuldade de publicar um Livro

TÓPICO IV
Como fazer uma boa crônica
O pensamento
A comunicação verbal
A arte escrita (literatura)

José Vieira Cabral Nasceu no dia 25 de agosto de 1.960 em Xambrê, Paraná, viveu ali até os seus oito anos de idade e depois os seus pais se mudaram para Maringá no mesmo Estado. E aos 19 anos mudou-se para São Caetano do Sul, Região do Grande ABC, São Paulo, onde permanece até o presente momento. O Autor/produtor foi comerciante a maior parte de sua vida, mas também trabalhou como empregado em algumas Empresas: Foi Administrativo e Encarregado de obras Civis, tendo como formação (Mestria em Construção Civil) e, mais de 100 Cursos de diversas áreas. Como Escritor e pesquisador escreveu diversas Obras Literárias e Didáticas: É fundador da Livraria e Editora Virtual Cabral Veríssimo (seu nome artístico) e pertencente ao Clube de autores. O seu Site:(ciacabralverissimo.loja2.com.br), onde produz os seus Livros e Cursos online para a plataforma da (www.buzzero.com/autores/jose-cabral).



  • Aqui você não precisa esperar o prazo de compensação do pagamento para começar a aprender. Inicie agora mesmo e pague depois.
  • O curso é todo feito pela Internet. Assim você pode acessar de qualquer lugar, 24 horas por dia, 7 dias por semana.
  • Se não gostar do curso você tem 7 dias para solicitar (através da pagina de contato) o cancelamento ou a devolução do valor investido.*
* Desde que tenha acessado a no máximo 50% do material.
  • TÓPICO: I
    Acordo de períodos culturais

    TÓPICO: II
    Etnia do Movimento pós-moderno
    O Jornalismo cultural

    TÓPICO III
    Coordenação literária
    A dificuldade de publicar um Livro

    TÓPICO IV
    Como fazer uma boa crônica
    O pensamento
    A comunicação verbal
    A arte escrita (literatura)

  • Introdução
     
    A Era Literária é a divisão e codificação das obras literárias em determinado momento histórico; Falando No caso do Brasil, tivemos ai duas Eras Literárias:
    Sendo a primeira - a Era Colonial: correspondente às obras produzidas no Brasil colônia, de 1500 a 1822, com a Literatura de Informação, referindo-se a literatura dos Jesuítas, e a escola Literária do Barroco e do Arcadismo com um período de transição chamado Pré-Romantismo e, a segunda que é a “Era Nacional”, correspondente às obras produzidas depois da independência até os nossos dias, onde aparece a Escola, Romântica, Realista, Simbolista e Moderna (Modernismo).

    Muitos estudiosos dão a replica aos críticos, que chamam a produção contemporânea de Pós – Modernismo. Porém, isso é realmente uma visão autêntica do que está ai, quais os dois trilhos de uma linha férrea, que se aparelha: De um lado: as linhas então terminando, e d’outro: estão começando para prosseguir a viagem... Tem-se por certo, que ambos os lados estão adequados ao espaço (terminal e inicial).

    O jornalismo da cultura pós-moderna, já entra na terceira “Era literária”; Onde a visão de alguns alcança somente até a ponta da linha... Mas a visão de outros prossegue mais à frente, vendo a terminal e inicio de uma terceira fase, dessa divisão sistemática de “Eras”; onde inicia uma nova divisão sucessora com os renovos sistemáticos e atualizados ao comportamento humano, que prossegue a linha do futuro inevitável dessa nossa espécie, imprimindo um Jornalismo Cultural com evolução atualizada a época vigente.
     

  • TÓPICO: I
    Acordo de períodos culturais:

    Tópico 01:
    O conhecimento é uma apreensão de ingredientes culturais que buscamos com a existência natural de nossa vida, mais aquela busca... Que fazemos por estudos e pesquisas ou, ainda por hobby.
    O conhecimento é esta junção de ingredientes que compõe o nosso caráter intelectual como se ele fosse uma despensa de mercadorias para se preparar um alimento de sustentação ou, de sobremesa - e dessa despensa se fará o alimento cultural de acordo ao tipo de mercadorias...
    O Jornalismo de cultura pós-moderna enfoca o terceiro período de uma cultura que trás os conhecimentos literários ou não: não importa se o gênero é de ficção ou, não ficção, pois o desprendimento da expressão imprime por variados meios de comunicação, a cultura apreendida no meio de um povo.

  • Falando-se de literatura: O período Literário é a divisão e codificação das obras literárias em determinado momento histórico; Falando no caso do Brasil, tivemos ai dois períodos Literários:
    Sendo o primeiro, o período Colonial, correspondente às obras produzidas no Brasil colônia, de 1500 a 1822, com a Literatura de Informação, referindo-se a literatura dos Jesuítas, e a escola Literária do Barroco e do Arcadismo com um período de transição chamado Pré-Romantismo e, o segundo:
    - Período Nacional, correspondente às obras produzidas depois da independência até os nossos dias, onde aparece a Escola, Romântica, Realista, Simbolista e Moderna (Modernismo).
    Muitos estudiosos dão a replica aos críticos, que chamam a produção contemporânea de Pós – Modernismo. Porém, isso é realmente uma visão autêntica do que está ai, quais os dois trilhos de uma linha férrea, que se aparelha:

  • - De um lado: as linhas então terminando, e d’outro: estão começando para prosseguir a viagem... Tem-se por certo, que ambos os lados estão adequados ao espaço (terminal e inicial).
    A Visão do Jornalismo cultural, pós-moderno, já entra no terceiro período literário (com obras de ficção e não ficção), onde a visão de alguns interpretadores do mundo alcança somente até a ponta final de uma linha... Mas a outra visão, do apurado visualismo, prossegue mais à frente, vendo o terminal de uma linha, e inicio de uma nova linha para o Terceiro período dessa divisão sistemática de épocas.
    - O visualismo Pós-moderno, inicia uma nova divisão sucessora com os renovos sistemáticos e atualizados ao comportamento humano que prossegue a linha do futuro inevitável dessa nossa espécie.

  • TÓPICO: II
    Etnia do Movimento Pós-moderno:
     
    O visualismo pós-moderno, ainda sustenta a carga da evolução pré-moderna, acrescida de conquistas de ponta na qual o modernismo o traz consigo, em honrados ombros envelhecidos, devido às coisas repetidas frisando a sua existência: mas quanto às inovações artística, científica e etc., os novos rebentos já frisam o nascimento de uma “Nova Era” onde o visualismo pós-moderno, se revela!
    E como se justifica isso? Na demonstração de apuros visuais de formas e materiais aplicados num movimento unânime da geração contemporânea: não só em obras artísticas e cientificas e, etc., mas na própria manifestação de vida humana e suas coisas complementares...
    Há nessa geração um suspiro esvoaçador... Revelando exigências de perfeição em tudo que transita a vida ao consumo de roupas e objetos e, etc. (extraída do apuro de um espírito perceptível).

  • Observa-se... O invoco instalado na intuição pós-moderna espalhada no mundo inteiro; que por um lado, honra o “pai modernismo” (já um cansado da sobrecarga de ideias antigas); e por outro lado, já acrescentando as últimas visualizações globais com o afinco do “pós”.
    O visualismo é um movimento que honra tudo isso (sobrevivendo daí) qual o filho, que sendo ajudado pelo o pai conclui os seus estudos, mas sempre procurando gerar coisas novas, indispensáveis para a mudança já prognosticada pela a evolução dos tempos, sobreposta aos sucessores do andamento...
    Nesse andamento, quem não pode voar... Que navegue, nade, pule, ande, role, rasteje, escorregue... Há um variado meio de locomoção de corpos (...), para avançar ao menos um pouco, saindo do modernismo e, escorregando para o pós-modernismo numa manifestação de movimento visual de evolução da própria espécie humana.

  • Diante a tal rebolo do tempo, tudo se evolui ou se acaba por uma consequência humana ou de natureza misteriosa, mas cada qual deverá fazer a sua parte dentro do espaço de existência de vida e, o espaço intelectual da vocação que possui, usufruindo com alegria do realce tecnológico que está para nos ajudar a fazer as coisas cada vez melhor no setor profissional e no convívio familiar e social.
    Se falarmos no setor vocacional artístico, também tendemos a expor sempre algo de valores pós-moderno: é a distração cultural que às vezes não discerni ainda essa mudança na cabeça de um povo que está pensando e agindo de maneiras diferenciadas de geração passada...
    A própria coordenação artística se manifesta atualizando a época no estendal de anos em que pomos, os pés no agora, a redigir o que sentimos, vemos e ouvimos no momento (contemporâneo).

  • O JORNALISMO CULTURAL

    Jornalismo cultural é o ramo que tem por missão informar e opinar sobre a produção e a circulação de bens culturais na sociedade - sendo também um veículo para que parte desta produção chegue ao Público leitor, independentemente se ela se refere a noticias atuais ou de anos atrás, pois ela não é uma noticia informativa do presente, mas informativa de uma etimologia de nossa época ou não. O jornalismo cultural é registro local, Regional, Nacional ou ainda, Internacional, porque ela documenta o comportamento humano de um mundo inteiro, no contexto de uma mesma espécie.

    Gêneros do Jornalismo Cultural
    O jornalismo cultural faz uso de dois gêneros de texto: os informativos, cuja prioridade é contar ao leitor algo que ele não sabe, e os opinativos, cuja ênfase é apresentar ao leitor a opinião do jornalista sobre uma obra ou evento cultural, falando-se da prioridade e Ênfase, porque é natural encontrar algo de opinião em resenhas, assim como um texto opinativo, por melhor que seja não estará cumprindo sua função jornalística se não for também informativo, mas nada de exigência que seja a informação atual, poderá ser de outros tempos...
     

  • Gêneros informativos
    A maioria destes gêneros é comum a todos os ramos do jornalismo, com exceção da resenha.
    Notícia – Apresentação de um fato novo, respondendo às perguntas clássicas: o quê, quem, como, quando, onde e por quê. No jornalismo cultural, pode ser utilizada para “esquentar o fato”, ou seja, lembrar o leitor de algum evento já informado pelo jornal, sempre se observando, porém, o gancho de data. Nota – Informação breve, com os elementos básicos de uma notícia, sem
    Compromisso necessário com fatos do momento.
     

  • Resenha – Texto que apresenta os principais pontos de interesse de uma obra,
    Podendo conter ou não breves avaliações.
    Reportagem – Principal gênero jornalístico, recorre a diferentes fontes para ampliar
    E interpretar a notícia. Pode se desdobrar em diferentes apresentações na página. Ex: a estreia de um filme baseado em um livro pode ter como matéria principal uma reportagem sobre o filme, entrando ainda na página uma resenha do livro, uma nota biográfica do autor e um comentário de versões cinematográficas anteriores da obra.
    Entrevista – Reprodução direta de diálogo ocorrido entre o jornalista e a fonte. Esta definição ressalte-se, é relativa à entrevista como tipo de texto; como ferramenta Jornalística, ela é importante etapa na apuração dos outros gêneros informativos e mesmo o opinativos.
     


Matricule-se agora mesmo Preenchendo os campos abaixo
R$ 30,00
Pagamento único
Processando... Processando...aguarde...
Autorizo o recebimento de novidades e promoções no meu email.

  • TÓPICO: I
  • Acordo de períodos culturais
  • TÓPICO: II
  • Etnia do Movimento pós-moderno
  • O Jornalismo cultural
  • TÓPICO III
  • Coordenação literária
  • A dificuldade de publicar um Livro
  • TÓPICO IV
  • Como fazer uma boa crônica
  • O pensamento
  • A comunicação verbal
  • A arte escrita (literatura)